Na noite do último sábado, a Tradição abriu as portas do seu ateliê de fantasias, no Santo Cristo, para lançar seu enredo 2024. Com a presença de convidados e gestores do carnaval, o Condor de Campinho anunciou Trono Negro como seu enredo em um coquetel sensorial e totalemnte tematizado. De autoria do carnavalesco Leandro Valente, que completa 10 anos à frente da plástica da azul e branca, a proposta apresentada vai muito além de um enredo. Como o artista definiu, é um ato político.

“No próximo carnaval a Tradição irá gritar por igualdade, resistência e amor. Trono negro é um enredo que narra a história de grandes reis e rainhas do continente negro. Mas, resolvemos desdobrar a narrativa e trazer a homenagem a todos os grandes reis e rainhas do povo. Não pertencentes a uma dinastia, mas que marcaram a história da humanidade nas artes, na ciência, na política e em todos os cantos. Notáveis pretos que brilham com potência e aplausos. Sou um carnavalesco branco, não tenho lugar de fala. Mas, a luta anti racista é dever de todos. Ser humano é abrir palcos para vozes ecoarem suas lutas. Abrirei meu desfile para que os donos da fala possam narrar suas histórias. Não será um enredo de dor. A proposta é mostrar conquistas, poder, soberania preta, grandes notáveis do asfalto e da favela, dos becos e vielas. O rei da quebrada, a rainha do morro, assim como os grandes líderes mundiais que lutaram e lutam bravamente por direitos iguais”, afirmou Leandro Valente.

Para a presidente da escola, Raphaela Nascimento, o enredo define a nova Tradição. “A nova Tradição é uma escola que lutará por ideias e exaltará o povo, a brasilidade e as comunidades. Abrir essa nova etapa e fase da escola com este enredo é uma honra. Grandes ícones como Nelson Mandela e Marielle estão presentes para nos ajudar a empretecer a avenida. Estou muito orgulhosa e já posso dizer que é um dos maiores enredos da Tradição, concluiu a presidente.

Em 2024, A Tradição será a sétima escola a desfilar pela Superliga do Rio de Janeiro, no dia 16 de fevereiro.