InícioSérie OuroResistência é a marca da União de Jacarepaguá! Parceria de Valtinho Botafogo...

Resistência é a marca da União de Jacarepaguá! Parceria de Valtinho Botafogo vence disputa para o Carnaval 2023

De volta à Sapucaí, a União de Jacarepaguá definiu na noite do último domingo o samba-enredo que vai embalar seu desfile em 2023. A parceria é composta por Valtinho Botafogo, Victor Rangel, João do Gelo, Tem-Tem Jr., Marcelino Santos, Cláudio Matos, Diego Nicolau, Douglas Ribeiro, Phabbio Salvatt e Thiago Bahiano. A União de Jacarepaguá vai abrir o sábado, segundo dia de desfiles da Série Ouro em 2023, com o enredo “Manuel Congo e Marianna Crioula, os Heróis do Vale do Café”, que está sendo desenvolvido pelos carnavalescos Lucas Lopes e Rodrigo Meiners. * OUÇA AQUI O SAMBA CAMPEÃO

Fotos: Ingrid Marins e Lucas Santos/Site CARNAVALESCO

A parceria vitoriosa é encabeçada pelo compositor Valtinho Botafogo, que já venceu diversas disputas, inclusive, no Grupo Especial. Envolvido em outros concursos de samba, Valtinho teve que se desdobrar, mas para o carinho com que foi recebido na União de Jacarepaguá, ele espera ter retribuído com uma obra que faça a escola ter um grande retorno para a Marquês de Sapucaí.

“Foi minha primeira vitória na União, que deixa a gente da parceria, muito feliz. Quando a gente abraça a escola, a gente não tem essa coisa se é Especial ou não, o amor pelo samba faz a gente escrever para todas as escolas. Foi o primeiro ano na União, uma escola que me abraçou. Espero que seja a primeira vitória de muitas. Que esse samba bonito possa ajuda-lá a ter um retorno forte”, desejou o compositor.

Outra figura já conhecida do mundo samba e das disputas de samba-enredo, Diego Nicolau, outro nome da parceria, já havia vencido outras duas disputas de samba na União de Jacarepaguá. O compositor acredita que o enredo ajudou os artistas a produzirem uma grande obra

“A minha é a terceira vez . A escola escolheu um grande enredo, e o nosso samba trouxe para esse retorno uma possibilidade de ser alegre, de ser valente, mostrando superação e resistência”, definiu Diego.

Marcelino Santos, que também ganhou pela primeira vez, falou sobre o sentimento após uma disputa tão acirrada com outras três obras. “É uma satisfação muito grande e de muito orgulho. É meu primeiro ano disputando samba na União de Jacarepaguá e ganhar com os meus parceiros é uma sensação maravilhosa. A gente não tem noção do quão gratificante é ganhar o samba nessa escola que tá voltando agora para Sapucaí. É uma emoção muito boa pela escola. Saímos daqui campeão nessa noite e estou muito realizado”.

A diretoria da União de Jacarepaguá renovou com o carnavalesco Lucas Lopes, que assinou o enredo na qual a escola foi campeã da Série Prata, e trouxe Rodrigo Meiners, que forma a dupla responsável pelo desfile em 2023. Com uma responsabilidade maior ainda no próximo carnaval, manter a escola na Série Ouro, mesmo abrindo o desfile do segundo dia, Lucas Lopes falou como o enredo chegou para dupla e do que o samba campeão precisava ter para ajudar a União a fazer um grande desfile em 2023.

“Uma grande honra falar sobre essas duas personalidades que estão esquecidas. A pretensão de fazer um grandioso desfile, as coisas estão caminhando para um lugar tão maneiro. Vai ser um grande desfile, pode aguardar. A União vai surpreender. Acho que é garra , o samba que for ganhar tem que ter muita garra porque somos a primeira de sábado, uma responsabilidade bem grande, tem que ser um samba com a letra que se encaixe no enredo e que faça a União de Jacarepaguá crescer na Avenida”, garantiu Lucas.

Já para Rodrigo Meiners, estreando na escola, a recepção tem sido a melhor possível por parte dos segmentos e o artista se apoia no conhecimento que seu parceiro Lucas Lopes já tem da agremiação para desenvolver o trabalho em conjunto e acrescentar na busca do objetivo com boas ideias.

“Eu acho que o motivo de a gente trazer esse enredo é reconhecer a história de dois personagens fundamentais na libertação de vários escravizados na época do trabalho escravo na região do Vale do Café e Manoel Congo e Maria Carolina foram muito responsáveis pela libertação desses escravizados e não tem esse reconhecimento até os.dias de hoje. Eu estou muito feliz de poder fazer carnaval no Rio, já faço carnaval em São Paulo há algum tempo. A União de Jacarepaguá é uma escola muito familiar. Fui muito bem recebido e tratado pelo presidente seu Reinaldo, pela família dele, pela diretoria e o trabalho com o Lucas está sendo muito bom. O Lucas é um filho da União de Jacarepaguá, ele está aqui há muito tempo, foi ritmista, ala das crianças, assistente de carnavalesco até virar carnavalesco, então é um cara que já domina e conhece a casa e tem me ajudado muito neste processo de conhecimento e me recebido muito bem”, conta Rodrigo.

Retorno à Sapucaí gera necessidade de investimento maior no carnaval

Depois de sete carnavais desfilando na Estrada Intendente Magalhães, a União de Jacarepaguá vai voltar à Marquês de Sapucaí em 2023. Ciente do aumento da responsabilidade e da necessidade de investimentos, o presidente Reinaldo Bandeira reconhece as dificuldades, mas acredita que a escola está no caminho certo para fazer um grande desfile.

“O caminho da escola está certo, só houve necessidades de se acrescentar mais algumas coisas, pois você sai de um carnaval da Intendente Magalhães para um carnaval da Marquês de Sapucaí. A mudança é brusca, você tem que investir mais, o trabalho aumenta muito, o número de componentes. Mas a União de Jacarepaguá está se preparando e pode ter certeza que vamos fazer um belíssimo espetáculo”, acredita Reinaldo.

Sobre o enredo, o mandatário confia na singularidade do tema e no trabalho a ser desenvolvido pelos carnavalescos Lucas Lopes e Rodrigo Meiners, antes da disputa o presidente Reinaldo também falou em entrevista ao site CARNAVALESCO sobre o que em sua opinião o samba campeão precisava ter para impulsionar a escola no carnaval 2023.

“A União de Jacarepaguá está se preparando agora para o carnaval de 2023, está vindo com um belíssimo enredo dos carnavalescos Rodrigo e Lucas. E a gente vai fazer com certeza um excelente trabalho , mesmo com todas as dificuldades. Mas, todas as escolas estão passando por isso. Mas nós estamos unidos com a nossa comunidade.O samba campeão tem que ser um samba valente , forte e que esteja dentro das convicções dos carnavalescos, pois são eles que definem”.

O diretor de carnaval, Camarão Netto, também falou sobre o desafio de voltar à Série Ouro e sobre a proposta de enredo. “Agora temos muito trabalho pela frente. A União de Jacarepaguá retorna a Série Ouro depois de oito anos. Acredito que vamos fazer um belo trabalho durante os ensaios, um belo desfile com esse hino que foi escolhido hoje. A nossa bateria e todos os segmentos também, pela regência do nosso presidente Reinaldo Bandeira. Ele é experiente, não só com o carnaval, mas com a gestão da nossa escola.Os nossos carnavalescos trouxeram a proposta do enredo afro para a escola e a gente está levando essa história de resistência de dois líderes e heróis. A União de Jacarepaguá está falando de dois heróis”.

Camarão também falou sobre a agenda de ensaios. “A agenda de ensaios vai ser lançada a partir da próxima semana. Vamos ter uma reunião com o presidente para podermos ver uma data boa que não choque com o calendário de nenhuma outra co-irmã. Não perder o excesso de contingente, porque o carnaval de modo geral até o último grupo de avaliação sofre ainda com essa questão da pandemia, tanto como a do contigente”.

Mestre Marquinhos prepara mudanças para desenvolver melhor trabalho 

Completando 15 anos como mestre de bateria em 2022, com 20 anos de história dentro da escola, mestre Marquinhos terá o desafio de preparar a bateria Ritmo União para uma mudança bastante extrema na apresentação, saindo da Estrada Intendente Magalhães para o desfile na Marquês de Sapucaí. Marquinhos fala sobre o desafio e como pretende superar as dificuldades que podem aparecer.

