InícioSão Paulo‘Olha nóis aí de novo!’ Com final acirrada na comunidade e forte...

‘Olha nóis aí de novo!’ Com final acirrada na comunidade e forte presença de torcidas, Vai-Vai escolhe samba-enredo para 2024

Grande contingente marcou a disputa. Anúncio do samba contou com participação de Mano Brown

O Vai-Vai escolheu na noite do último domingo a sua obra que irá embalar o próximo desfile. A final, composta por três sambas, foi realizada na quadra do Sindicato dos Bancários, local parceiro da escola desde 2022, onde vem realizando os seus ensaios e eventos. O evento teve hip-hop envolvido, agradecimentos a vários artistas e show do gênero musical. Foi uma decisão muito aberta, disputada e com um grande contingente de torcedores. Dentro da própria agremiação, talvez tenha sido a disputa mais acirrada dos últimos anos. Ao término de todas as apresentações, não dava para cravar o campeão. A parceria vencedora foi o Samba 8, cujo os autores são: Danni Almeida, Vagner Almeida, Marcinho Z.Sul, Clayton Dias, Luciano Bicudo, Claiton Asca, Rodrigo Atração, Edson Liz, Anderson Bueno, Bira Moreno, Mario Lucio, Leandro Martins e Reinaldo Papum.

Fotos: Fábio Martins/CARNAVALESCO

O anúncio foi feito na presença de Mano Brown, figura ilustre do movimento hip-hop e vocalista principal da banda Racionais, que confirmou presença no enredo e desfile. O músico recitou a primeira frase da música ‘Diário de um Detento’ e fez alusão ao dia da final – “São Paulo, primeiro de outubro de 2023”. Logo após, o intérprete Luiz Felipe cantou o samba campeão para o delírio da comunidade. “Capítulo 4, Versículo 3 – Da Rua e do Povo, o Hip Hop: Um Manifesto Paulistano” é o enredo da comunidade da Saracura para o Carnaval 2024.

Alcançar os objetivos errando cada vez menos

Como mencionado antes, foi uma final disputada com a comunidade, mas pelas falas do presidente Clarício Gonçalves, supostamente era um samba já de acordo com o que o Vai-Vai queria, pois segundo o próprio, é a trilha-sonora que mais se enquadra para o desfile que se pretende fazer.

“Olha, 2023 foi um processo que na nossa vida é cada dia um aprendizado, nós aprendemos que críticas se devolve com trabalho. E graças a Deus foi o que nós fizemos. Com toda minha equipe, meu carnaval, enfim, agora neste processo de carnaval 2023 é como se fala, foi escolhido o melhor samba que está dentro do contexto, letra, enredo e melodia. Que é para que nós possamos levar esse carnaval de 2024 para a avenida, porém deixando bem claro, vamos lutar para errar menos, e alcançar nosso objetivo”, disse.

O presidente enalteceu a sua comunidade por lotar a quadra dos bancários nesta última noite. Nem o frio e o tempo chuvoso afastaram a comunidade alvinegra de acompanhar de perto a escolha do hino para o próximo carnaval. “Essa comunidade com certeza nós acreditamos nela de uma forma que tudo que está acontecendo no Vai-Vai é com a força da comunidade. E hoje já era de se esperar a quadra no formato que estava, porque ficaram três sambas bons, que estavam dentro do contexto. E cada um com suas torcidas, mas no final, no resumo, foi escolhido o que era melhor, o que representava a nossa bateria, o ritmo e melodia dentro da avenida. Então isso com certeza foi com a força da comunidade, tanto é que você viu que após o anúncio do resultado, a alegria de todo mundo que estava presente”, afirmou.

Por fim, o mandatário disse que a estratégia é cada vez errar menos para atingir o maior sucesso possível no ano de 2024. “O trabalho está perfeito. Estamos com uma equipe de barracão, um carnavalesco que realmente abraçou nossa causa, porém é aquele ditado. Não sendo repetitivo, estamos trabalhando sim para errar menos, e alcançar nossos objetivos, em respeito a qualquer uma coirmã. Mas é pé no chão com humildade, é trabalhar, trabalhar, trabalhar, e errar menos. Todo carnaval de São Paulo é resumido no erro, e em cima disso é que sai a campeã. Porém esse é nosso objetivo. Com certeza errar menos”, finalizou.

Declaração dos compositores

Um dos compositores do samba vencedor, Marcinho Zona Sul, falou sobre a emoção da vitória. “É uma alegria muito grande, a gente é cria da casa, estamos vindo de algumas derrotas também e é um grupo grande de compositores, mas é uma grande família. Hoje, disputar samba-enredo está muito difícil. Menos compositores, custo muito alto, mas a gente teve a felicidade de contratar pessoas boas, respeitar os nossos adversários que também já são parceiros. É uma alegria muito grande unir o samba com o hip hop. São duas vertentes, que é a cultura popular da periferia. A gente fica muito feliz em representar esse enredo em fevereiro de 2024”, declarou.

De acordo com o compositor, com esta obra, a agremiação irá fazer um grande desfile de chão, como é de costume da escola. “Foi uma final bem disputada. Dentro de mim tinha uma certeza de ter dois refrões fortes e na avenida o chão do Vai-Vai vai ser apoteótico. A comunidade abraça o samba e canta com raça. Estamos muito felizes e gratos”, comentou.

Marcinho disse que todo o samba foi feito pela internet e não houve necessidade de tantos encontros para deixar o hino pronto. “É a primeira vez que eu faço um samba pela internet. Esse samba a gente se encontrou umas duas vezes só. Depois mandamos áudios, ideias e foi se encaixando para dar essa obra bonita”, completou.

Outro compositor vencedor, Luciano Bicudo, falou que ser campeão no Vai-Vai não há maneiras de descrever. “É um sentimento indescritível, não tem explicação. É o sentimento que lava a alma. A gente que é compositor e batalha tanto para ter o êxito e é a escola do povo, a melhor que existe é o Vai-Vai e ser campeão aqui não tem nem como explicar”, disse.

Luciano também disse que é a primeira vez que participa de uma final tão acirrada, enalteceu as outras duas parcerias da casa e, segundo ele, qualquer samba que vencesse, estaria ao nível do Vai-Vai. “Nunca participei dessa forma. Máximo respeito ao Zeca e Naio, que são dois campeões. Máximo respeito a eles. De cabeça erguida, quem ganhasse, estaria bem representado”, declarou.

Perguntado sobre o ponto-alto do samba, Luciano opinou que sua parte favorita é o refrão de cabeça. “O refrão de cabeça vai balançar a avenida, arquibancada e a gente vai levar a taça”, finalizou.

Chão forte para surpreender

Um dos diretores de harmonia, Paulo Melo, disse que o Vai-Vai quer impactar no próximo desfile, surpreendendo a todos com um chão forte novamente, assim como foi no título do Acesso I no último carnaval. “Foi uma final realmente épica, pois até o último momento você não sabia. Todos estavam no agrado da comunidade. Mas eu acredito que esse samba vai fazer o Vai-Vai ter um grande canto. O Vai-Vai acabou de subir do Acesso e a gente brigou para ter um enredo diferente de todos. Queremos causar um impacto. Nós ganhamos o carnaval do Acesso porque temos chão forte e é isso que a gente vai trabalhar para surpreender novamente o Anhembi. O Vai-Vai é da rua, não tem quadra e tudo isso engrandece o nosso enredo”, declarou.

Paulo Melo, um dos diretores de harmonia do Vai-Vai

Paulo Melo estreia na direção da harmonia da escola junto com Luiz Robles. O diretor conta que está feliz pela confiança que a diretoria buscou ter em sua própria casa nesta renovação da harmonia. “Eu estou na escola desde pequeno e estou há bastante tempo na harmonia sob o comando do senhor Fernando Penteado. O Buiú deu sequência e eu tenho um carisma muito grande pelos dois. O Vai-Vai procurou renovar a harmonia e buscou pessoas da casa. Isso tranquiliza e nos dá segurança”, completou.

