InícioSérie OuroIlhaReedição de ‘Fatumbi’ terá linguagem e estética diferenciadas do desfile original

Reedição de ‘Fatumbi’ terá linguagem e estética diferenciadas do desfile original

A União da Ilha do Governador quer fazer a Sapucaí tremer novamente para Fatumbi. No próximo carnaval, a tricolor insulana irá reeditar o tema originalmente apresentado pela própria escola em 1998. Na ocasião, o trabalho teve a criação e a assinatura de Milton Cunha. Agora, o novo desfile ganhará vida através das mãos de Cahê Rodrigues e Severo Luzardo.

“Assim como Milton já deu várias declarações, nós estamos muito honrados em poder reeditar uma obra tão linda, tão emocionante e tão necessária. Uma obra que foi levada para Avenida pelas mãos do Milton Cunha, que é um artista que eu tenho profundo respeito. Poucas pessoas sabem, mas eu trabalhei com Milton na Beija-Flor e depois eu tive uma oportunidade também na Ilha, inclusive no ano de ‘Fatumbi’, que eu cheguei a fazer alguns desenhos para ele. Tenho um profundo respeito pela obra do Milton”, declarou Cahê Rodrigues, em conversa com o site CARNAVALESCO.

A dupla de artistas que será responsável por desenvolver o novo desfile em tributo ao fotógrafo Pierre Verger, ou simplesmente Fatumbi, falou com a nossa reportagem sobre a tarefa de reeditar um desfile que entrou para história da Ilha e que marcou época na folia carioca. Segundo eles, o processo de escolha do tema contou com a participação do presidente executivo da escola Djalma Falcão, dos diretores de carnaval Dudu Azevedo e Wilsinho Alves, além deles, os carnavalescos da agremiação.

“Já existia um desejo de uma reedição. Em um primeiro momento foi cogitado ‘Festa Profana’, mas a escola na verdade nunca oficializou, era só uma sugestão de reedição. Mas ‘Fatumbi’ sempre passeou nas conversas, sempre foi um desejo, tanto meu, quanto do Severo. A gente tinha essa vontade de levar novamente para Avenida um enredo tão importante, com um samba tão forte, como foi ‘Fatumbi’. Então, a decisão de escolha foi um conjunto com os carnavalescos, a direção de carnaval e o presidente”, assegurou Cahê.

Questionados sobre o que seria mantido e o que seria alterado do desfile original para esta reedição, a dupla relatou que não houve uma conversa aprofundada acerca de como será o desenvolvimento desta nova apresentação de “Fatumbi”. “Ainda não conseguimos trabalhar neste projeto direito. Até o momento, temos apenas o enredo em si que foi lançado”, contou Severo Luzardo.

“Temos muitos caminhos a trilhar para poder roteirizar esse novo desfile, uma vez que ele vai acontecer na Série A. Vamos ter de encarar certas limitações, como o número de alas e de alegorias, mas podem ter certeza que a dedicação, o respeito, o comprometimento a arte e a um tema tão importante vai ser respeitado. Vamos traduzir isso com uma nova linguagem, uma nova estética, de forma muito respeitosa”, complementou Cahê.

O próximo carnaval irá marcar o primeiro trabalho dos dois artistas em conjunto. Ambos com uma longa trajetória na festa e um currículo repleto de êxitos. “Eu e o Cahê nunca trabalhamos juntos. Então, só vamos ter uma noção real de como vai funcionar a divisão dos trabalhos quando formos chamados para iniciar o projeto. Aí é que vamos entender a parceria”, disse Severo. “A gente tem uma estética muito próxima, temos gostos muito parecidos e a sintonia de um para o outro é muito importante”, avaliou Cahê.

Sobre a falta de previsão relacionada a quando e como acontecerá o próximo carnaval, Severo Luzardo comentou que isto afeta o início dos trabalhos. “Nós temos que esperar as definições acerca de como irá funcionar o desfile para iniciarmos um projeto. Assim, fazemos algo já dentro dos balizadores propostos”, avaliou.

Cahê Rodrigues seguiu a mesma linha de raciocínio de Severo, mas garantiu que mesmo com as indefinições a criação não para. “Ninguém tem ainda noção de quando vai acontecer o próximo carnaval, em que data, como será esse futuro carnaval. É claro que, na medida em que a Lierj se posicionar em termos de regulamento, a escola vai respeitar as normas, não tem jeito. A princípio, nós estamos pensando no processo criativo, para só depois adaptar ao que o regulamento permitir para o futuro carnaval”, finalizou.

- ads-

Compositores do Tucuruvi festejam Estrela do Carnaval de ‘Melhor Samba do Especial de SP em 2024’

Muitos pensam que o encerramento dos desfiles de escolas de samba de São Paulo em 2024 não teria arquibancadas cheias nem emoção já na...

Flávio Campello celebra prêmio Estrela do Carnaval de 2024 da Tom Maior: ‘Nossa escola tem uma alma guerreira’

No carnaval de 2024 a Tom Maior realizou no Sambódromo do Anhembi um desfile que se destacou pela exuberância plástica. A criatividade no uso...

Rock in Rio e Diogo Nogueira levam projeto do Clube do Samba para o Global Village

Novidade na Cidade do Rock, o Global Village vai emocionar todo o público presente nesta edição que celebra os 40 anos de história do...