Mais de 5.300 pessoas estiveram presentes na Cidade do Samba, na noite de sábado e madrugada de domingo, para a festa de abertura do “Rio Carnaval 2022”. O espaço que abriga os barracões das 12 escolas de samba do Grupo Especial do Rio de Janeiro foi transformado em uma pista para os mini-desfiles. O público se esbaldou com os sambas antológicos cantados no palco e depois com todas apresentações na pista com os sambas-enredos que vão passar pela Marquês de Sapucaí em abril de 2022. Um show de samba e arte popular brasileira. Três ausências foram sentidas no evento: o presidente Jorge Perlingeiro, da Liesa, Gabriel David, diretor de marketing da Liga, os dois em viagem para fora do país, e o intérprete Neguinho da Beija-Flor, que não pode comparecer por outros compromissos profissionais. * VÍDEOS: ASSISTA AQUI TODAS APRESENTAÇÕES DAS ESCOLAS NA CIDADE DO SAMBA

Presidente da Beija-Flor, Almir Reis, na apresentação da escola. Fotos: Allan Duffes/Site CARNAVALESCO

A estrutura montada pela Liesa fez o público ficar próximo de todas escolas de samba. Na abertura, o Cacique de Ramos comandou a festa e o povo foi junto. No palco, Milton Cunha segurou o andamento da festa, com todo talento e desenvoltura. O locutor oficial do Sambódromo, Vanderlei Borges, apresentou todas fichas técnicas das agremiações. * OUÇA AQUI TODAS ARRANCADAS AO VIVO DOS SAMBAS DE 2022

Abaixo, você pode conferir a análise de cada apresentação feita pelo site CARNAVALESCO. * VEJA AQUI A ANÁLISE EM VÍDEO DE CADA APRESENTAÇÃO

IMPERATRIZ: Exibição impecável da Verde e Branco da Leopoldina. Começando pela dupla de cantores, Arthur Franco e Bruno Ribas, conduzindo muito bem o samba-enredo, passando pela bateria, do craque mestre Lolo, e a performance de encher os olhos do casal de mestre-sala e porta-bandeira, Thiaguinho e Rafaela. Na comissão de frente, a Imperatriz caprichou no figurino. A cantora Iza reinou à frente dos ritmistas. O samba-enredo está na boca da comunidade, o “Amada Imperatriz” é cantado com tanta vontade que é impossível não se envolver afetivamente com toda composição. Realmente, a Imperatriz Leopoldinense prova a cada etapa do pré-carnaval que foi além do resgate de uma escola de samba, ela está totalmente diferente, vibrando quando é necessária e técnica quando é preciso. * VEJA AQUI FOTOS

SÃO CLEMENTE: A escola da Zona Sul não está de bobeira. Ela pede e merece muito respeito. A dupla de cantores, Maninho e Leozinho Nunes, encaixou perfeitamente. O primeiro deu sustentação para todo o talento do segundo. O carro de som e a bateria formam um porto seguro da preta e amarela. O casal de irmãos Pessanha, Vinicius e Jack, demonstra muito elegância na dança. Junior Scapin caprichou na comissão de frente. Abriu muito bem o mini-desfile entregando no ponto no alto para toda apresentação. A homenagem para Paulo Gustavo mexeu com o público, através do samba-enredo de 2022, a São Clemente conseguiu um rendimento muito parecido com o feito em 2015, quando homenageou o carnavalesco Fernando Pamplona. Destaque para a Fiel Bateria, mestre Caliquinho, tem nãs mãos os ritmistas. * VEJA AQUI FOTOS

VILA ISABEL: A escola que vai homenagear Martinho da Vila no desfile de 2022 conta com uma dupla de craques: o intérprete Tinga e o mestre Macaco Branco. O ritmo da Swingueira de Noel é uma coisa de outro mundo. É bom demais. O sucesso de Macaco Branco é muito merecido. Referência no canto azul e branco, Tinga domina a comunidade. O cantor consegue impulsionar e fazer o componente acreditar e vibrar com o que está cantando. O casal de mestre-sala e porta-bandeira, Marcinho e Cris Caldas, veio na frente da bateria e esbanjou categoria, vibração e cumplicidade na dança. Rainha da bateria, Sabrina Sato, é um dos maiores exemplo do que é uma pessoa ter carisma. O samba está bem encaixado com a comunidade. * VEJA AQUI FOTOS

PORTELA: Atuação magistral de Gilsinho no comando do carro de som e de mestre Nilo Sérgio com a bateria. São dois craques e que honram a maior campeã do carnaval carioca. O samba-enredo de 2022, tão criticado, funcionou na Cidade do Samba. O portelense está cantando cheio de gana, querendo provar que a obra é merecedora da escolha para ser levada para Avenida. O teste na pista foi além de toda expectativa. Para deixar o torcedor feliz com o rendimento. Impactante, a exibição do casal de mestre-sala e porta-bandeira portelense. Marlon e Lucinha pareciam que estavam desfilando para valer a nota máxima e ganhariam com toda certeza. A azul e branco optou por abrir sua apresentação saudando a imprensa e em um clima nostálgico, Jerônimo da Portela, veio na frente com integrantes da Velha-Guarda, os grandes baobás de Oswaldo Cruz e Madureira. * VEJA AQUI FOTOS

SALGUEIRO: Pelo padrão competitivo e forte que possui é quase impossível o Salgueiro não atender o que se espera de uma agremiação do porte da Academia. O cuidado com os figurinos, inclusive, com os destaques, a forte e vibrante comissão de frente, do coreógrafo Patrick Carvalho, e a exuberência e perfeição do casal de mestre-sala e porta-bandeira, Sidclei e Marcela, marcaram a exibição da vermelho e branco. Viviane Araújo reinou de ponta a ponta, toda de vermelho, na frente dos ritmistas da Furiosa, que seguem mantendo o alto o padrão de qualidade. O samba-enredo foi muito cantado pelos componentes, e, principalmente, pelo público presente, muito mérito do trabalho realizado pela dupla Emerson Dias e Quinho com o carro de som salgueirense. * VEJA AQUI FOTOS

BEIJA-FLOR: O encerramento da primeira noite foi imponente. A Deusa da Passarela pulverizou qualquer apresentação realizada no primeiro dia. Porém, é importante frisar que diferente das demais, que levaram o número máximo de componentes combinado entre todas agremiações, ou seja, 160 pessoas, a azul e branco comprou ingressos e facilmente ultrapassou 500 “nilopolitanos” na pista, além do povão que veio no “arrastão” para finalizar o evento. Aí, a Beija-Flor passou o rolo compromessor. Muito canto e vibração. Sem Neguinho da Beija-Flor, ausência muito sentida, o carro de som segurou e contou com toda categoria dos mestres Rodney, Plínio e dos ritmistas. Como prometido, o casal de mestre-sala e porta-bandeira, Claudinho e Selminha, veio na frente de bateria. Raíssa de Oliveira sempre exuberante arrebentou em samba no pé. Ponto alto também foi a comissão de frente, comandada pelo coreógrafo Marcelo Missailidis, que aliou a dançan e o canto com um figurino especial para a festa na Cidade do Samba. É nítido que a Beija-Flor está focada em recuperar seu posto de campeã e já mostrou um pouco das cartas para os desfiles do Grupo Especial em 2022. * VEJA AQUI FOTOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui