InícioGrupo EspecialPeça 'Joãosinho & Laíla: Ratos e Urubus, larguem minha fantasia' surgiu de...

Peça ‘Joãosinho & Laíla: Ratos e Urubus, larguem minha fantasia’ surgiu de conversa entre diretor e coreógrafo Patrick Carvalho

Montagem propõe render sua homenagem ao samba e a essas relevantes figuras do carnaval carioca, cujas vidas fazem parte da história da cidade do Rio de Janeiro

A Arena do Sesc Copacabana recebe a partir do dia 9 de junho o espetáculo “Joãosinho & Laíla: Ratos e Urubus, larguem minha fantasia”. A temporada vai até 3 de julho, com sessões de quinta a domingo, às 19h. A ideia surgiu de uma conversa de Édio Nunes, diretor da peça, que participou do histórico desfile, com o coreógrafo de comissão de frente Patrick Carvalho.

Foto: Claudia Ribeiro/Divulgação

“Jamais esqueci a cena em que nós, os mendigos, arrancávamos o plástico preto (desfile das campeãs) que cobria a réplica da estátua do Cristo Redentor, um Cristo mendigo, que havia sido censurado pela Igreja e execrado pela mídia. Durante o desfile, a gente foi arrancando aquele plástico, desvelando aquele Cristo, provocando uma comoção. Essa memória me veio conversando com meu amigo Patrick, sobre Laíla e Beija-Flor. Fui percebendo que havia ali um espetáculo. Resolvi, então, levar para o palco aquela memória tão viva dentro de nós, aquele desfile que foi um divisor de águas. Levar para o palco atores e músicos com o candomblé na veia, levar o luxo e o lixo, arrancando o plástico da censura e pedindo para que o Cristo Oxalá – assim o chamo – continue olhando por nós, pelos que sofrem injúria racial e com o racismo estrutural, pelas mães negras que perdem seus filhos, pelas crianças negras que morrem diariamente; por todos nós, negros, macumbeiros, gays, indígenas, todos os diminuídos pela sociedade brasileira. Que olhe por nossa cultura, por nossos artistas. E que esse espetáculo abençoe todos nós”, exalta Édio.

O texto é assinado por Márcia Santos. Ela observou que, este ano, uma escola de samba vencera o carnaval carioca levando para a avenida os diversos aspectos de Exu, arquétipo e entidade da religiosidade africana, confirmando a importância do carnaval na desconstrução de preconceitos, na formação de conhecimento e na divulgação de valores históricos.

“Joãosinho e Laíla são, com certeza, dois dos responsáveis pela construção do espaço de transgressão e de irreverência que tem a arte, essa poderosa ferramenta social e política”, explica Márcia, cujo texto vai mostrar traços da personalidade de Joãosinho e Laíla, assim como os bastidores do desenvolvimento de um desfile, figuras e elementos do universo carnavalesco. “Minha sensação é de que, em sincronia com o tempo, nossa montagem chega na hora certa e crava, no seio da zona sul carioca, um pouco da história do carnaval e da comunidade de Nilópolis”, conclui a autora.

Em cena, Wanderley Gomes e Cridemar Aquino dão vida a Joãosinho e Laíla, respectivamente; enquanto Ana Paula Black e Milton Filho desdobram-se em diversos papéis. Junto com os três músicos em cena – Fábio D’Lélis (percussão), Leo Antunes (cavaquinho) e Marlon Jr (violão) – o elenco conta a história daquele desfile e seus personagens e leva ao público um pouco da dinâmica dos bastidores do carnaval, a rotina dos barracões, os sambas de enredo e as figuras que compõem esse universo.

A montagem propõe render sua homenagem ao samba e a essas relevantes figuras do carnaval carioca, cujas vidas fazem parte da história da cidade do Rio de Janeiro e, em extensão, da história do país, dada a importância deste patrimônio cultural popular e histórico que é o carnaval do Rio de Janeiro, além de percorrer por acontecimentos de grande comoção midiática entre os anos de 1989 e 1990. Oito sambas enredo costuram a cronologia do espetáculo.

Serviço

Joãosinho & Laíla: Ratos e Urubus, larguem minha fantasia
De 9 de junho a 3 de julho de 2022
De quinta a domingo – Horário: 19h
Local: Arena do Sesc Copacabana
Ingressos: R$ 7,50 (associado do Sesc), R$ 15 (meia-entrada), R$ 30 (inteira)
Endereço: Rua Domingos Ferreira, 160, Copacabana, Rio de Janeiro – RJ
Informações: (21) 2547-0156
Horário de funcionamento da bilheteria: de terça a sexta, das 9h às 20h; e sábados, domingos e feriados, das 13h às 20h
Classificação indicativa: 12 anos
Duração: 75 minutos

- ads-

É a bateria do Zaca! Mestre Serginho se diz contente pela proposta diferente e conquista do Estrela do Carnaval

A “Bateria do Zaca” vive uma fase espetacular. É o segundo ano consecutivo em que a batucada comandada por mestre Serginho conquista os 40...

‘Reflete a alma e a ancestralidade que o Salgueiro tanto valoriza’, diz Jorge Silveira sobre o enredo para o Carnaval 2025

O carnavalesco Jorge Silveira falou sobre o enredo do Salgueiro para o Carnaval 2025, que foi divulgado na noite desta sexta-feira. Intitulado "Salgueiro de...

Conheça o enredo do Salgueiro para o Carnaval 2025

“De corpo fechado”: preparo o tacho de óleo de oliva, arruda, guiné, alecrim, carqueja, alho e cravo. Com o sinal da cruz na fronte,...