InícioGrupo EspecialA menina fez história! Com apenas 15 anos, Lorena Raissa vence concurso...

A menina fez história! Com apenas 15 anos, Lorena Raissa vence concurso e é a nova rainha de bateria da Beija-Flor

'Levarei a minha história, a história da minha família e a da família Beija-Flor', disse a campeã

A Beija-Flor de Nilópolis realizou na noite desta quinta-feira a final do concurso rainha de bateria, a vencedora foi a caçulinha dentre as competidoras, Lorena Raissa, de 15 anos. O concurso ‘Rainha da Comunidade’ teve, ao todo, 24 candidatas. Ao longo de cinco semanas, elas foram avaliadas pelo samba no pé, vivência com a Beija-Flor, postura, carisma, oratória, simpatia e elegância. Neste ano, o enredo da escola será “Brava Gente! O grito dos excluídos no bicentenário da Independência”, de Alexandre Louzada e André Rodrigues. Lorena Raissa frequenta a quadra desde a barriga da mãe, que é diretora de harmonia. E entrou no concurso junto com a irmã, Lorrayne. A coroação de Lorena está marcada para o dia 20 de outubro, data da final de samba da Beija-Flor.

Fotos: Luan Costa/Site CARNAVALESCO

Três candidatas participaram da grande final: Aieny Mendes, Flávia Custódio e a grande campeã, Lorena Raissa. A decisão foi dividida em duas partes, na primeira, as três candidatas estavam de traje de gala e responderam a uma pergunta de Selminha Sorriso, apresentadora do concurso, ao lado de Milton Cunha. Na segunda parte elas estavam fantasiadas de rainha de bateria e mostraram muito samba no pé.

Durante todo o concurso o júri foi composto de personalidades da Beija-Flor, além das ex-majestades Sônia Capeta, Neide Tamborim e Raissa de Oliveira. A última, inclusive, fez sua despedida oficial do posto que ocupou por 20 anos.

Dudu Azevedo, diretor de carnaval da escola falou sobre a importância da escola valorizar o chão da comunidade, Dudu pontuou que todas as finalistas tem condições de substituir a Raissa da melhor forma possível e que a comunidade vai apoiar.

“São 20 anos da Raissa à frente da escola, a frente da nossa bateria, mas eu acho grande lance disso tudo é a gente fincar o pé no nosso chão, mostrando que nossas artistas, nossas personalidades, vem daqui desse chão, a Beija-Flor sempre valorizando os seus, temos na final a Flávia Custódio que começou aqui jovem, 40 numa final, a Aieny com família toda dentro da bateria e a Lorena Raissa, família toda dentro da escola, a gente mostra aqui na Beija-Flor a gente reconhece o valor de cada um aqui no nosso dia a dia. É uma tarefa difícil, mas fica muito mais fácil quando tem a família em volta e a família Beija-flor eu tenho certeza que vai sustentar essa essa nova trajetória, esse novo reinado da próxima rainha”, disse Dudu.

Mestre Rodney, comandante da bateria Soberana ao lado do mestre Plínio, ressaltou a importância do concurso, para ele, esse é mais um passo da Beija-Flor mostrando que segue firme no reconhecimento de sua comunidade.

“É dar seguimento às tradições da escola de ter uma rainha da comunidade, a Beija-Flor preza muito por isso, de ter a gente do seu chão pra liderar, guiar, os seus súditos, nós vamos ser os súditos dela. A gente da muita, muita importância, você vê o tamanho que tomou esse concurso não só no Rio de Janeiro, mas no Brasil todo. Então, mais uma vez a escola tava certa nisso, é manter as tradições da escola”, disse o mestre.

