A Liga Independente das Escolas de Samba de São Paulo, em parceria com a Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, fará a exposição “Bicentenário — Contado por Enredos e Fantasias”, entre outubro e dezembro de 2022, na Fábrica do Samba, que abriga os barracões das escolas de samba do Grupo Especial. Será uma curadoria de desfiles paulistanos que retrataram o tema ao longo dos anos. A proposta é uma experiência multissensorial e imersiva dos últimos 200 anos, através das
práticas carnavalescas.

Fotos: Lucas Sampaio/Site CARNAVALESCO

Para abrigar a exposição, nada melhor do que a Fábrica do Samba, onde nascem os sonhos de Carnaval das agremiações paulistanas. Os visitantes serão recebidos na entrada com alegorias temáticas de 3 e 5 metros de altura. Dentro do galpão, semelhante aos usados pelas escolas instaladas no complexo, serão 10 estações carnavalescas sobre o Bicentenário, além de visitas guiadas, espaços de vivência artística e shows das escolas de samba aos fins de semana. A entrada é gratuita e a classificação etária é livre.

O presidente da Liga-SP, Sidnei Carrioulo, enalteceu a criação do projeto e citou sua importância para renovação do público do carnaval das escolas de samba.

“O reconhecimento para nós é importante. Ouvi em algum lugar que um povo sem cultura é um povo sem identidade. Quero deixar bem claro que esse projeto tem uma unção muito maior do secretário do que pode se imaginar. Hoje a gente vai ter uma porta para que as crianças possam vir e ter mais conhecimento do samba. Essa visita periódica vai fazer com que elas tenham outra ótica do carnaval. Além de aprender de um pouco de história, vai ter aproximação da nossa cultura e do nosso samba. Isso é importante pra gente. Trazer cada vez mais esse público jovem que se aproxima do samba e que em momento nenhum tenha vergonha daquilo que a gente faz, pelo contrário, que sintam muito orgulhosos”.

Responsável pela curadoria do projeto, Lucia Helena da Silva, frisou a oportunidade que será receber por três meses o público para visitar a exposição na Fábrica do Samba. “O carnaval é um dos maiores contadores de histórias que nós temos. A gente leva enredos todos anos pra avenida falando de diversas coisas. Esse ano, na comemoração de 200 anos, nada mais justo do que contarmos a história do bicentenário através de alegorias e fantasias. A ideia nasceu de um bate-papo entre nós e as escolas. A Fábrica do Samba nunca foi aberta ao público além da gravação do CD. Nós vamos fazer o abre pela primeira vez para o público, vão ser três meses de exposição, eu tenho exposição externa com alegorias lindas explicando o que é o carnaval, eu tenho uma exposição interna com 10 espaços decorados fazendo um mergulho na história falando de enredos que falaram do carnaval, tenho espaço interativo e ainda vou ter show todo final de semana. É inédito. Nunca tínhamos conseguido isso”, explicou Lucia Helena da Silva, curadora e criadora do projeto.

Sérgio Sá Leitão, secretário da Cultura do Estado de São Paulo, reafirmou o apoio do governo para os desfiles das escolas de samba de São Paulo. “É importante dizer que carnaval é cultura, é assim que o governo do Estado enxerga. Mais que isso, carnaval é patrimônio cultural e material do Estado de São Paulo. O carnaval nos transforma, nos representa, e diz para o Brasil e para o mundo, o que é São Paulo, e a sua cultura”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui