Se depender da confiança dos moradores de Maricá, que vieram para o Rio de Janeiro desfilar pela escola, a União de Maricá tem grandes chances de ser campeã. Em entrevista ao site CARNAVALESCO, os componentes destacaram o orgulho que sentem ao estrear com a escola na Sapucaí.

Com o enredo “O esperançar do poeta”, a União de Maricá estreia na Sapucaí, com a comunidade local em peso na avenida, confiança não vai faltar para a escola.

A administradora Daniela Lourenço, de 39 anos, que também está estreando na Sapucaí, contou um pouco da preparação dessa estreia e a emoção desse momento.

“A emoção é grande, porque também é minha estreia na Sapucaí junto com a escola. E a gente está muito feliz, estamos entregando um trabalho maravilhoso da comunidade. Estamos desde o natal treinando, já que a nossa ala é coreografada. E estamos aí, dando o gás para a escola, pois Maricá é meu país, meu país é Maricá. A gente veio para poder permanecer. Dá para sonhar com o título esse ano com toda a certeza, a gente veio para isso”, afirma Daniela.

Katia Ximenes, doméstica de 49 anos, já desfilou na Sapucaí com outras escolas, mas revela que estar na avenida com a escola de sua cidade é diferente.

“Estou sentindo uma emoção muito grande. Porque eu sou do Rio, já desfilei na Estácio, Mangueira, Salgueiro. Mas a União de Maricá veio para a gente ganhar. E vamos ganhar, com certeza, Deus está com a gente, é campeã, certeira”, disse Kátia.

“Esse é o meu primeiro ano, está sendo muito gratificante e maravilhoso, é uma emoção enorme pela escola que está abraçando a nossa comunidade de Maricá, como já vinha fazendo. Estamos firmes e fortes, guerreando, com o foco na vitória sempre. Estamos aí acreditando no título”, contou o porteiro José Filho, de 35 anos.

Honra é a palavra que Margarete Azevedo usa para descrever o significado de representar a sua cidade no maior espetáculo da terra.

“Representar a minha cidade na Sapucaí é uma honra, mas não é a minha primeira vez aqui não, já desfilei pela Porto da Pedra e outras escolas. Mas é muita emoção para mim e para todos de Maricá que estão aqui, é importante para a cidade, Maricá merece. A escola está linda, vamos para as cabeças”, comentou Margarete, que é do lar e tem 63 anos.