InícioGrupo EspecialParcerias de Lucas Macedo e Claudio Mattos se destacam em noite de...

Parcerias de Lucas Macedo e Claudio Mattos se destacam em noite de eliminatória na Viradouro para o Carnaval 2024

Parcerias de Samir Trindade e Mocotó também tiveram ótimas performances nesta etapa

A Unidos do Viradouro fez na noite do último sábado, em sua quadra, mais uma etapa da eliminatória de samba-enredo para o Carnaval 2024. O site CARNAVALESCO, através da série “Eliminatórias”, esteve presente. Abaixo, você pode conferir a análise de cada apresentação.

Ao todo, sete parcerias se apresentaram e uma delas será cortada. O anúncio das obras que seguem na disputa será feito na próxima segunda-feira, às 18h, nas redes sociais da agremiação. Já a etapa seguinte do concurso ocorrerá no sábado que vem, dia 16 de setembro.

Parceria de Igor Leal: A primeira obra a se apresentar nesta eliminatória foi a de autoria de Igor Leal, Gustavo Clarão, Inácio Rios, Márcio André, Arlindinho Cruz, Diogo Nogueira, Igor Federal, Rubinho, Vaguinho e Vitor Lajas, com as participações especiais de Márcio André Filho e Daniel Katar. Os responsáveis por conduzir o samba foram os intérpretes Evandro Malandro e Fredy Vianna, ambos demonstraram um ótimo entrosamento e desde o início a obra foi tomando conta da quadra, apesar de não estar numerosa, a torcida se fez presente com bandeiras e bexigas, houve também a presença de um grupo performando com uma cobra de pelúcia, em referência clara ao enredo. O samba possui um padrão diferente do que temos visto ultimamente, apesar disso, se mostrou muito correto e casou bem com a bateria, o refrão do meio e o principal foram as partes mais cantadas. Houve adesão por parte de alguns harmonias.

Parceria de Diego Thekking: O segundo samba a se apresentar foi composto por Diego Thekking, Roberto Doria, Claudinho Manhães, Adilson Couto, Thyaguinho Reis, Silvio Henrique, André Couto, Dr Diogo Valente, Thiago Dal Bello e Jandré. A obra foi defendida pelo intérprete Thiago Acácio. Antes mesmo do início da apresentação a torcida que ocupou a quadra entoou alguns versos da obra, principalmente “Vai começar o Inakidan da Viradouro”, no geral foi uma apresentação correta, no início a torcida cantou com empolgação, mesmo sem a presença da bateria. Com o passar do tempo foi possível perceber que o samba caiu de rendimento, principalmente na segunda parte. Mesmo assim alguns harmonias cantavam a obra.

Parceria de Claudio Mattos: Dando sequência às apresentações, o terceiro samba da noite foi assinado por Claudio Mattos, Claudio Russo, Julio Alves, Thiago Meiners, Manolo, Anderson Lemos, Vinicius Xavier, Celino Dias, Bertolo e Marco Moreno. A parceria contou com uma equipe de peso, a começar pelos intérpretes Tinga e Pitty de Menezes, os cantores conduziram o samba com maestria, esbanjaram entrosamento e muito vigor no palco. A apresentação foi uma verdadeira avalanche, a torcida ocupou todo o espaço destinado a ela, todos com balões coloridos e bandeiras, os componentes cantaram com muita alegria, antes mesmo do início já foi possível ouvir alguns versos sendo entoados. A adesão na quadra foi unânime, todos os harmonias, componentes, diretoria e pessoas nos camarotes embarcaram no samba, o envolvimento da bateria também foi nítido. Destacar uma parte do samba é tarefa difícil, mas pode-se falar do pré refrão que antecede o principal, nesse momento a quadra pulsava.

