Durante a campanha em 2020 para Prefeitura do Rio, o candidato Eduardo Paes prometeu devolver o apoio municipal para o carnaval e também ajudar mais na subvenção fundamental para que os desfiles sejam realizados. Agora, em 2022 para o Carnaval 2023, ele garantiu um apoio recorde para todas 12 agremiações do Grupo Especial do Rio de Janeiro. As escolas do Acesso também vão ser apoiadas.

Foto: Prefeitura do Rio/Beth Santos

Como publicado no Diário Ofical cada escola de samba receberá R$ 2,15 milhões. Segundo o jornal O Globo, a subvenção será dividida em três parcelas: duas pagas ainda em dezembro e uma menor após os desfiles. O valor que está “carimbado” como subvenção só pode ser utilizado para produção dos desfiles, e, dentro dele são R$ 150 mil para o ensaio técnico. Para os desfiles de 2022, cada agremiação da Série Ouro, por exemplo, recebeu R$ 800 mil.

Os desfiles em abril de 2022, nos feriados de Tiradentes e São Jorge, impulsionaram a arrecadação da Prefeitura do Rio de Janeiro com o Imposto Sobre Serviços (ISS), que incide prestação de serviços realizada por empresas e profissionais autônomos. O valor recebido em maio, referente ao mês de abril, foi de R$ 17 milhões. Segundo o “Relatório Carnaval de Dados”, feito em parceria com a secretaria municipal de Desenvolvimento Econômico, Inovação e Simplificação, lançado em fevereiro de 2022, o carnaval carioca movimenta R$ 4 bilhões na economia da capital, o dobro do valor registrado dez anos antes.

Segundo estudo do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (FGV IBRE), o Carnaval representa 1,4% do PIB carioca. A economia do Rio de Janeiro movimenta R$ 4,4 bilhões provindos de gastos dos turistas brasileiros (88%) – levando em consideração uma permanência média de 6,6 dias, e gastando em média R$ 280,32 por dia –, e estrangeiros (12%), durante 7,7 dias, com gasto médio de R$ 334,01 por dia. Existe ainda impacto decorrente de gastos dos próprios cariocas que alcançaria pouco mais de R$ 1 bilhão.