“É a realização de um sonho estar retornando para a Série Ouro. Cheguei aqui em 2002, peguei o auge da escola que foi o quarto lugar em 2004, e também peguei os decessos. Agora voltamos e com muito prazer e orgulho continuo fazendo parte desse time de volta à Sapucaí. Vamos mudar praticamente tudo, porque além de uma mudança de local, é também uma mudança de contingente. O trabalho irá continuar com a mesma seriedade, mas a quantidade de ritmistas vai aumentar. Logo, a responsabilidade será maior”.

Mestre Marquinhos também falou sobre o enredo e de como pode aproveitar a temática afro para as bossas. “Foram quatro belas obras, e a que se consagrou vencedora vai representar bem a nossa escola no retorno a Sapucaí. Esse enredo é histórico, uma história que não está nos livros. E acredito que o público vai gostar de conhecer a história desses dois heróis da liberdade. E irá ser um aprendizado durante os 50 minutos de desfile da escola.Em relação às bossas, fica muito na questão do padrão. Afro tem que ter um atabaque, um timbau. Eu particularmente não gosto de seguir por essa linha, passo tudo em cima dos instrumentos usados pela bateria. Nós não vamos fugir do tradicional, porém não vamos fazer o tradicional”, explica o mestre de bateria da Ritmo União.

Intérpretes valorizam a temática do enredo

Dupla formada para o carnaval 2023, Luiz Paulo Jr, que defende o microfone da União de Jacarepaguá desde 2020, terá a companhia de Bico Doce no próximo desfile. A dupla falou sobre a importância de um enredo que valorize a contribuição de duas figuras pretas na resistência e na ancestralidade como Manuel Congo e Marianna Crioula.

“Nosso enredo tem uma cultura ancestral, traz a essência preta para a nossa escola. É muito importante falarmos sempre do resgate, da ancestralidade, da liberdade principalmente. A expectativa para voltar a Sapucaí é a melhor possível. Agora tenho um parceiro”, afirmou Luiz Paulo Jr.

“Estou bem feliz com esse enredo. Até porque é meu primeiro ano na escola e desfilar com esse enredo maravilhoso é muito importante. Sou cantor, sou um homem preto de resistência e para mim é muita alegria e remete muita coisa desfilar nessa escola com esse enredo.Voltar para a Sapucaí com a União de Jacarepaguá é uma alegria. Graças a Deus, eu e Luiz Paulo estamos fazendo uma dupla fenomenal. Ele é um menino muito família, eu costumo dizer que sou metido a velho, mas sou novo. Fazer essa dupla fez com tivéssemos uma amizade muito boa, é a maior alegria estar aqui e junto com esse menino”, definiu Bico Doce.

Uma dupla que está animada para voltar a dançar junto na Sapucaí pela União, é o primeiro casal de mestre-sala e porta-bandeira, Rogério Jr e Natália Monteiro. Renovados após o carnaval campeão de 2022 na Intendente, a dupla que já se apresentou pela Verde e Branca de Jacarepaguá no passado na Sapucaí, sabe que a responsabilidade aumentou, mas encara com muita alegria este novo momento.

“A responsabilidade aumenta consideravelmente, e a expectativa é a melhor possível porque é algo que nós já estávamos projetando há muitos anos. Quando estive fora , eu vi que foram feitas muitas injustiças, a escola caiu fazendo desfiles que era pra ser campeã. Mas o importante é que a escola voltou para o lugar de onde nunca deveria ter saído. O enredo é muito forte, uma história riquíssima. E a gente vai vir com bastante garra, isso eu posso te dar toda certeza”, entende Rogério Jr.

A porta-bandeira Natália Monteiro falou ao site CARNAVALESCO de como está essa preparação para o desfile do próximo carnaval e acredita que o enredo, mais uma vez com a temática afro, vai ajudar o trabalho da dupla no desenvolvimento dos movimentos.

“É um leque muito grande de formações, movimentos que a gente pode utilizar afro, a gente não saiu do segmento afro, continuamos, então ajuda muito . E a preparação acontece segunda, quarta e sexta, bastante para intensificar mais para frente. E o nosso objetivo é buscar a nota quarenta. A gente tem conversado muito com o carnavalesco sobre a fantasia, vai ter muita surpresa boa, acredito que vocês vão gostar muito, mas é surpresa” .