Parceria de Renan Gêmeo: O samba de autoria dos compositores Renan Gêmeo, Raphael Richaid, Rodrigo Gêmeo, Bebeto Maneiro, Paulo Cesar Portugal, Marcelo Adnet, Bello, Silvio Mesquita, Carlinhos Viradouro e Ricardo Neves foi o quarto na ordem de apresentações. Assim como a parceria anterior, os cantores responsáveis por conduzir o samba foram fundamentais, Gilsinho, Nino do Milênio e Daniel Silva mostraram muita energia e levantaram o público. No geral, a apresentação foi extremamente correta, a obra passou com bastante energia, muito por conta da numerosa torcida que cantou com vigor, bandeiras e papéis picados foram utilizados, os brincantes mostraram estar com o samba na ponta da língua, muitas crianças estavam presentes e também cantavam. A adesão da comunidade foi mediana, com alguns harmonias cantando e outros não.

Parceria de Dudu Nobre: A obra assinada por Dudu Nobre, Samir Trindade, Victor Rangel, Deiny Leite, Valtinho Botafogo, Fabrício Sena, Felipe Sena e Jeferson Oliveira foi a quinta a se apresentar e contou com Igor Sorriso com intérprete, a numerosa torcida contribuiu para que o samba passasse com muita valentia, a parceria investiu em papel picado, o que causou um impacto positivo na apresentação, visto que os componentes se animavam com facilidade, a parceria levou também um grupo fantasiado de que formou uma grande cobra. No geral, a apresentação foi positiva, com todo destaque para o verso “Se me desafiar é guerra”, presente no refrão, ele foi cantado a plenos pulmões não só pela torcida, mas também por boa parte da quadra.

Parceria de Lucas Macedo: O sexto samba a passar nesta noite de eliminatória foi o da parceria de Lucas Macedo, Diego Nicolau, Richard Valença, João Perigo, Cadu Cardoso, Marquinhos Paloma, Orlando, Ambrósio, Lico Monteiro e Silas Augusto. A presença de Zé Paulo Sierra como intérprete desse samba causou uma enorme comoção na quadra, afinal, o cantor ficou por anos como a voz oficial da Viradouro. Sem dúvida, a presença dele foi fundamental para que a apresentação fosse um sucesso. A torcida foi enorme e cantou com muita empolgação, a adesão na quadra foi total, foi possível ver vários harmonias empolgados, assim como ritmistas e diretoria. A apresentação foi valente do início ao fim e em alguns momentos emocionou.

Parceria de Mocotó: A sétima e última obra a passar pelo palco da Unidos do Viradouro foi a da parceria de Mocotó, Peralta, Alexandre Fernandes, André Quintanilha, Bira do Canto, Rodrigo Deja, Reinaldo Guimarães, Ronilson, Henrique Vianna e Luiz Mata, com participação especial de André Diniz. Coube a Bruno Ribas e Emerson Dias conduzirem o samba, a dupla deu um show e o samba passou como um furacão pela quadra, a torcida desde antes da apresentação começar já entoava os versos que antecedem o refrão principal. O samba se destacou como um todo e a adesão do público presente foi completa, inclusive dos harmonias, diretoria e ritmistas. A parceria usou leds coloridos e papel picado para causar um bom visual, mas o destaque foi o canto uniforme e com muito vigor de todos.

- ads-

Mestre Ciça define título de 2024 como o mais importante da carreira

Na Viradouro desde 2019 nesta passagem, mas também comandando a Furacão Vermelha e Branca no período de 1999 a 2009, mestre Ciça trata com...

Império Serrano anuncia que Darlin não é mais rainha de bateria da escola

O Império Serrano anunciou nesta sexta-feira que Darlin Ferrattry não segue cono rainha de bateria para o Carnaval 2025. Veja o comunicado da escola. "A...

Carnavalescos da Grande Rio promovem visita mediada em exposição neste sábado

Neste sábado, 02 de março, às 14h, acontecerá uma visita mediada pela exposição "Laroyê, Grande Rio!", em exibição no Museu de Arte do Rio,...