A Águia de Ouro conta com a dupla de intérpretes que já possuem uma longa história no carnaval e que juntos comandam o carro de som da agremiação da Pompeia. Por vezes com um terceiro elemento como foi neste ano com o Chitão e no ano do título em 2020 contou com Douglinhas, Tinga e Darlan Alves. Douglinhas Aguiar é uma das vozes mais marcantes do carnaval de São Paulo, e sua presença dentro do carnaval iniciou desde muito pequeno. Para o site CARNAVALESCO contou como foi o início no carnaval e na escola do coração.

Fotos: Fábio Martins/CARNAVALESCO

“Minha história no carnaval começou na Avenida Tiradentes ainda, tinha seis anos de idade, primeira escola que desfilei foi a Príncipe Negro, uma escola da Zona Leste, depois me mudei para a Vila Madalena, desfilei na ala das crianças da Pérola Negra. Em 1984, sai na bateria da Águia de Ouro e foi paixão à primeira vista”.

A relação do Douglinhas com a Águia de Ouro é longeva, mas viveu idas e vindas como contou: “Primeiro ano sai tocando na bateria lá atrás, depois em 89 fui cantar, convidado pelo presidente Sidnei Carrioulo, sai cantando junto com o intérprete da época que chamava Aureo Galloro, fiquei lá até 2005. Depois retornei em 2015 e essa é minha história na Águia de Ouro”.

Confiante no time montado para 2024, o consagrado intérprete paulista revelou: “Tem um time bom, robusto, esse ano demos uma reestruturada no time todo. Acredito que faremos um trabalho legal”.

E sem deixar de lado sobre as mudanças que foram impostas pela LIGA, onde o carro de som será julgado: “Gostei das mudanças, tudo que vem para beneficiar o samba, é válido. Não sabemos se vai acertar ou errar, mas precisa mudar”.

Como surgiu a parceria atual?

A parceria entre Serginho do Porto e Douglinhas é de longa data, mesmo tendo idas e vindas, sempre estiveram juntos na parceria. O intérprete carioca retornou ao Águia em fevereiro de 2022, após a saída do Tinga. Serginho contou para o site CARNAVALESCO sobre sua parceria com o Douglinhas.

“São 24 anos, cara, sabe o que é isso? É uma vida, são 24 anos de parceria, vim para o carnaval de São Paulo dia 10 de agosto de 2000, fazer o festival da Globo, juntamente com os puxadores do samba quando fui levado para o Águia de Ouro e fiz o samba exaltação ‘Bate forte o coração, que emoção’, dali em diante nós viramos uma parceria. O Douglinhas falou ‘você vem cantar comigo aqui?’, falei que só se ele for no Rio comigo. Então Douglinhas cantou no Império da Tijuca, na Estácio de Sá, Caprichosos de Pilares, então formou uma parceria muito grande, nós entendemos no olhar um do outro”.

Em relação ao carnaval de 2024, Serginho do Porto está bem confiante com a equipe montada: “Hoje a escola se resgatou dos dois cantores, fiz 19 carnavais pela escola, o Douglinhas quase 30, está de volta o Victor autor de enredos maravilhosos, então toda a equipe de carnaval que fez a escola sempre acontecer, está todo mundo junto. É o que estamos apostando”.