A Mocidade Alegre finalmente saiu do jejum de títulos. Com esse campeonato a escola vai para 11 conquistas e se iguala a Nenê de Vila Matilde e, sendo assim, se torna a segunda maior campeã do carnaval paulistano. O último título havia sido em 2014, em um dos desfiles mais históricos do Anhembi. Porém, mesmo com essa ‘seca’, a Morada sempre batia na trave. Foram três vices e duas vezes na terceira colocação. Somente em duas oportunidades a agremiação não voltou ao desfile das campeãs (2017 e 2019). A conquista da Mocidade chegou com o enredo “Yasuke”, a história do samurai negro.

Foto: Fábio Martins/Site CARNAVALESCO

Sentimento do campeonato

A presidente Solange Cruz falou sobre o sentimento de ganhar esse campeonato depois de tanto tempo e exaltou o enredo que a escola colocou na avenida. “Estou muito feliz. Na realidade é tudo no tempo de Deus, ele que sabe das coisas, chegou nossa hora e não teve jeito. Foi lindo, maravilhoso, um enredo super histórico, cultural, bacana de ser contado, deixa uma mensagem muito linda para todo mundo que assistiu e todos que vão cantar futuramente, porque é um samba que deixa uma mensagem sensacional. Estou muito feliz por isso. Por ser uma escola de samba, por ter conseguido passar essa mensagem, por fazer com que as pessoas se conscientizem e olhe um pouco para tudo isso que está acontecendo”, declarou.

Força da comunidade

A comunidade da ‘Morada do Samba’ se engajou muito neste carnaval. Ensaio de quadra, rua e técnicos os componentes estavam em grande contingente e isso se refletia no desempenho. Uma grande performance em todos os setores. Desde o primeiro treino no Anhembi dava para perceber que se a escola passasse bem, facilmente brigaria pelo título. “Esse ano a comunidade estava muito comprometida. Ano passado por causa da pandemia ainda não foi totalmente. Acho que esse ano as pessoas estavam com muita sede de participar, estar presente, vivenciar e foi tudo muito lindo. A escola realmente não arredou o pé. Eles participaram de tudo, estavam presentes e foi tudo muito lindo”, disse Solange.

Nervosismo da apuração

Foi uma das apurações mais disputadas, assim como ano passado. Houve viradas mais de uma vez com a Mancha Verde, repetindo a dose de 2022. Porém, desta vez, a agremiação do bairro do Limão saiu vencedora com um décimo a mais de diferença. ”Em momento algum vocês vão me ver desacreditada. Uma hora vai dar e deu certo”, completou a presidente.