O Vai-Vai presente na exposição do Bicentenário na Fábrica do Samba. A agremiação marcou presença com duas passistas que mostraram muito samba no pé, a força da bateria Pegada de Macaco, seu principal casal, o intérprete Luiz Felipe que conversou com o site CARNAVALESCO logo após a apresentação.

“É uma coisa que a Liga une as escolas de samba e também enriquece a cultura. Muita gente só toca, canta, não conhece, não busca saber, então aqui dentro da Fábrica do Samba, é uma grande oportunidade de todo mundo conhecer o samba brasileiro”.

A apresentação no estilo Vai-Vai de ser

Vai-Vai é sempre uma escola de muito chão e mesmo com uma fase vindo de dois rebaixamentos para o Grupo de Acesso I, segue fazendo suas apresentações e espetáculos pelas casas de samba em São Paulo.

Não foi diferente na Fábrica do Samba. O intérprete Luiz Felipe, em recuperação de uma lesão sofrida jogando futebol, foi uma das atrações. Cria da casa, cantou sambas raízes da escola, movimentando trabalhadores e pessoas presentes. Ainda comandou a bateria por alguns momentos, e foi ‘harmonia’, da escola. Ao ser perguntado sobre funções variadas, o intérprete comentou: “Natural, uma coisa que a gente já faz há muito tempo. Mais uma apresentação para o nosso currículo, muito boa, infelizmente sem cavaco, que o carro dele quebrou na marginal. O Vai-Vai, 92 anos, a gente tem que saber alguma coisa. Está tudo tranquilo, Bicentenário enriquecendo nossa cultura popular brasileira”.

Um dos destaques da apresentação foi com certeza a dupla de passistas interagindo com uma criança, que ainda estava começando a andar, e não saia de perto da dupla. E muito samba no pé para ambas.

O casal que retornou recentemente para a casa, os irmãos Fabiola e Renato, deram um espetáculo no palco com muita dança e simpatia. Quando vieram para o chão, fizeram uma dança bem firme e dinâmica. Vale recordar que eles ficaram de 1998 até 2005 na escola, e saíram, para o retorno surpreendente em 2022, justamente na reedição do último desfile.

Encerrando semana da Consciência Negra, Luiz Felipe relatou: “Vai-Vai não vou falar que é a maior escola de samba com índice de negros do Brasil, mas é uma das maiores. Uma escola de negritude, de raiz africana, que é muito influenciadora neste quesito. Para nós é um mês importante, uma data importante, onde enriquece o negro e o samba brasileiro”.

Para 2023

A escola vai reeditar um enredo e samba que cantou em 2005, e Luiz Felipe explicou a escolha: “Eu também sou imortal, carnaval de 2005, vamos reeditar, é um samba que toda escola tem aquele samba que não ganhou, mas a escola ama e esse é um dos deles. Então, foi muito bem aceito pela comunidade, e pela crítica do carnaval paulista. E pretendemos fazer um grande desfile, alcançar nosso objetivo, assim como de todo mundo, é subir para o Grupo Especial”.

Programação

Pausa nas apresentações das escolas de samba. Pois neste sábado acontecerá o Evento do CD na Fábrica do Samba com as 34 escolas envolvidas. Adquira o seu ingresso no Clube do Ingresso.

A exposição do Bicentenário terá um horário especial para atendimento dos visitantes neste dia especial do carnaval paulistano. Porém as apresentações retornam na outra semana com a seguinte programação:

10/12, sábado
14h: Primeira da Cidade Líder

11/12, domingo
14h: Torcida Jovem

17/12, sábado
14h: Imperador do Ipiranga

Outras escolas podem aparecer na lista, como Unidos do Peruche que teve um imprevisto devido a falta de luz na Fábrica do Samba no domingo (27) e será remarcada.

Bicentenário — Contado por Enredos e Fantasias
Quando: a partir do dia 23 de outubro, de quarta a domingo, das 10h às 17h
Onde: avenida Dr. Abraão Ribeiro, nº 505 – Fábrica do Samba
Quanto: entrada e estacionamento no local gratuitos