A Mocidade está pronta para lutar pelo título do Grupo Especial no Carnaval 2022. Podemos afirmar sem medo de errar que a Verde e Branco de Padre Miguel, pelos quesitos apresentados na Cidade do Samba, está muito forte para o desfile deste ano. Obviamente, ainda existe os quesitos plásticos e o fator “dia do desfile”, mas é inegável o trabalho competente feito pela agremiação sob o comando de Marquinho Marino, um dos principais diretores de carnaval do momento. * VEJA FOTOS

O samba-enredo, um dos melhores do ano, foi disparado o mais cantado pelo presente no local. Wander Pires, um dos maiores cantores da história, vive o seu melhor momento profissional e tem uma equipe muito bem alinhada e profissional no carro de som. Querido pelo público, o cantordeu mais um bonito show, dessa vez na Cidade do Samba, falou com o CARNAVALESCO sobre o evento.

“Essa festa foi maravilhosa. Uma coisa inédita aqui na Cidade do Samba. Foi muito emocionante, com muita garra, vibração e coração batendo forte. Eu acho que vinga, e vai melhorar ainda mais para os próximos anos. “A expectativa é grande, muita ansiedade. Mocidade é gigante. Com o trabalho que a gente está fazendo, vamos chegar entre as favoritas e para brigar pelo título”.

Marino ressaltou a importância de as escolas realizarem o evento após um contexto de dois anos de pandemia sendo fundamentais também na parte social das comunidades. “A iniciativa é espetacular. Nós passamos dois anos de muita pancada, de muita hipocrisia, de muita perseguição, e nós mostramos durante a pandemia inteira que nós temos consciência social. Nós sempre cuidamos dos nossos componentes, e dos componentes de todas as escolas como um todo. Nada mais importante neste momento do que a gente reafirmar a nossa posição e mostrar que o carnaval é a maior manifestação cultural do Rio de Janeiro e do Brasil. Respeitamos todos, entendemos todas as crenças e tudo que as pessoas acham importantes para suas vidas. Agora tem que respeitar o carnaval , porque nesses dias de desfile é uma prova da grandeza do carnaval e ninguém vai tirar. Pode ser por convicções políticas, convicções religiosas, nada vai tirar a força do carnaval. E o carnaval está provando isso aqui hoje”.

O diretor de carnaval também avaliou um pouco do desempenho da Mocidade no evento e a relação com o público que foi a Cidade do Samba. “Nós estávamos precisando disso porque é com calor humano, não só dos componentes, mas do torcedor, ele é o termômetro, ele que te mostra que o caminho está certo, se precisa melhorar. Você passar durante 50 minutos em um desfile e você, todos sem exceção, você olhava camisa de todas as escolas, e as pessoas estavam aqui pelo carnaval, não só pela sua escola, e você ver todo esse envolvimento, toda essa participação do povo, mostra que além do carnaval ter essa força que ninguém vai tirar, que a Mocidade está no caminho certo. Esse é um evento para a gente poder brindar o público e fazer com que os nossos componentes brinquem. Evidente que você passar em uma apoteose como essa, nos dá muita esperança de continuar o mesmo trabalho, fortalecer o que precisa ser fortalecido e a força do samba, do carro de som e dos componentes, da bateria, mostrou que nós estamos no caminho certo e a Mocidade sim, com todo respeito, com todo carinho, é sim postulante ao título”.

No mini-desfile foi arrebatadora a performance do casal de mestre-sala e porta-bandeira, Diogo e Bruna, que merecidamente receberam o reconhecimento dos Independentes pela qualidade da dança. Aliás, a porta-bandeira, que foi revelação em 2020 pelo site CARNAVALESCO, entra com todos os aplausos possíveis no hall de artistas que já representaram o quesito com muito sucesso na Mocidade, principalmente, nomes como Babi Cruz, Lucinha Nobre e Marcella Alves. O mestre-sala esbanja felicidade na dança. Sem dúvida, um dos principais casais do Grupo Especial.

“É uma sensação única. Eu acho que nem nos ensaios técnicos a gente conseguiu tanta vibração positiva como essa. Eu acho que veio para ficar. A Liesa, a prefeitura tem que manter essa tradição do público com a gente. Não pode desfile no pré carnaval não ter esse contato com o público de jeito nenhum . Eu estou saindo desse desfile magnificamente bem, positivamente perfeito. Muito obrigado Liesa, muito obrigado prefeitura, obrigado Mocidade”, comentou um eufórico Diogo Jesus.

Bruna Santos revelou que a dupla já apresentou alguma coisa que pretende levar para o desfile, como um momento coreográfico no trecho do samba que cantava “Ôh Juremê, Ô Juremá”. “É por aí, é por aí (sobre o passo). Mas, com certeza esse ensaio foi maravilhoso, deu a energia do carnaval, ainda mais com o calor do público. Foi uma coisa incrível, maravilhoso, parabéns a todos. E o ritmo é forte, agora só para no carnaval”, explicou Bruna.

Mestre Dudu e a “Não Existe Mais Quente” resgataram o ritmo da bateria mais esperada do carnaval. O comandante, que se prepara para um carnaval cheio de comemorações – além das homenagens que recebe no enredo e no samba, completa dez anos à frente da bateria da Mocidade – contou que era de se esperar o carinho do povo: “A Mocidade acertou na escolha do samba, e um bom samba é meio caminho andado. Nós nos preparamos para fazer esse belo trabalho, agora é segurar a expectativa para a hora do desfile”, explicou.

O mestre da “Não Existe Mais Quente” frisou que, apesar do resultado do último carnaval, quando a bateria perdeu dois décimos, a escola não vem mordida: “A homenagem à bateria da Mocidade no nosso enredo é a melhor resposta ao julgamento de 2020. A bateria não merecia aquelas notas, mas carnaval tem dessas coisas”.

Para Dudu, que recebeu na abertura do carnaval o carinho do mestre Sombra, da Mocidade Alegre, os mini-desfiles vão vingar: “Se depender de mim tem carnaval todo mês. O sambista precisa de eventos como esse”, concluiu.

A dupla de coreógrafos da comissão de frente, Saulo Finelon e Jorge Teixeira, com muito talento e competência, também já colocou seus trabalhos no ranking dos melhores da Mocidade. Na apresentação na Cidade do Samba, o grupo formado apenas por homens, ainda interagiu com o casal.

A Mocidade está completamente “areretizada” e sonha em deixar todo o carnaval assim e conquistar o caneco do Grupo Especial.

Participaram da cobertura: Alberto João, Gustavo Maia, Leonardo Damico, Lucas Santos, Nelson Malfacini e Rodrigo Madureira

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui