InícioGrupo EspecialPresentão: Em família, Martinho da Vila vive reedição de ‘Gbalá’ no dia...

Presentão: Em família, Martinho da Vila vive reedição de ‘Gbalá’ no dia de seu aniversário

Martinho da Vila completou 86 anos nesta segunda-feira e ganhou um presente especial

Presidente de Honra da Vila Isabel, baluarte do Carnaval e um dos maiores artistas do país. Martinho da Vila completou 86 anos nesta segunda-feira e ganhou um presente especial da Azul e Branca do bairro de Noel: viu seu histórico Gbalá ecoar pela Passarela do samba, após 30 anos.

O sambista desfilou no último carro da agremiação, que retratou “O sagrado batismo”, uma representação das crianças purificadas após voltarem do Templo da Criação. Confiante no título, Martinho contou que o retorno à Passarela do Samba após 30 anos – e justamente no dia de seu aniversário – é motivo de muita felicidade.

“Para mim é algo impressionante, porque a Vila trouxe isso há 30 anos. O presente que espero será dado pela Vila Isabel: vamos ganhar o Carnaval. Gbalá é a salvação (risos). É o que diz o samba: é resgatar, salvar, socorrer e ajudar”, disse o baluarte.

A agremiação do bairro de Noel levou para a avenida o enredo “Gbalá – viagem ao templo da criação”. A obra, desenvolvida pelo carnavalesco Paulo Barros, foi uma reedição de um desfile que marcou o coração de uma geração de torcedores. À época criado pelo carnavalesco Oswaldo Jardim, o primeiro desfile foi comprometido por uma forte chuva que atingiu a região do Sambódromo. Segundo o presidente de honra, se não fosse o mau tempo, a escola brigaria pelo título.

“Se não fosse a chuva, teríamos chegado na frente. Foi um desfile muito bonito, mas caiu um temporal, e a escola também não estava com uma situação financeira muito boa. Mesmo assim fizemos um desfile que foi uma maravilha. Hoje, está tudo à favor da Vila”, contou.

O artista pôde reviver, em família, uma de suas maiores composições: seus filhos e netos desfilaram na Vila – cada um em uma ala. Para Mart’nália, que atravessou a Passarela do Samba tocando na Swingueira de Noel, participar da reedição de Gbalá foi a realização de um sonho. Em 1993 ela desfilou como puxadora do samba, junto aos irmãos.

“É uma segunda realização, porque da outra vez eu também desfilei. Também é um grande presente para o meu pai, o aniversariante do dia. É muito gratificante poder tocar um samba lindo como esse. Vai ser o samba de uma pessoa só que vai passar na Avenida. O grande presente dele foi o Gbalá na Sapucaí”, comentou a artista, que é filha do sambista.

Já a geração mais nova da família viveu pela primeira vez a emoção de Gbalá. Guido Ventapane, neto de Martinho, é ritmista da Swingueira de Noel e apaixonado por Carnaval. Segundo ele, tocar o samba do avô na avenida representou vivenciar a experiência vivida por sua mãe e seus tios.

“O presente do meu avô foi aqui na avenida e, se Deus quiser, na quarta-feira. Estar na bateria tocando um samba-enredo do meu avô é muito importante para mim, porque tive a oportunidade que a minha tia e a minha mãe tiveram em 1993. Hoje foi a minha vez de viver essa emoção. Foi um desfile muito importante para a Vila, espero que a gente consiga levar o caneco para Vila Isabel”, comentou Guido.

- ads-

Império Serrano anuncia que Darlin não é mais rainha de bateria da escola

O Império Serrano anunciou nesta sexta-feira que Darlin Ferrattry não segue cono rainha de bateria para o Carnaval 2025. Veja o comunicado da escola. "A...

Carnavalescos da Grande Rio promovem visita mediada em exposição neste sábado

Neste sábado, 02 de março, às 14h, acontecerá uma visita mediada pela exposição "Laroyê, Grande Rio!", em exibição no Museu de Arte do Rio,...

União da Ilha anuncia saída do casal de mestre-sala e porta-bandeira

A União da Ilha anunciou nesta sexta-feira a saída do casal de mestre-sala e porta-bandeira, Thiaguinho e Amanda. A dupla recebeu o prêmio "Estrela...