InícioGrupo EspecialParque Acari empolga o público cantando o amor, mas tem contratempo com...

Parque Acari empolga o público cantando o amor, mas tem contratempo com o pavilhão do primeiro casal

Por Eduardo Fróis. Fotos: Allan Duffes

Segunda escola a desfilar pela Estrada Intendente Magalhães na noite de terça-feira, a União do Parque Acari veio falando das histórias de amor. A entidade que é oriunda da junção entre as escolas Corações Unidos do Amarelinho e Favo do Acari fez uma apresentação empolgante. Porém, a União cometeu falhas que devem dificultar um possível acesso da escola à Série A do carnaval carioca.

Enredo

O título do enredo da agremiação era: “No início a criação, o céu, a terra e o mar, com isso a junção cada um com o seu par. Viva o amor”. A escola trouxe para a passarela do samba histórias de amor que se tornaram famosas. As alas e alegorias eram de simples associação ao tema proposto, contribuindo para a compreensão da passagem da União do Parque Acari.

Comissão de Frente

Os onze componentes da comissão de frente estavam representando a “água”, a “terra” e o “ar”, vestindo fantasias leves nas cores verde-água, marrom e azul. Eles realizaram um bailado sincronizado, cantando o samba da escola com muita energia. A coreografia era dinâmica, intercalando movimentos acelerados e leves, sendo um ponto alto do desfile da Acari.

Samba-Enredo

O hino da União do Parque Acari para 2020 citava em sua letra famosos casos de amor, indo de “Scherek e Fiona” a “Lineu e Nenê”. Com autoria de Nego do Ninho, Fogueira, Amauri Inspiração e Sr. Miguel, o samba foi interpretado por Sandro Jota R e agitou as arquibancadas da Intendente. Destaque para os versos do refrão do meio: “Amor bandido fere o coração/ Se não é correspondido, violência não/ Até o corcunda se apaixonou/ Branca de Neve com um beijo se apaixonou”.

Mestre-sala e Porta-bandeira

Rafael Gomes e Nani Ferreira estavam muito bem vestidos nas cores da escola: rosa, amarelo e branco. A saia de Nani carregava brasões da União do Parque Acari, envolvidos por penas amarelas e plumas rosas. Rafael vestia amarelo e dourado, esbanjando carisma e desenvoltura nos passos. Ambos passaram muito bem no primeiro módulo de julgamento, apresentando o pavilhão da escola e arrancando aplausos do público e dos jurados.

No entanto, durante o bailado em frente a segunda cabine, a ponta do pavilhão se desprendeu do mastro, enrolando a bandeira da União. O casal não se deixou abalar pelo incidente, dando continuidade a apresentação enquanto a direção de harmonia efetuava a troca de pavilhão, substituindo pela bandeira que vinha com o segundo casal.

Harmonia

A União se apresentou com uma comunidade que cantava desde o início. As primeiras alas vieram com muita empolgação. Porém, haviam pessoas desfilando sem saber o samba-enredo. As alas da branca de neve e das baianas pareciam sentir o cansaço da apresentação. O último setor da escola voltou a cantar forte, levantando a arquibancada, que passou a acompanhar o desfile com palmas.

Evolução

A agremiação de Acari demonstrou boa evolução em sua entrada na Intendente Magalhães. Ja no meio da pista, a escola parou alguns instantes enquanto era feita a troca do pavilhão do primeiro casal, após a segunda cabine de julgamento. Logo depois, a União retomou seu desfile com a empolgação do início. No final, a escola abriu alguns buracos na pista: antes e depois do segundo casal, e na frente do terceiro carro. A União fechou sua passagem com 43 minutos.

Alegorias

Foram apresentados três carros alegóricos, bem acabados e dentro do enredo da União do Parque Acari. O abre-alas era amarelo, dourado, rosa e verde, trazendo os símbolos da escola: um aperto de mão e uma coroa. Nas laterais, referências às agremiações que, ao se fundirem, deram origem a União: Corações Unidos do Amarelinho e Favo do Acari. A segunda alegoria era um jardim, com uma árvore no centro e a decoração inteira em verde. Destaques do carro representavam a fauna e flora, dando variedade de cor ao carro. Já o último carro passou extremamente colorido, encerrando o desfile.

Fantasias

A União apresentou, no geral, um bom conjunto de fantasias em suas alas. Os figurinos facilitavam a leitura do enredo da escola, que cantou o amor. Destaque para a uniformidade dos componentes da escola, que vieram com a fantasia completa. As alas do último setor passaram com vestimentas mais simples, porém nada que comprometesse o conjunto visual da Acari.

Bateria

A bateria manteve a sustentação do desfile da União do Parque Acari, com uma forte pulsação que empolgou as arquibancadas da Intendente. O andamento foi constante durante toda a apresentação da escola da Zona Norte.

- ads-

Império Serrano anuncia que Darlin não é mais rainha de bateria da escola

O Império Serrano anunciou nesta sexta-feira que Darlin Ferrattry não segue cono rainha de bateria para o Carnaval 2025. Veja o comunicado da escola. "A...

Carnavalescos da Grande Rio promovem visita mediada em exposição neste sábado

Neste sábado, 02 de março, às 14h, acontecerá uma visita mediada pela exposição "Laroyê, Grande Rio!", em exibição no Museu de Arte do Rio,...

União da Ilha anuncia saída do casal de mestre-sala e porta-bandeira

A União da Ilha anunciou nesta sexta-feira a saída do casal de mestre-sala e porta-bandeira, Thiaguinho e Amanda. A dupla recebeu o prêmio "Estrela...