Faltando pouco para conhecer o samba-enredo que vai embalar o desfile da Unidos de Vila Isabel, a diretoria da escola e segmentos com certeza já devem ter suas obras preferidas. Se ainda não é o momento de revelar para o público em geral, pelo menos para o site CARNAVALESCO foi apresentado os pontos importantes que os componentes têm levado em consideração para a escolha da obra. Para o presidente da agremiação, Luiz Guimarães, a melodia tem recebido uma atenção maior até mesmo do que a letra pela característica do enredo que a escola escolheu. * OUÇA AQUI OS SAMBAS FINALISTAS

Foto: Lucas Santos/Site CARNAVALESCO

“Acho que a melodia, mais do que letra, melodia. O Paulo ganhou os títulos tanto na Tijuca como na Portela, mais na Tijuca não com grandes obras, não com grandes sambas, com sambas que defendiam bem o enredo , mas com carnavais diferentes. Eu acho que a gente tendo um samba alegre, que defenda bem o enredo, a gente não precisa ter uma grande obra, não tirando o mérito das três obras que vão estar na final, que são três obras , vão nos representar muito bem, mas a melodia eu acho que é o principal, acho que hoje as pessoas vêem mais a melodia que a letra, acho que uma melodia chiclete tem tudo para alavancar a escola e a gente conseguir alavancar para o campeonato”, explica o jovem mandatário da Azul e Branca do bairro de Noel.

Já o diretor de carnaval Moisés Carvalho manteve a mesma preocupação com a melodia trazendo também o acréscimo de que a ideia é ter um samba para frente e alegre.

“A gente pediu aos compositores que a gente tenha um samba leve, alegre, com uma melodia para frente, que empurre a escola e que case com tudo que a gente está preparando dentro do barracão, um desfile lindo, rico em fantasia, rico em alegoria e que a gente tenha um samba que tenha tudo isso e amarre nosso desfile”.

Escolhendo qualquer uma das três obras finalistas, quem vai ter a responsabilidade e privilégio de conduzir a obra na Sapucaí , será o intérprete Tinga. O cantor, que vai para o seu quarto carnaval consecutivo pela Vila desde que retornou a escola em 2019, tem boas expectativas para o samba escolhido e vê a qualidade da obra como fundamental para que a agremiação possa fazer um grande desfile.

“O que não pode faltar é alegria, um samba para motivar a nossa escola, uma boa melodia e um samba é meio caminho andado para um bom desfile, tem que ter um grande samba, acho que um samba é 50 por cento do desfile. Tem que ter um samba bem alegre com a melodia bem bonita para o couro comer bonito na Avenida”.

Macaco Branco inicia preparação da bateria já visando o desfile em 2023

Outro bastante interessado na escolha do samba, é mestre Macaco Branco, indo para mais um carnaval no comando da Swingueira de Noel, Macaco já retornou os ensaios da bateria há mais de uma mês e explica de que forma tem se dado o trabalho.

“A bateria já está ensaiando já faz um tempinho, um mês e meio mais ou menos, nós mudamos nosso ensaio para quarta-feira para poder estar agregando mais para a Vila Isabel, até porque é um dia mais vazio, tem menos coisas nas escolas de samba ensaiando e para os ritmistas terem mais tempo de ensaiar . Iniciamos com um trabalho de revitalização, preparando o ritmista para fazer um bom desfile. Quando vira o ano, a gente inicia um trabalho do zero para quem chega querendo fazer teste para fazer parte da escola. A gente abre algumas vagas para teste, a galera que já desfilou tem uma certa prioridade, é um trabalho em que cada ano é um ciclo diferente. Assim que escolher o samba, a gente faz um trabalho voltado para o arranjo da obra e focado para a Avenida”, explicou o mestre de bateria da Swingueira de Noel.

Em 2023, a Vila Isabel será a terceira escola a desfilar na segunda noite de desfiles do Grupo Especial.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui