O operador de trânsito Fábio de Oliveira, 48 anos, foi convidado pelo Salgueiro para desfilar na escola no próximo carnaval. O agente viralizou nas redes sociais durante o ensaio de rua da agremiação na Rua Conde de Bonfim, na Tijuca. Com muito samba no pé e atenção, Fabinho, como é conhecido, foi gravado dançando enquanto organizava o fluxo de trânsito na região.

O convite partiu do presidente da agremiação, André Vaz, que acompanhou a repercussão dos vídeos e convidou o agente de trânsito, na última terça-feira, para conhecer o barracão da escola na Cidade do Samba. Com a convocação atendida, como Fabinho vai entrar na Avenida ainda é uma surpresa.

“A ideia surgiu logo após a repercussão das imagens. A gente viu a empolgação dele pela escola e por seu trabalho, e é disso que o Salgueiro precisa: de pessoas felizes, alegres, desfilando e lutando pela agremiação”, conta o presidente do Salgueiro.

Apesar de ser apaixonado por samba e carnaval, Fabinho nunca desfilou em nenhuma agremiação. Morador de São Gonçalo, ele realizava um trabalho temporário durante o ensaio de rua do Salgueiro, e disse que não conseguiu se conter ao ver a bateria Furiosa: “Vi eles se aproximando e pensei: “vou sambar junto”.

“Eu sempre gostei de sambar. Quando vi a bateria chegando, pensei: ‘se eu gosto, então também vou sambar, mas tenho que organizar o trânsito’. Prestei atenção no meu trabalho e dancei. Nunca imaginava toda essa repercussão. Eu sempre fui apaixonado por carnaval – desde moleque -, mas nunca desfilei. Perdia a noite para ver os desfiles e comecei a gostar ainda mais. É algo que vem da minha avó. Eu a levava para desfilar e buscar a fantasia, isso fez eu me apegar ainda mais. Eu gostava muito do Quinho. O ‘Explode Coração’ sempre mexeu comigo. É algo marcante”, explica o controlador de trânsito.

Mesmo com a repercussão positiva, inicialmente o medo de perder o ‘bico’ de agente de trânsito foi grande. Desempregado, o ‘agente-sambista’ usa o serviço para complementar a renda. Ele contou que a esposa estava em casa, foi pega de surpresa ao receber mensagens de amigos do casal e chegou a dar bronca. Apesar do receio, Fabinho não será prejudicado e nem vai receber punição da empresa de trânsito.

O convite foi aceito de imediato. Agora, enquanto o grande dia da estreia na Passarela do Samba não chega, Fabinho tenta se acostumar com o momento de fama, e promete muito trabalho e samba no pé durante os próximos ensaios de rua da Vermelho e Branco.

“Minha vida mudou, né? Recebi o convite e não pude recusar. Vou treinar mais um pouco, mas o samba no pé está em dia (risos). Agora vou me preparar e ver o que vai dar na Avenida. Por enquanto é surpresa, não sei de nada. Enquanto isso, vou trabalhar nos ensaios e, ao mesmo tempo, sambar”, diz.

A estreia de Fabinho na Marquês de Sapucaí vai se somar à luta da escola pela tão sonhada décima estrela, e já tem data marcada: Com o enredo “Hutukara”, do carnavalesco Edson Pereira, o Salgueiro será a terceira agremiação a desfilar na Marquês de Sapucaí no domingo de carnaval.