Agora comandada por trio, comissão de frente já começa a ser desenvolvida 

Em 2023, a comissão de frente da União de Jacarepaguá será desenvolvida pelo trio Naty Menezes, Márcio Vieira e Fabrício Ligeiro. Naty Menezes fala da responsabilidade de abrir o carnaval da escola em uma noite em que a agremiação já abre os desfiles.

“Eu acho que é responsabilidade em qualquer lugar. A responsabilidade de representar a União de Jacarepaguá , o nome , o tamanho dessa escola é um peso pra gente carregar. E abrir o desfile na segunda noite, com um monte de escola grande, dobra, mas estamos bem equipados somos três e estamos pensando em uma comissão de frente incrível, queremos ganhar todos os prêmios”.

“Agora a gente está criando a comissão, a gente tem muito o conceito do que é o trabalho, a gente está desde junho pesquisando e são três cabeças pensantes, uma loucura. Mas o resultado final é incrível. Com muita dança e representatividade que é o que fala o enredo”, explicou Fabrício Ligeiro.

Já Márcio Vieira resolveu ressaltar a importância que o enredo tem, trazendo uma história repleta de simbolismo e representatividade.

“É um enredo que está dando voz, pra gente resgatar uma história que foi apagada, então é mais do que importante uma escola de samba falar sobre isso. Voce exaltar os heróis negros nesse momento tão dificil que a gente vive eu acho que a União está levantando uma bandeira mais do que necessária”.

Como foram as apresentações das parcerias finalistas

Parceria Valtinho Botafogo: A primeira parceria trouxe balões nas cores da escola com uma estrela dourada na ponta. O cantor Tem-Tem Jr foi o responsável por comandar o samba da parceria com a energia já conhecida e procurando animar os integrantes da torcida que faziam coreografia principalmente no refrão do meio. No refrão do meio também ocorria um dos trechos entoados com mais força, em “Lá nos cafezais ” , assim como no refrão principal, no trecho “Firma Ponto, eu quero ver/ vai ter batuquejê”, havia maior empolgação na quadra que no geral respondeu muito bem a obra. Foi a parceria com mais integrantes na torcida também.

Parceria Roni Oliveira: A segunda parceria a se apresentar trouxe Lequinho para representar os intérpretes e entoar a obra. Antes do início da contagem a torcida já cantava o samba a plenos pulmões. Os torcedores trouxeram um bandeirão com as cores da escola e faziam coreografias debaixo do pano. Foi a parceria com menos integrantes na torcida.

Parceria Dona Ivanisia: A parceria de Dona Ivanisia foi representada pela voz de Tuninho Júnior que comandou o time de intérpretes. O samba teve uma boa resposta da torcida que veio munida de bandeiras e cantou o samba com força, o intérprete na primeira passada deixou boa parte da obra a ser cantada pelos torcedores que sustentaram o canto O refrão principal se destacava como o trecho mais cantado. Antes da participação, a parceria fez questão de ressaltar suas raízes com a escola. A torcida foi uma das mais animadas da noite e tinha o samba na ponta da língua.

Parceria Fred Lima: A última parceria a se apresentar trouxe para comandar o samba Leléu e Maninho, intérpretes experientes com passagens recentes pelo Grupo Especial, e talvez por isso, o time de intérpretes tenha se destacando trazendo bastante força para o samba que se apresentou de forma bem valente tendo boa resposta da torcida que em alguns trechos segurou sozinha.O destaque também ficou para uma performance executada por dois integrantes que estavam na frente da torcida, executando passos marcado com grande intensidade.

- ads-

É a bateria do Zaca! Mestre Serginho se diz contente pela proposta diferente e conquista do Estrela do Carnaval

A “Bateria do Zaca” vive uma fase espetacular. É o segundo ano consecutivo em que a batucada comandada por mestre Serginho conquista os 40...

‘Reflete a alma e a ancestralidade que o Salgueiro tanto valoriza’, diz Jorge Silveira sobre o enredo para o Carnaval 2025

O carnavalesco Jorge Silveira falou sobre o enredo do Salgueiro para o Carnaval 2025, que foi divulgado na noite desta sexta-feira. Intitulado "Salgueiro de...

Conheça o enredo do Salgueiro para o Carnaval 2025

“De corpo fechado”: preparo o tacho de óleo de oliva, arruda, guiné, alecrim, carqueja, alho e cravo. Com o sinal da cruz na fronte,...