A Estação Primeira de Mangueira escolheu o enredo “Angenor, José e Laurindo”, para homenagear Cartola, Jamelão e Delegado. A escola entrou como uma da favoritas, mas acabou sendo muito penalizada em alguns quesitos, como samba enredo e terminou na sétima colocação. Em entrevista para o site CARNAVALESCO, Elias Riche, presidente da Verde e Rosa falou sobre o resultado.

Foto: Site CARNAVALESCO

“Ficou muito aquém do que a Mangueira imaginou. Temos que aceitar o regulamento. Fico triste porque acho que algumas notas não foram justas, ficou muito triste com o resultado, mas quem sou eu para falar. Todas as escolas fizeram um grande desfile e tiveram condições de disputar. Eu preciso saber as justificativas dos jurados”.

O diretor de harmonia, Renato Kort, questionou algumas notas que a Verde e Rosa recebeu, como em enredo e bateria, mas vai esperar as justificativas para saber onde a escola errou.

“Algumas notas nossas que foram dadas eu questiono, como em enredo, samba enredo, bateria, mas agora é esperar a abertura dos envelopes com as justificativas para saber onde a gente errou. O que fica de legado é que o mangueirense fez um carnaval feliz, pra ele, homenageando quem ele queria homenagear”.

Evelyn Bastos, rainha de bateria, declarou antes da apuração que apostava no título da Mangueira, mas não aconteceu. A sambista declarou que o resultado foi decepcionante.

“O resultado foi decepcionante. Ficamos muito sem entender as notas que perdemos em bateria, em enredo que foi inexplicável. Agora vamos esperar as justificativas e com todo respeito aos jurados, mas um enredo com três grande nomes da nossa escola, três lendários nomes e foi um resultado inesperado. Vamos esperar as justificativas para entender esses décimos perdidos que tanto nos decepcionou”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui