InícioSérie OuroBanguPrincesas eleitas, da Mangueira e Unidos de Bangu, celebram representatividade na Corte...

Princesas eleitas, da Mangueira e Unidos de Bangu, celebram representatividade na Corte do Carnaval do Rio 2024

Bruna dos Santos Gomes Menezes e Ana Carolina de Souza foram nomeadas para o cargo após terminarem competição na segunda e terceira colocação, respectivamente

Após cinco etapas e um mês de competição, o concurso para eleger a Rainha do Carnaval do Rio de Janeiro de 2024 chegou ao fim nessa sexta-feira. A microempreendedora Gabriella Mendes Medeiros, de 20 anos, candidata da Mocidade Independente de Padre Miguel, foi quem se sagrou vencedora da disputa e conquistou a coroa maior. A segunda colocação ficou com a dançarina Bruna dos Santos Gomes de Menezes, de 18 anos, representante da Estação Primeira de Mangueira; enquanto a esteticista Ana Carolina de Souza, de 33 anos, da Unidos de Bangu, terminou em terceiro lugar. Com isso, as duas também irão integrar a Corte da folia carioca no ano que vem, ocupando os postos de primeira e segunda Princesa, respectivamente. Logo após o anúncio do resultado, a reportagem do site CARNAVALESCO conversou com Bruna e Ana Carolina sobre a emoção de conquistar uma das vagas.

Fotos de Nelson Malfacini/CARNAVALESCO

“Estou em êxtase ainda. Muito feliz, extremamente grata, honrada em estar na Corte, independente de ser segunda Princesa, primeira Princesa ou Rainha. Claro que almejamos muito a coroa maior, mas estou feliz com a vitória da minha amiga Gabi Mendes e de poder estar com ela. Me sinto realizada, muito feliz mesmo, e espero que tenhamos um ótimo reinado. Que possamos levar muita alegria, muita verdade e também o que a gente tem de melhor para dar, que é o nosso samba no pé”, afirmou Bruna.

Bruna dos Santos Gomes de Menezes, de 18 anos, representante da Estação Primeira de Mangueira

“Quando eu cheguei neste palco, eu já me senti uma rainha. Foram 106 meninas maravilhosas trazendo um pouco da sua história, da nossa categoria passista, sambistas profissionais, e a sua bandeira. Muitas escolas que não eram tão conhecidas, hoje puderam mostrar quem são. Então, por tudo isso, já me sinto lisonjeada. Independente da coroa, estar fazendo parte da Corte e podendo representar todas essas meninas que passaram aqui e também deixaram sua história, cada uma com sua particularidade, é algo incrível”, declarou Ana Carolina.

Esteticista Ana Carolina de Souza, de 33 anos, da Unidos de Bangu

Bruna dos Santos, também conhecida pelo apelido carinhoso de Bruneca, iniciou a trajetória na folia em 2015, na Mangueira do Amanhã. Posteriormente, ela chegou ao posto de primeira princesa da agremiação mirim, até fazer a estreia na ala de passistas da escola mãe, a Mangueira, em 2023. Agora como a mais nova integrante da Corte do Carnaval, a jovem fez questão de enaltecer a representatividade dessa composição da realeza momesca para o ano que vem, na qual todos os membros são oriundos de comunidades de escolas de samba.

“Me faltam palavras para descrever o que isso representa. É algo de extrema importância para nós, passistas, estarmos neste palco. Só de participar já é extremamente importante. Acredito que a gente esperou muito tempo para isso acontecer, que é uma Corte totalmente de passistas, de sambistas de verdade. Então, estou muito feliz com essa nova roupagem que a Riotur implementou de fazer esse concurso voltado para as passistas, para as meninas de comunidade mesmo, de dar essa oportunidade para todas. Até as que não estão na Corte, acredito que tenham sido ajudadas por esse modelo, afinal ganharam visibilidade. Além disso, fez as outras acreditarem que realmente elas podem, como eu posso e sou a primeira Princesa hoje”, avaliou.

Conhecida pelo nome artístico de Carol Padilha, a nova segunda Princesa da folia carioca desfila há 11 anos na Unidos de Bangu. Na vermelha e branca, ela já atuou em diferentes funções, indo desde integrante da comissão de frente até o posto de musa. Sendo a única representante na Corte Real vinda de uma agremiação da Série Ouro, a beldade exaltou a importância de se olhar mais para as escolas de fora do Grupo Especial e para os sambistas que lá estão.

“Sempre teclei bastante nesse botãozinho, porque é muito importante a visibilidade e o valor dessas escolas, dos profissionais que ali trabalham. Hoje, consegui atingir esse reconhecimento que é estar na Corte representando a Unidos de Bangu, que é da Série Ouro. Quantas outras pessoas talentosas tem ali e nas demais escolas que não desfilam no Especial, mas que estão escondidas? Nós podemos ver isso aqui no decorrer do concurso, em que tivemos diversas meninas maravilhosas vindas de escolas da Série Ouro, Prata, Bronze, além dos blocos. Então, é fantástico, me sinto honrada por poder representar essas meninas que, assim como eu, vieram da Série Ouro e das outras categorias”, assegurou.

Além da faixa e da coroa de Princesas do Carnaval, Bruna e Ana Carolina também faturaram um prêmio em dinheiro no valor de R$ 32.500. Já Gabriella Mendes, eleita Rainha da folia carioca, embolsou a quantia de R$ 45.500.

- ads-

Sinopse da Beija-Flor de Nilópolis para o Carnaval 2025

Enredo: “LAÍLA DE TODOS OS SANTOS, LAÍLA DE TODOS OS SAMBAS” INTRODUÇÃO / JUSTIFICATIVA "Veje bem", A importância do Laíla para o Samba e o Carnaval é...

Cícero e Lara comentam enredo da UPM para o Carnaval 2025: ‘Foi amor à primeira vista’

Cícero Costa e Lara Mara, pai e filha, são diretores de carnaval da Unidos de Padre Miguel. A escola, em preparação para o Carnaval...

Fazendo jus ao nome escola de samba, Tarcísio Zanon encontra receita para os enredos da Viradouro

Tarcísio Zanon, carnavalesco da Viradouro desde 2020, conversou com o site CARNAVALESCO e revelou o que esperar da Vermelho e Branco de Niterói para...