InícioGrupo EspecialMocidadeRadiante pelo samba feito para Mocidade, Sandra de Sá ressalta força e...

Radiante pelo samba feito para Mocidade, Sandra de Sá ressalta força e história de Elza Soares

Por Gabriella Souza

Sandra de Sá e Elza Soares são duas cantoras emblemáticas da música brasileira, suas histórias como cantoras negras e cariocas se relacionam. Ambas transitaram por diversas vertentes da música popular brasileira e marcaram suas vozes como personalidades sempre rememoradas da ‘black music’ nacional e mundial. No desfile de 2020 da Mocidade Independente de Padre Miguel a homenagem para Elza mexeu com Sandra de Sá. Após disputar o concurso de samba-enredo e vencer, a amiga está radiante com o sucesso da obra que conquistou os torcedores independentes e a própria homenageada. (Fotos: Eduardo Hollanda)

“Sempre que posso falo com ela, fizemos um programa em que nos encontramos depois da vitória e pude cantar o samba pessoalmente para ela. E foi um momento lindo. Elza é incrível e agradeço a Deus por tudo isso”, conta Sandra de Sá.

O refrão forte e que remete a uma saudação a Exu, ‘Laroyê e Mojubá’ faz referência ao trabalho de Elza que desmistifica a figura de Exu em algumas canções, como ‘Exú Nas Escolas’ e com uma referência a religiões de matriz africana. Sandra conta como foi o processo de criação do samba com seus parceiros.

“Cada pessoa que estava participando do processo pensava sua parte, sua ideia e depois todos nós nos encontrávamos lá na minha casa. A gente discutia e adicionávamos algumas coisas, naquela mesmo de ‘bota palavra, tira palavra’, insere uma expressão. Foi aquele processo mesmo tradicional de composição em que tudo ocorreu e veio a nascer esse samba”, diz.

A canção que destrincha a história de Elza em uma letra trabalhada e poética faz referência a diversas fases e episódios de vida da ‘Deusa da Vila Vintém’. A composição sofreu algumas alterações pela diretoria da escola, após sua escolha, para contribuir na fluidez e facilitar o canto da comunidade. Sandra fala ainda sobre a emoção de escrever um samba em homenagem Elza Soares e ainda mais, para a Mocidade. O enredo foi muito esperado pela comunidade e ganhou força após a Mocidade conquistar o título em 2017. O povo de Padre Miguel que ‘esperou tanto para revê-la’, como cita a letra, acolheu bem a composição.

“Eu fiquei ‘maluca’ de ter ganhado e estou até hoje. Porque eu nunca participei disso, desse processo de disputa em uma escola de samba. E foi muito legal porque quando surgiu o convite para participar da construção desse samba eu falei que não queria só assinar a letra, mas sim estar participando de todo o processo, fazer o samba junto e também ir nas disputas na quadra. E foi o que aconteceu e tudo ainda me emociona muito. E bom, fora tudo isso, é Elza Soares não é? Incrível!”.

Após a vitória e escolha de seu hino a Mocidade deu início a sua preparação de carnaval com a gravação da canção e os ensaios com a comunidade. Sandra que foi muito bem acolhida pela escola, ganhou um novo lar na verde e branco e diz que a parceria não será desfeita e que pretendem seguir para outros anos.

“Essa parceria fechou mesmo, se Deus quiser ainda vem muita coisa por aí. Amo meus parceiros, eles me respeitam muito mesmo, são pessoas incríveis e estou apaixonada de verdade por eles e por tudo isso. E vamos fazer ainda muita coisa”, conta.

A composição é ‘de casa’, já que possui a assinatura de diversos compositores com trajetória na escola e de Igor Vianna, filho do memorável ex-intérprete da escola Ney Vianna. O modelo de disputas em etapas e eliminações é adotado por anos na verde e branco da Zona Oeste, visto a grande quantidade de parcerias concorrentes. Para o carnaval de 2020 foram 23 composições selecionadas para a disputa, evento esse que movimentou a quadra ‘antiga’ da Mocidade. Sandra achou justa essa forma de disputa.

“Gostei bastante desse modelo de disputa adotado na Mocidade e em outras escolas, os sambas foram se apresentando, sendo eliminados por votos e passando por todas essas etapas, de uma forma justa para todos os envolvidos”, ressaltou.

O encontro de Sandra e Elza será mais um vez revivido, agora para o público  independente, na quadra da Mocidade na Avenida Brasil, também conhecido como ‘Maracanã do Samba’. As duas cantoras farão um show conjunto no ensaio show da escola, o ‘Divas In Concert’ neste sábado.

- ads-

Mestre Ciça define título de 2024 como o mais importante da carreira

Na Viradouro desde 2019 nesta passagem, mas também comandando a Furacão Vermelha e Branca no período de 1999 a 2009, mestre Ciça trata com...

Império Serrano anuncia que Darlin não é mais rainha de bateria da escola

O Império Serrano anunciou nesta sexta-feira que Darlin Ferrattry não segue cono rainha de bateria para o Carnaval 2025. Veja o comunicado da escola. "A...

Carnavalescos da Grande Rio promovem visita mediada em exposição neste sábado

Neste sábado, 02 de março, às 14h, acontecerá uma visita mediada pela exposição "Laroyê, Grande Rio!", em exibição no Museu de Arte do Rio,...