História na Beija-Flor

“Eu nasci em 2007, e quis vir ao mundo em pleno ensaio técnico, quatro ônibus tiveram que parar para eu nascer na maternidade. Em 2013, eu fui o pequeno Beija-flor em uma coreografia, acho que até do Patrick Carvalho. Em 2014 eu entrei na ala das passistas, foi no enredo sobre o Boni. Em 2015, o falecido tio Laíla me colocou em um Abre-alas e foi uma coisa incrível para mim, uma emoção pois eu já pequeninha desfilando no carro Abre-alas. Era um dos meus maiores sonhos naquele momento. Passaram-se esses anos dentro da escola, em 2022, esse ano, eu fui representando Mercedes Batista no baile de passistas, no Terceiro Baile dos Passistas, e esse ano no concurso de rainha de bateria”.

Desfile inesquecível

“Para mim o desfile mais inesquecível foi 2018. Eu vim na ala dos Passistas, só que na ala dos passistas mirins em frente da ala das crianças. Foi pelo título, mas eu não sei explicar direito, teve algo diferente ali, sempre é emocionante estar pisando na Avenida, entrar em todos os anos, é emocionante, mas naquele ano para mim, eu senti que tinha um sentimento diferente. Fomos campeãs e foi incrível”.

O que representa ser passista e da comunidade

“Muita gente acha que é só sambar, mas é levar o amor pelo pavilhão. O samba, o carnaval, para algumas pessoas, ainda é mal visto, falam que é uma coisa muito adulta, que criança não pode participar, que fica feio, e usam algumas palavras inadequadas, mas o passista tem que levar o samba, mostrar que é uma cultura, uma dança, além de tudo, mostrar o que é amor pelo samba, pelo pavilhão e pela arte. Ser comunidade não precisa nascer ali dentro para ter amor pela Beija-Flor. A Beija-Flor recebe com muito carinho qualquer um. Para ser comunidade é você querer mesmo estar ali dentro, comunidade é o grupo de amados, um grupo de pessoas que amam, um grupo que está ali um por todos e todos por um e amar o pavilhão. Comunidade é estar ali sempre em todo o ensaio de quinta-feira, é tudo isso e mais um pouco”, define Lorena.

O que muda agora que é rainha

“Claramente vai mudar algumas coisas na minha trajetória, mas eu não mudaria nada, deixaria tudo do jeito que está, falar com cada pessoa do mesmo jeito, e ser quem eu sou, que é o que mais as pessoas querem de mim. Acho que só vai mudar algumas coisinhas”.

Referências

“Tenho muitas meninas, muitas mulheres maravilhosas, mas para mim é a Raíssa (Oliveira), a minha mãe, a minha irmã Lorrayne e a Mayara Lima. Minha mãe foi uma das primeiras passistas da Beija-Flor. A minha mãe, posso te dizer que a minha mãe é minha maior referência no carnaval. Nasceu ali dentro, foi criada ali dentro e está trazendo os filhos, os netos a passar por tudo que ela passou e vir ao mundo do samba como ela”.

Jogo rápido com Lorena Raíssa:
Time do coração: Flamengo
Samba-enredo predileto: “O monstro é aquele que não sabe amar” (Beija-Flor 2018)
Filme predileto: “Era uma vez”
Comida favorita: Estrogonofe
Lugar inesquecível que visitou: Cristo Redentor
Lugar que desejaria visitar: Disney
Carnaval é espaço para política: Sou muito nova para pensar nessas coisas

- ads-

Fotos: Tati Minerato é coroada rainha de bateria da Estácio de Sá para o Carnaval 2025

Tati Minerato, nova rainha de bateria da Estácio de Sá para o Carnaval 2025, apareceu vestindo um look super luxuoso na cor vermelha, cravejado...

Com a comunidade engajada, Tucuruvi veste o manto Tupinambá para o Carnaval 2025

O manto Tupinambá será a tônica da Tucuruvi 2025. Esse manto tem como significado a força dos ancestrais indígenas que habita em cada brasileiro....

Chegou o dia! Imperator recebe neste domingo a festa de premiação do Estrela do Carnaval da Série Ouro e Grupo Especial

O Centro Cultural João Nogueira, o Imperator, equipamento vinculado à Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa do Rio de Janeiro, recebe neste...