InícioSão PauloBateria Furiosa da Barra dita o ritmo do terceiro ensaio do Camisa...

Bateria Furiosa da Barra dita o ritmo do terceiro ensaio do Camisa Verde e Branco

Na chuvosa noite de sexta-feira, apenas o Camisa Verde e Branco foi abençoado com o tempo, sem grande chuva, entretanto o vento foi muito forte e atrapalhou o casal no Setor B. A agremiação da Barra Funda teve uma evolução bem compacta, e o grande destaque ficou mesmo para a Bateria Furiosa da Barra, que tirou onda nas bossas. Foi o terceiro e último ensaio técnico do Camisa, que retornará ao Anhembi para o desfile no dia 19 de fevereiro, é a terceira escola a desfilar e cantará ‘Invisíveis’.

Comissão de Frente

Comissão com camisa verde, touca branca que é habitualmente usada na esgrima, menos o principal personagem, uma criança, que sempre isolado do grupo. Este tentava participar, estava sempre procurando algo, entrosas com o restante, mas acabava excluído. Em um ato fechavam uma roda em cima dele, e depois todos apontavam o dedo para o mesmo, ele recolhido, ajoelhado. Na primeira cabine, apontaram dedo para os jurados. Outro momento, os componentes levantavam o destaque da comissão, e levavam com as mãos para frente. São alguns atos, que esse ator principal vai tentando se encaixar dentro do grupo, mas nunca consegue, e fica com caras, bocas, correndo ao redor da maioria. Um invisível procurando seu espaço?

Pois vale ressaltar que a agremiação da Barra Funda teve mais uma troca em um quesito. Desta vez na comissão, saiu o coreógrafo Jonathan Paulino e entrou a Gabriela Goulart. Particularmente não senti grandes mudanças na coreografia, até por ser reta final já e a comissão ter tido dois ensaios técnicos no formato, sem contar os específicos, o trabalho será ajustar na questão do andamento, uma ou outra adaptação, e aguardamos o que virá no dia do desfile.

Mestre-sala e Porta-bandeira

O casal Jessika Barbosa e Alex Malbec ensaiou vestidos de faxineira e gari. Intensos nos giros, o vento era forte, a pista ainda molhada. Mas o casal foi ousado e buscou o ensaio com intensidade e passou bem no primeiro jurado. No setor B, o pavilhão deu mais trabalho, e em alguns momentos Jessika Barbosa teve problemas com o pavilhão, que em alguns momentos enrolou. Reduziram um pouco o ritmo e ajustando contra a adversidade. Vale destacar que na dança, os giros estavam bem conectados, o problema maior foi quando paravam e o vento batia forte. Vieram sem proteção de alegoria e apenas comissão e guardiões na frente, um verdadeiro corredor de ventos.

Mas o sorriso no rosto e seguiram apresentação, experientes, passaram bem nas últimas cabines, ou seja, ajustaram sem perder a intensidade. Um detalhe, o apresentador do casal veio vestido de Carteiro. E outra questão para contextualizar do vento, os outros casais da comunidade, que não contam para os jurados, mas ressalto que também sofreram com o clima, estava difícil para todos, vale a menção.

Harmonia

Ao longo dos três ensaios deu para sentir um Camisa melhorando em sua harmonia, componentes mais soltos, desfilando com tranquilidade e cantando o samba. Porém no primeiro setor foi menos intenso, destaco as baianas com a bandeira do Brasil que estavam bem empolgadas e seguidas pela ala das crianças, muito animadas. Tivemos algumas alas do segundo e terceiro setor que destacamos como Guerreiros do Trevo, que tinha passos marcados e cantou, logo à frente do último casal. Ala Guardiões do Trevo estava bem animada e solta na pista, foi uma a destacar. Ala Pérola do trevo estava bem caracterizada, com ‘perucas de carnaval’, bem interessante. Outro momento que o Camisa já trouxe no ensaio, foi que no primeiro carro teremos representantes do movimento LGBTQI+, e junto estará a velha guarda. Mas durante toda a escola dá para sentir que muitos ‘invisíveis’ da constituição aparecerão, como o MST está na última alegoria.

Evolução

A escola passou sem problemas, cerca de 58 minutos, vieram bem compactos, e evoluindo tranquilamente dentro da pista que já estava seca no centro. Ajudando a escola a ficar mais leve e progredindo na avenida. Nesta questão, o Camisa melhorou muito dentro dos seus ensaios, uma escola mais leve e compacta do primeiro para o terceiro ensaio, ajustes importantes foram feitos na composição das alas que ajudam neste aspecto.

Samba-Enredo

A estreia do Igor Vianna como intérprete principal do Camisa Verde e Branco. Já que no primeiro ensaio estava com Clóvis Pê, que acabou saindo. No segundo ensaio, ele estava no Rio de Janeiro, e desta vez o carro de som estava completo com toda a equipe. Sua potência da voz é nítida e faz o samba crescer no Anhembi. Claro que ainda precisam de alguns ajustes no desenvolvimento da melodia e samba, Igor entrou recentemente, conta com Armando Polêmico, Denny Gomes e toda equipe de som para afinar tudo até o dia do desfile. A comunidade tem sentido o samba fluir, e é importante pelo lado da ala musical que trabalha nesta questão.

Outros destaques

Bateria “Furiosa da Barra” cheia de bossas, sustentando o samba, sendo o grande destaque. Melhorou o ritmo dos outros ensaios. Teve um momento que levantou o público já no penúltimo retorno, que apenas um instrumento seguia marcando, baixo, e a bateria apagada. Mas foi retornando o ritmo, instrumento por instrumento, claro que a galera foi à loucura. Deu para sentir que neste quesito a escola ficou bem leve e cresceu nos ensaios, afinação, andamento, todos fluíram melhor em conjunto com o samba.

A corte de bateria do Camisa sempre chama atenção, a rainha Sophia Ferro no look todo trabalhado no jeans, nas costas grafitado um trecho da música do Racionais MC: “Onde estiver, seja lá como for. Tenha fé, porque até no lixão nasce flor”, Hariadne Diaz também chamou atenção com sua roupa trabalhada no verde, preto e a pintura no rosto que remeteu a de tribos africanas. Mas destaque mesmo ficou com a bailarina Talita Guastelli, que por vezes ‘sambava’ com as pontas dos pés, haja equilíbrio.

Como relatado, o Camisa Verde e Branco terá diversos manifestos, trará muitos ‘invisíveis da constituição’, e no ensaio muitos momentos desses foram vistos dentro dos espaços de alegorias, alas, resta aguardar como virá com fantasias e tudo pronto. Mas nos ensaios deu para sentir um gostinho de tudo que estão trabalhando.

- ads-

Jackson Carvalho, Marcelinho Emoção e Fabão Rodrigues assumem Comissão de Harmonia no Arranco

Para o Carnaval 2025, o Arranco contará com uma Comissão de Harmonia formada por Jackson Carvalho, Marcelinho Emoção e Fabão Rodrigues. Jackson Carvalho começou sua...

Vizinha Faladeira será homenageada com conjunto de Medalhas de Mérito Pedro Ernesto

No próximo dia 23 de abril, a histórica Associação Recreativa Escola de Samba Vizinha Faladeira, uma das pioneiras no cenário do carnaval carioca, terá...

Jorge Silveira exalta preparação da Mocidade Alegre para ganhar duas categorias no Estrela do Carnaval: ‘São Paulo cada vez mais competitivo’

Em 2024, a Mocidade Alegre foi bicampeã do Grupo Especial do carnaval de São Paulo, conseguindo unir beleza e facilidade de leitura para tratar...