InícioSão PauloAcadêmicos do Tucuruvi supera problemas e componentes mostram felicidade em desfile

Acadêmicos do Tucuruvi supera problemas e componentes mostram felicidade em desfile

Tucuruvi foi a segunda escola a desfilar no sábado e cantou Bezerra da Silva. A escola da Cantareira fez essa homenagem e teve seu desfile marcado por ser a única homenagem a um artista em 2023. “Da Silva, Bezerra. A voz do povo!”. Ao CARNAVALESCO, integrantes contaram os bastidores.

Luan Caliel e Waleska Gomes (casal de mestre-sala e porta-bandeira)

“Foi bem difícil. Pegamos vento e pista molhada. Demorou um pouco para entrar, houve um atraso no começo eu tive que ficar muito tempo dentro da roupa. Mas superação, concentração, eu e o Luan em alguns momentos a gente nem sentia que tinha outras pessoas ao nosso redor. A gente passa por situações adversas, mas como a gente estava com a fantasia acaba sendo mais delicado. Infelizmente a gente tem que ter a maturidade de saber o que podemos controlar. Dentro das nossas condições fizemos o nosso melhor. Meu filho (Luan) teve uma grande atitude de mestre-sala “, disse.

“Quando chove e venta tudo muda. Viemos totalmente técnico e não teve muito o que fazer. Agora o trabalho foi feito. Estou muito feliz porque realmente foi um desfile de superação. Agora é aguardar”, completou.

Dione Leite (carnavalesco)
“Tucuruvi deu o seu espetáculo e a arquibancada veio junto. A comunidade vibra. Independente de todo o restante técnico. Nós trabalhamos durante muitos e muitos meses para que isso acontecesse. Eu e meu parceiro Yago Duarte sob a regência do Rodrigo Delduque, vice-presidente e diretor de carnaval. Foi árduo. Acredito que deu tudo certo, nós vimos uma escola passar limpa e sem erros. Espero que o jurado também tenha visto”, avaliou.

Carlos Júnior (intérprete)
“Dos 23 enredos, eu nunca peguei homenagem. Já vi vários, como Vai-Vai homenageou Elis, Tatuapé a Beth e caiu na minha graça falar de Bezerra que tinha uma música que amo, porque eu vim da rua. Se não fosse o pagode, eu não estaria aqui. Muita gente acaba saindo, o pessoal acaba oferecendo outras coisas nas ruas e acha certo. Eu fico muito grato de estar no samba e sendo exemplo para a minha família”.

- ads-

É a bateria do Zaca! Mestre Serginho se diz contente pela proposta diferente e conquista do Estrela do Carnaval

A “Bateria do Zaca” vive uma fase espetacular. É o segundo ano consecutivo em que a batucada comandada por mestre Serginho conquista os 40...

‘Reflete a alma e a ancestralidade que o Salgueiro tanto valoriza’, diz Jorge Silveira sobre o enredo para o Carnaval 2025

O carnavalesco Jorge Silveira falou sobre o enredo do Salgueiro para o Carnaval 2025, que foi divulgado na noite desta sexta-feira. Intitulado "Salgueiro de...

Conheça o enredo do Salgueiro para o Carnaval 2025

“De corpo fechado”: preparo o tacho de óleo de oliva, arruda, guiné, alecrim, carqueja, alho e cravo. Com o sinal da cruz na fronte,...