InícioGrupo EspecialPanorama das baterias que desfilam neste sábado no Grupo Especial do Rio

Panorama das baterias que desfilam neste sábado no Grupo Especial do Rio

A proposta do panorama pré desfile é informar o que se aguarda das baterias do Grupo Especial no geral, além de pontuar o que se espera de uma a uma individualmente. Muitas das vezes, além da produção sonora, uma bateria busca passar algum aspecto cultural envolvido ao enredo da escola de forma musical, agregando inestimável valor ao ritmo. A intenção desse conteúdo, portanto, visa garantir ao leitor uma quantidade de informações mínimas, no intuito de guiar os sambistas e apreciadores de ritmo, proporcionando uma absorção musical mais fluída de cada bateria.

No dia do desfile oficial após a passagem de cada escola será publicado um texto, analisando a bateria pela pista e pontuando as passagens pelos módulos de julgadores. Numa análise que, além de exaltar fatores positivos e mencionar peculiaridades de cada ritmo, também fará ponderações de caráter técnico, levando em conta as apresentações das baterias para os jurados. No final de cada dia de desfile será gravado um vídeo contendo um apanhado geral sobre os ritmos, resumindo as passagens de cada bateria como quesito.

Paraíso Tuiuti

A estreia de Mestre Marcão na bateria Super Som do Paraíso do Tuiuti apresentará um ritmo pautado pela concepção musical requintada, além de uma sonoridade acima da média. Na parte de trás do ritmo, os surdos de terceira darão o balanço junto a um trabalho ressonante de caixas de guerra e repiques. Tudo musicalmente entrelaçado por um acompanhamento de peças leves de qualidade, que propiciará boa fluência na conversa rítmica. O conjunto de paradinhas da bateria do Tuiuti terão elevado grau de dificuldade, se aproveitando da melodia do samba para produzir arranjos musicais refinados.

Portela

A bateria Tabajara do Samba de Mestre Nilo Sérgio exibirá seu ritmo identitário, com caixas rufadas tocadas embaixo dando um molho peculiar. O swing das terceiras contribuirá com o ritmo, que ainda contará com peças leves complementando com eficiência no preenchimento da sonoridade. As paradinhas irão mesclar concepção envolvente e complexidade. O destaque sonoro deverá ficar com a bossa do refrão de baixo, que tem tudo para propiciar um balanço único, devido a construção musical feita com esmero. No refrão do meio, uma paradinha unirá o autêntico ritmo portelense à movimentos dançantes.

Mocidade Independente de Padre Miguel

A bateria Não Existe Mais Quente (NEMQ) de Mestre Dudu levará para a Avenida um ritmo vinculado à sua identidade. O valor sonoro das afinações invertidas de surdos se fará presente, dando amparo musical às caixas tocadas com uma acentuação rítmica genuína. O acompanhamento das peças leves também exibirá características identitárias, como a subida ”cascavel” dos chocalhos, além de uma ala de tamborins de notável nível técnico. Paradinhas terão grau de dificuldade elevado, além de interação. A musicalidade da bossa da cabeça do samba merece menção, bem como movimentos sincronizados na paradinha do refrão de baixo.

Unidos da Tijuca

A bateria Pura Cadência de Mestre Casagrande trará para a Sapucaí um ritmo pautado por arranjos musicais explorando as variações melódicas do samba tijucano. Uma afinação de surdos caprichada é aguardada, bem como o tradicional toque de caixas de guerra ressonante, uma das marcas da bateria da Unidos da Tijuca. O bom acompanhamento das peças leves auxiliarão no preenchimento da sonoridade, sem contar a contribuição musical nas bossas. Parte dos tamborins entrarão no corredor da bateria da Tijuca, o que ajudará nas retomadas. As paradinhas terão boa concepção musical, além de movimentos dançantes.

Acadêmicos do Grande Rio

Foto: Reprodução / Instagram

A bateria da Acadêmicos do Grande Rio de Mestre Fafá se apresentará evidenciando uma educação musical destacada. O equilíbrio entre os naipes será notado, assim como a fluência rítmica entre as diversas peças. Cada naipe tocará respeitando a integridade rítmica. Os arranjos musicais serão baseados nas nuances da obra, se aproveitando da melodia do samba para produção sonora. O ritmo da cozinha da bateria da Grande Rio servirá de base musical para um trabalho de valor sonoro de destaque no acompanhamento das peças leves. As paradinhas aliarão boa concepção musical, coesão e espontaneidade.

Unidos de Vila Isabel

A bateria Swingueira de Noel de Mestre Macaco Branco exibirá um ritmo com as características genuínas da bateria da Unidos de Vila Isabel. As terceiras funcionarão como centradores, dando estabilidade ao toque de caixas reto, além do som tradicionalmente inconfundível dos taróis da bateria da Vila. Tudo isso entrelaçado com um acompanhamento de peças leves de qualidade. As paradinhas serão de grau de complexidade elevado e proporcionarão balanço em alguns trechos do samba. A concepção musical da bossa da segunda do samba merece exaltação, assim como a sonoridade da paradinha da cabeça do samba.

Considerações Finais

As baterias do Grupo Especial do Rio de Janeiro prometem apresentações de alto impacto audiovisual, com nível rítmico pautado pela excelência musical. Concepções musicais extremamente bem elaboradas serão notadas, assim como uma construção sonora baseada em riqueza de detalhes. Isso tudo comprova o nível de ritmo exemplar que será obtido pelas baterias. Nem o processo de pandemia, que prejudicou a continuidade dos ensaios e fizeram as escolas se adaptarem, foi capaz de impedir o franco desenvolvimento rítmico geral. A busca, além de apresentar uma musicalidade aprimorada, será pela interação e vibração popular. É aguardado, portanto, um trabalho rítmico primoroso, assim como contagiante, engrandecendo cada vez mais nossa cultura de baterias.

- ads-

Alberto João faz seu balanço do Carnaval 2024

https://www.youtube.com/watch?v=fCZ8MqElUEM Arte em cima da foto de Dhavid Normando/Divulgação Rio Carnaval

Vai e vem do Carnaval SP: Cahê Rodrigues é o novo carnavalesco do Camisa Verde

A semana pós-desfiles foi agitada nas escolas de samba de São Paulo e os carnavalescos de quase todas as agremiações do Grupo Especial foram...

Já de olho em 2025, Colorado do Brás comemora resultado e manutenção do trabalho

O rebaixamento da Colorado do Brás no Grupo Especial de 2022 foi bastante sui generis. A escola foi penalizada em meio ponto por conta...