Dando início a preparação definitiva para o desfile, em abril, a Grande Rio fez sua volta aos ensaios de rua, no último domingo. Empolgada e conduzida com primor pela bateria e o carro de som, a escola se mostrou ainda mais disposta a brigar forte pelo título. O canto da comunidade e o primeiro casal, reforçam a condução da agremiação para a lista das grandes favoritas.

Laroye! As outras que lutem porque catiço reinou em pleno domingo. E assim, se deu início a reta final de preparação da Grande Rio para entrar na Marquês de Sapucaí. Pelo ensaio, fica claro que o carnaval de 2020 não foi ponto fora da curva. A escola de Caxias entrou no grupo daquelas que todos esperam para ver e que briga, de fato, pelo título. A forma como a comunidade canta, revela empenho de todos em defender a escola. Também, com o talento de Evandro Malandro e mestre Fafá, não fica difícil acompanhar o samba. O conjunto carro de som, bateria e harmonia, tem tudo para fazer um desfile arrebatador, sob a proteção da dama da noite.

Fotos: Allan Duffes/Site CARNAVALESCO

“Gostei muito do ensaio. Ficamos parados por algumas semanas, mas eu gostei muito do canto da escola e da evolução. A gente tem tentado trabalhar com uma escola solta. Uma escola que pulsa, que está cada dia mais preparada. Claro que a gente vai precisar acertar um ponto ou outro, porque sempre tem algo. Porém, temos ainda mais de 40 dias para aprimorar. Vamos usar o ensaio da Sapucaí como mais uma etapa de preparação. Aquilo não é um desfile, é uma preparação”, avaliou Thiago Monteiro, diretor de carnaval da Grande Rio.

Além do canto forte e pulsação da bateria, a Grande Rio vai trabalhando para conquistar as tão sonhadas notas 10 em seus quesitos, porque a demanda é grande.

Mestre-sala e Porta-bandeira

O bailado de Daniel e Taciana vai na ponta da navalha. A dama dança com fogo e o moço dá as cartas riscando o chão. Cada vez mais entrosados, o casal da Grande Rio passa segurança. Eles fizeram uma apresentação sólida e esbanjaram sincronismo na coreografia, feita sob o samba. Sob os aplausos do público, até aqui, a dança dos dois é de encher os olhos.

Harmonia e Samba-enredo

À plenos pulmões. Foi assim que os caxienses ensaiaram hoje. Empolgados, os componentes pulavam e a escola fritava na pista, e nem era pelo calor. Como confiança é tudo, acreditar na vitória deixa o desfilante feliz, o que faz ele ter a vontade de gritar a letra. Com ressalva de algumas alas visivelmente desmotivadas, que passaram caladas.

O samba dispensa apresentações, mas é bom notificar a todos do talento de Evandro Malandro. Na condução do carro de som, o time de cantores da tricolor de Caxias fica cada mais entrosado. É como se cantasse um ponto em um dia de festa. Se quem canta, reza duas vezes, Exu está feliz com o que faz a Grande Rio.

“Cada evento que a gente vai, é muito bem recebido, além da nossa comunidade que vai em peso. O público por onde a gente passa, é muito afetivo. Todo mundo aqui fica muito feliz de estar começando um trabalho com um samba que já nasceu aclamado. Colocado com um dos bons sambas para 2022, assim como foi o “pedra preta”, em 2020. Mas, o crescimento que a escola deu com esse samba, só veio para consolidar isso tudo. O trabalho que estamos fazendo está no nível que todo mundo espera e merece. Queremos que todos fiquem cada vez mais contentes e que nós ganhemos mais prêmios com isso”, disse Evandro Malando, o cantor.

Em um excelente andamento e uma bela letra, o último componente dedicado passa ainda gritando, mesmo depois de desfilar a avenida inteira.

Evolução

Hoje o terreiro ficou um pouco “esquisito”. O quesito evolução sempre é uma questão delicada quando se tem um ensaio de rua, mas cada escola lida com suas questões de maneira diferente. O andamento da escola ficou apertado pelo excesso de pessoas, não desfilantes, entre as alas. Muitos passantes atravessavam a apresentação do casal e havia muita gente no meio da rua, sem ter ligação com o ensaio.

Agora, sobre os desfilantes, era difícil reconhecer os componentes, pela falta de camisa da escola. Não que seja uma obrigatoriedade para os ensaios, mas ficaria melhor para identificar as tantas alas com componentes calados e/ou conversando entre eles, completamente alheios ao ensaio. Fora isso, ainda que contraditório a esse texto, houve o que se comemorar: a escola não ficou parada, não abriu buraco… Enfim, sorte que no dia do desfile não tem público na pista. E foi esse ponto, que fez Thiago Monteiro minimizar o problema.

“O ensaio em Caxias é sempre concorrido. E isso é bom. A Grande Rio precisa muito da comunidade. Não só de desfilante, mas da cidade, porque a escola é um ícone daqui. Então, não vejo que o calor do público atrapalhe. A gente poderia isolar com corda, mas se entende que não seria simpático da nossa parte e não atrapalha tanto assim, porque a escola anda, vai pra frente, evolui e isso não é problema”, comentou.

Outros destaques

A bateria de mestre Fafá é um encanto, feito oferenda deixada na encruzilhada. Com um andamento que dá gosto de ouvir, fica claro o conforto que os ritmistas tocam. E o carro de som, acompanha a batida com louvor. Mestre Fafá conta que a proposta de um andamento mais cadenciado é abraçada pela escola e a bateria é um projeto de todos.

“Esse andamento mais cadenciado foi uma característica que eu aprendi com o Odilon e foi aí que eu me apaixonei por bateria. Uma bateria mais cadenciada, onde se consegue ouvir todos os instrumentos, respeitar a métrica e a melodia do samba, algo que o Laíla sempre pedia. Então, foi uma aposta. A gente vinha de andamentos mais acelerados e eu decidi reduzir um pouco e trazer de volta uma característica que tinha se perdido na Grande Rio e, graças a Deus, nos dois últimas anos deu muito certo e a gente conseguiu o êxito”, explica.

Para o desfile, Fafá promete que a Invocada desfile como em 2020, com 143 bpm (batidas por minuto). Ele comemora o auxílio que recebe de Evandro Malando e diz que a bateria é um trabalho de todos. O cantor, por sua vez, rasga elogios ao mestre de bateria.

“O entrosamento com o Fafá é perfeito! Ele é um irmão que o samba me deu e que eu vou levar para vida. Ele é muito inteligente, tanto que faz workshops pelo Brasil inteiro… Então, essa experiência que ele traz pra gente, só vem ajudar a todos os processos que a gente passa”.

Agora, a Grande Rio para outros ensaios de rua, o ensaio técnico no Sambódromo e tão esperado o desfile, para tentar de vez alcançar a seu dia de graça com o título. A escola que, desde 2020, tem se mostrado cada vez mais estruturada, tem ao seu lado a comunidade acreditando no trabalho executado. O diretor de carnaval, Thiago Monteiro, já sabe disso e comemora.

“Daqui, eu saio feliz. Sabendo do que ainda é preciso acertar, mas acredito que estamos no caminho certo e o componente esta acreditando naquilo que ele é capaz de fazer. E isso para a gente é fundamental”.

Enfim, quem vê o ensaio, diz que a escola está trabalhando forte para buscar o tão sonhado título. Quanto ao resultado, eles deixarão por conta de Exu.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui