InícioSérie OuroAcadêmicos de NiteróiSossego tropeça em evolução e enredo, mas mostra-se competitiva

Sossego tropeça em evolução e enredo, mas mostra-se competitiva

Por Rodrigo Coutinho

O Acadêmicos do Sossego encerrou a primeira noite de desfiles da Série A com um rendimento satisfatório. Por mais que tenha errado em alguns quesitos, como evolução, alegorias e enredo, Compensou em outros – mestre-sala e porta-bandeira e rendimento do samba-enredo. Projetando um possível resultado final, dificilmente a Sossego ficará entre as últimas colocadas, mas também não deixou a impressão que brigará entre as primeiras. A comissão de frente também merece menção pela clareza da proposta.

Comissão de Frente

O grupo coreografado por Vinicius Rodrigues trouxe personagens ligados e diversas religiões e alguns intolerantes os confrontando. A figura central era o mexicano Jesus Malverde, uma espécie de ‘’Robin Hood’’ no país da América do Norte. O único porém fica pelo calçado do componente que representava um muçulmano. O tênis por baixo da roupa não tinha a ver com a proposta do personagem. A coreografia foi muito bem feita, repleta de sincronismo, e gerou fácil leitura ao público. As fantasias passaram longe do luxo, mas não comprometeram o conjunto do quesito.

Mestre-Sala e Porta-Bandeira

Um dos pontos altos do desfile! Marcinho é jovem, mas tem experiência na Marquês de
Sapucaí, inclusive defendendo bandeiras ‘’pesadas’’ como Unidos do Viradouro e Estácio de
Sá. Sua característica de bailado casou muito bem com a jovem Bruna Santos. Dançaram de forma elegante e entrosada. Ficou bem clara a cumplicidade no olhar e a interpretação
corporal do samba. A fantasia tinha leitura e certamente esteve entre as melhores da noite.
Luxuosa e bem executada!

Harmonia

Tirando as duas primeiras alas (Mar Sideral e Farol do Navio), que cantaram bastante o samba, as demais alas apresentaram rendimento irregular. O refrão principal contava com maior adesão por parte dos componentes, mas o restante era pouco cantado. As alas do último setor deixaram bastante a desejar neste aspecto.

Evolução

Numa noite marcada por alguns buracos, o Sossegou também abriu um bem considerável. Ele ocorreu no módulo, em frente ao terceiro carro, que apresentou dificuldade de locomoção ao longo do desfile. Tirando esse detalhe, houve irregularidade no ritmo da escola. Um início bem pausado, mas um final bastante corrido. Após a passagem da bateria em frente ao segundo recuo, a agremiação de Niterói praticamente não parou mais. Isso fez com que os componentes das últimas alas não evoluíssem de forma natural.

Enredo

Outro detalhe que deixou a desejar no desfile foi o entendimento do enredo. ‘’Não se meta
com minha fé. Eu acredito em quem quiser’’ é uma frase que deixa claro do que se trata o
tema, mas a relação do personagem Jesus Malverde com o restante da escola esteve confusa. A terceira e a quarta alegoria apresentaram algumas esculturas que não deixavam claro o intuito na defesa do carro alegórico. O mesmo aconteceu com a fantasia ‘’Pagadores de Promessa’’, da ala de passistas, e a ‘’A voz da escola pede paz’’, que vinha no último setor.

Samba-Enredo

O samba do Sossego não se destacou no pré-carnaval, mas contou com um bom desempenho na pista de desfiles. A dupla Guto e Juliana Pagung teve uma interpretação linear da obra. Conduziram o desfile de forma ‘’valente’’.

Fantasias

Não fosse por alguns problemas com os calçados das fantasias, principalmente das alas do
último setor, a avaliação seria positiva. O nível de acabamento e idealização esteve um pouco acima da média da Série A. As duas primeiras alas da escola se destacaram neste aspecto. A ala ‘’Casais Judeus’’ também elevaram o nível do grupo, assim como a nona ala – ‘’Devotos de Guadalupe’’.

Alegorias e Adereços

Com exceção do carro abre-alas, bem realizado e com bom acabamento, as outras três alegorias apresentaram falhas bem visíveis de acabamento e materiais não tão bem resolvidos plasticamente. O chapéu da escultura de Jesus Malverde estava danificado e com ferro à mostra em seu lado direito. A blusa do boneco da mesma escultura prejudicou o conjunto da alegoria. O quarto carro trazia uma escultura de uma mãe de santo com problemas de acabamento no pescoço, nos braços e na cabeça.

Outros Destaques

Envolvida em uma polêmica no período pré-carnaval, a agremiação trouxe uma faixa pedindo que o prefeito Marcelo Crivella respeite o carnaval. Dentro da temática do enredo, o objeto foi alvo de aplausos e recepção calorosa do público. Como já esperado, a famosa escultura do prefeito caracterizado como diabo, não desfilou.

- ads-

Grande Rio faz primeira reunião com a comunidade e presidente de honra crava: ‘2025 será incrível’

Depois de lançar o enredo que levará para a Avenida em 2025, a Acadêmicos do Grande Rio iniciou o trabalho junto a sua comunidade....

Porto da Pedra confirma Mauro Quintaes na equipe de 2025

A Porto da Pedra confirmou o nome do carnavalesco Mauro Quintaes no time de 2025. O artista, que assinará seu sétimo trabalho na vermelha...

Sinopse da Beija-Flor de Nilópolis para o Carnaval 2025

Enredo: “LAÍLA DE TODOS OS SANTOS, LAÍLA DE TODOS OS SAMBAS” INTRODUÇÃO / JUSTIFICATIVA "Veje bem", A importância do Laíla para o Samba e o Carnaval é...