A Beija-Flor de Nilópolis promoveu em sua quadra, na noite dessa quinta-feira e madrugada de sexta, a semifinal da disputa para escolher o hino oficial da agremiação no Carnaval do ano que vem. Como parte da série “Eliminatórias”, a reportagem do site CARNAVALESCO esteve presente e acompanhou mais essa fase da competição. Ao todo, cinco obras passaram pelo palco e cada uma delas teve direito a doze passadas. Após as apresentações, os sambas de Júnior Trindade e Sidney de Pilares foram os cortados. Com isso, apenas três parcerias seguem no páreo e vão se enfrentar na grande final do concurso realizado pela Deusa da Passarela na próxima quinta-feira, dia 5 de outubro.

Foto: Eduardo Hollanda/Divulgação Beija-Flor

Em 2024, a Beija-Flor terá como enredo “Um delírio de Carnaval na Maceió de Rás Gonguila”, assinado pelo carnavalesco João Vitor Araújo. Na ocasião, a Deusa da Passarela será a segunda agremiação a passar pelo Sambódromo da Marquês de Sapucaí no domingo, dia 11 de fevereiro, pelo Grupo Especial. Esta será a primeira vez que a azul e branca desfilará nesta posição.

Parceria de Junior PQD: O primeiro samba a se apresentar na semifinal da disputa promovida pela Beija-Flor de Nilópolis foi o composto por Junior PQD, Rodrigo Tinta, Márcio França, Nando Souza, Robinho Donozo e JC Saraiva, com as participações especiais de Thiago Sodório, André Araújo e Cleissinho Teixeira. O cantor Ronaldo Junior, integrante do carro de som da Beija-Flor, foi quem teve a missão de defender a obra na quadra. Apesar dos esforços dele e do restante do time de apoio, o samba teve um desempenho apenas regular, sofrendo com uma queda de rendimento mais acentuada, especialmente nas duas últimas passadas. Como ponto positivo, o refrão principal, com os versos “Nilópolis em festa, hoje é Carnaval/ Bate no peito é Beija Flor na Avenida/ Você vai viajar, então vai delirar/ Na Maceió de Rás Gonguila”, novamente se destacou, sendo o trecho entoado com mais força ao longo da apresentação. O refrão do meio, com os versos “Liberdade ao descer beira mar/Cavaleiro, folia no ar/Zé pereira e as cinzas vem na quarta feira/Devaneio real ilusão, sangue monarca nas veias/Herdeiro folião na grande Maceió festeira”, também se sobressaiu no canto. Quanto à torcida, o grupo promoveu um verdadeiro espetáculo na quadra. Ornamentados com bandeiras, bandeirões e bexigas, os torcedores pularam, vibraram e fizeram coreografias. Eles recriaram uma praia, com direito a surfista, água de coco e vendedor ambulante, além de terem encenado uma jangada navegando no mar. Houve ainda a utilização de efeito de fumaça e da chamada chuva de prata no palco.

Parceria de Kirraizinho: A obra de autoria de Kirraizinho, Lucas Gringo, Wilsinho Paz, Venir Vieira, Marquinhos Beija-Flor e Dr. Rogério, com as participações especiais de Chacal do Sax, Ramon Quintanilha e Naldinho, foi a segunda a se apresentar no palco durante a semifinal da competição realizada pela Deusa da Passarela. O samba seguiu a tendência de crescimento das últimas eliminatórias e teve sua melhor performance na competição até agora. O intérprete Emerson Dias, voz oficial do Acadêmicos do Salgueiro, foi quem conduziu a obra e mais uma vez brilhou no palco. O cantor dançou, pulou e agitou a torcida, sendo fundamental para o alto desempenho. O refrão principal, com os versos “Aqui é Beija-Flor doa a quem doer/Do gênio sonhador a gana de vencer/Tá no meu peito, tá no meu grito/Escola de respeito que coroa Benedito”, foi novamente o ponto alto, sendo berrando pelos torcedores. O trecho de subida para ele, com os versos “Vai meu Beija-flor, a soberania popular que trás no batuque de Rás/Um coco, um pouco de samba de roda/E o povo anuncia: é ela!/Delira…/Tem Pajuçara no mar da Mirandela”, também se destacou e foi entoado com bastante força. Aliás, a torcida da parceria foi uma das que mais cantaram nessa semifinal. Assim como nas fases anteriores da disputa, o grupo veio ornamentado com estandartes, bandeirões da escola e bandeiras com o número da parceria, assim como bexigas e bastões de luzes coloridas. Outro recurso reutilizado foi a presença de uma banda, com direito a instrumentos de sopro, no meio da galera, além de um bumba meu boi decorado com luzes de led.

Parceria de Léo do Piso: O samba assinado por Léo do Piso, Diego Oliveira, Diogo Rosa, Julio Assis, Manolo e Wilson Tatá foi o terceiro a se apresentar na semifinal da azul e branca de Nilópolis. O intérprete Tinga, da Unidos de Vila Isabel, foi o responsável por liderar o time de cantores da parceria, que contou ainda com outros nomes estrelados como Pitty de Menezes e Tem Tem Jr.. A obra teve um bom desempenho nessa semifinal, mas abaixo do que vinha apresentando ao longo da disputa. O refrão principal, com os versos “Meu Beija-Flor é casa de ogunhê oô/É onirê ôô, ogunhê ô/Vem coroar entre jangadas e canoas/O rei de Maceió nas Alagoas”, foi mais uma vez o ponto alto da performance. Além dele, o refrão do meio, com os versos “Leva mãe África ô ô ô/ Leva o herdeiro seu/ Do mesmo sangue de selassiê/ Da mesma cor… Do filho de Deus”, também se sobressaiu e teve um ótimo funcionamento. No entanto, mesmo com estes pontos positivos, o samba sofreu com uma queda considerável de rendimento nas três últimas passadas, que fez com que o final da apresentação fosse um tanto quanto frio. Além disso, o canto da torcida foi irregular, sendo forte somente durante os refrões. Assim como nas semanas anteriores, o uso de diversos efeitos pirotécnicos foi uma marca da parceria. Entre aqueles que foram utilizados esteve a chamada chuva de prata no palco, os disparos de fumaça e as bolinhas de sabão. A torcida também repetiu a receita das outras etapas e veio com todo o tipo de ornamentação, como fitas coloridas, balões, estandartes, placas e bandeirões. A novidade, neste sentido, ficou com a utilização de barquinhos de led que mudavam de cor, assim como um sol, também em led, com o número da parceria no centro.