InícioSão PauloAmizade Zona Leste faz ensaio seguro no Anhembi

Amizade Zona Leste faz ensaio seguro no Anhembi

A Amizade Zona Leste fez seu primeiro ensaio técnico para o carnaval de 2023. A agremiação vermelha, azul, branco e verde foi a segunda a entrar na pista do Sambódromo do Anhembi. O ponto a destacar foi a parte do refrão ‘Canta forte Amizade’ que a escola vinha junto. Pois no geral fez uma ensaio com poucos componentes, seguro, e o destaque negativo foi que no primeiro setor da escola faltou o poderio do canto. Para 2023 terá o enredo “Do Zé Pelintra ao Zé Ninguém. Qual Zé Você É?”, e trouxe referências ao Zé.

Comissão de Frente

Comandado por Márcio Akira, a comissão de frente aproveitava parte da ‘irreverência de quem faz o bem’ e tirava o chapéu azul simbolizando uma reverência. O grupo comandado contava com uma mulher ao centro que será a destaque no meio dos outros componentes, todos homens. Um momento de destaque é quando sambavam e iam sempre movimentando para o lado ou para frente, era bem interativo, agradando o público. Claramente terá referências ao Zé Pilintra, tanto na dança, quanto na vestimenta, já foi visto isso no primeiro contato.

Mestre-Sala e Porta-bandeira

O casal João Lucas e Angélica Paiva vieram de amarelo mostarda e dourado. Na dança, um momento interessante foi quando fizeram sinais quando o samba cantava ‘Saravá’, como estivesse incorporado, outra clara referência ao Zé Pilintra. Na parte ‘Eu sou Zé do Brasil, a cara do povo’, faziam referências ao rosto. Trocaram olhares, beijo na mão e muita sinergia ao mesmo tempo que apresentava o pavilhão para delírio do Setor B. O casal passou com uma dança muito forte e claramente trabalhada em cima do Zé Pilintra. Mostraram um entrosamento neste primeiro ensaio técnico geral, e acaba gerando curiosidade para o que está por vir.

Harmonia

São dois pontos dentro da harmonia. O primeiro é que no refrão ‘Canta forte Amizade’, a escola realmente explodiu e cantou forte. Mas no primeiro setor senti falta do canto, alas que tinha passo marcado, seguiam ele, mas no canto deixaram a desejar. Como uma das primeiras alas, vestidos de kimono de Karate, fizeram apresentação da arte marcial, interativa, mas pouco cantou. Outra ala no primeiro setor, a Quilombolas, 25 anos do Amizade, trouxe um elemento que foi uma bandeira vermelha e verde, coloriu a pista. Por outro lado, a última ala coreografada deu um ar animado, sincronizado de um lado para o outro. Vale destacar ainda uma ala Roda Viva Social com componentes de cadeira de rodas e acompanhantes, todos bem alegres, o presidente Camilo passou por eles dando muito carinho a todos.

Evolução

A agremiação da Zona Leste não veio muito grande e desfilou com muita tranquilidade. Alguns ajustes na evolução de uma ala para outra no começo da agremiação. Afinal as alas vieram com passos marcados, certas, mas por momentos faltou um ritmo mais coeso entre as alas principalmente no primeiro setor, é um ponto a corrigir na escola. Outro detalhe é ter um pouco mais de leveza no ensaio e consequentemente no desfile. É legal a sincronização dos passos, mas em determinado momento senti as alas todas ‘coreografadas’. Vale finalizar que o ensaio foi bem tranquilo, dentro do cronograma de tempo, a bateria passou pela linha amarela leve.

Samba

Conduzido pela dupla Adauto Jr e Eliezer PQP, olhando através da ala musical, o samba flui com leveza e é muito claro interpreta-lo. Ou seja, a ala musical e a bateria estão alinhadas neste ponto. Mas ao mesmo tempo, o samba em si não foi tão cantado pela escola, explode no trecho do ‘Canta Forte Amizade’, quando inclusive a bateria fazia apagões estratégicos para escutar esse momento. Precisa ser trabalhado para a comunidade cantar alto nos outros trechos do samba-enredo, e fluir para a comunidade com a mesma leveza assim como foi para a ala musical.

Outro destaques

A Batucada do Amizade foi um dos destaques pelo ritmo do Mestre Vinicius Nagy, cadenciou bem a passagem da escola, e soube explorar a melhor parte do samba, quando paravam e deixavam o canto na comunidade. Ao mesmo tempo, voltavam sem problemas, o que é importante. Foram algumas vezes aplicada a estratégia dentro da pista. Trouxeram um elemento pirotécnico que era um sinalizador entre a bateria e ala musical, que por vezes lançavam, principalmente na hora que tinha a paradona e o ‘Canta forte Amizade’.

Na corte da bateria com madrinha de bateria Vanessa Alves com o look vermelho e brilhante, sambou bastante, foi destaque. A Rainha Katharina foi bem interativa com o público e de branco com destaques vermelho no chapéu e no salto, uma verdadeira malandra. Ainda a princesa Nathália Ferreira com destaque para adesivo colado ‘Não é Não’, o presidente Camilo e outras alas também fizeram campanha. Também um passista destaque, todo de azul, que é um sambista nato e veio a frente a bateria junto na corte. Por fim, o principal destaque foi uma mini-rainha, com o vestido da bandeira do Brasil, esbanjando simpatia e samba no pé.

O presidente Camilo Augusto é muito conectado com a comunidade, passa por cada ala, setor, cumprimentando todos. Animando, pulando, ajudando na harmonia e evolução da escola, ditando o ritmo junto com os diretores.

- ads-

Mauro Quintaes estreia ‘Quintas Com Quintaes’ na TV Alerj

Fazendo parte das comemorações de seus 20 anos de fundação, a TV Alerj através de seu diretor geral, Luciano Silva, traz para a sua...

Rodrigo Meiners não é mais carnavalesco dos Gaviões da Fiel

A direção dos Gaviões da Fiel anunciou a saída do carnavalesco Rodrigo Meiners. Confira abaixo a publicação da escola. "Gostaríamos de informar que o carnavalesco...

Viradouro: arte do enredo de 2025 virá de Pernambuco

A arte do enredo da atual campeã do Carnaval do Rio de Janeiro será escolhida através de um concurso cultural promovido pela Viradouro em...