Samba questionador e explicação do enredo

O carnavalesco do Vai-Vai, Sidney França, opinou sobre o samba-enredo. Segundo o artista, tal obra teve um apreço desde o começo do concurso. O profissional também deu uma breve explicação do que a escola pretende fazer na avenida.

Carnavalesco do Vai-Vai, Sidney França

“Esse samba-enredo que o Vai-Vai acaba de escolher eu olho com muito carinho desde o início, porque nós precisávamos de um enredo com o DNA do Vai-Vai, mas que ao mesmo tempo tratasse o enredo com a maneira que vai ser apresentado no desfile, porque esse enredo é ácido e insurgente. É um tema questionador, de dedo na ferida. A escola vai utilizar do hip-hop para questionar. Nós vamos começar o desfile questionando o porquê da Semana de Arte Moderna de 1922 no Teatro Municipal, que foi dominado pelos filhos da elite e não tinha preto e pobre participando, já usando o linguajar do pessoal do hip-hop. É um desfile que começa questionador, fala do hip-hop de maneira popular, não vamos romantizar e sim mostrar toda carga de violência que o rap expôs na periferia, a repressão policial, o rigor do sistema com os pretos e pobres e a falta de oportunidade. Também nós vamos terminar o desfile falando sobre a ressignificação da cidade de São Paulo não de uma forma elitista, mas sim como um olhar periférico que subverta isso. Por exemplo, nós vamos botar fogo no Borba-Gato, derrubar rodovias, porque não precisamos de uma rodovia chamada Raposo Tavares, Fernão Dias e Bandeirantes, que eram saqueadores de riquezas e exterminadores de nativos. Vamos batizar com nomes como Madrinha Eunice, Geraldo Filme. É um samba questionador. Ele exalta o hip-hop, mas critica o modelo social que predomina o Brasil”, explicou.

Questionado sobre a presença da entidade Exú dentro do enredo com hip-hop, Sidney diz que a entidade é a rua. Ele é quem narra toda a história. “Na sinopse, ‘laroyê’, ‘Exú’, é o tranca-ruas, ele que começa e termina. É a voz narrativa dessa história que o Vai-Vai pretende contar. Ele vem na comissão de frente, pelo desfile e no último carro”, completou.

Ritmo do Vai-Vai satisfeito

O ‘incansável’ e longevo mestre Tadeu aprovou a escolha do samba e o enredo do hip-hop cabe totalmente com a escola. “Foi muito emocionante, o Vai-Vai tem uma comunidade muito forte, e esse enredo caiu na hora certa. Falar dos palcos para a rua do hip-hop, se identifica com a escola de samba Vai-Vai até porque por causa da cultura negra. Então nós estamos satisfeitos”, declarou.

O diretor disse que tem peso diretamente na decisão do samba vencedor. Além disso, Tadeu falou que promete dar trabalho na pista. “Participo do processo, tanto na bateria como no jurado e também acompanhamento da escola. Acompanho tudo, estou satisfeito e feliz sim. Acho que nós escolhemos um samba competitivo, e vamos dar trabalho na avenida”, finalizou.

Samba de embate

Para Luiz Felipe, intérprete oficial da agremiação, a obra vencedora que venceu se destaca porque a escola será a primeira a desfilar. De acordo com o cantor, é um samba de ‘embate’. “O samba campeão é muito bom. Primeira escola do sábado, abrindo o segundo dia de desfile, então é um samba de embate, que bate de frente, ‘olha nós aí de novo, coroa de rei, capítulo 4, versículo 3, Vai-Vai é manifesto, o povo na rua, é tradição e o samba continua’. O Vai-Vai é o povo, o Vai-Vai é a rua, e o samba o continua”, afirmou.

O cantor engrandeceu o sistema de eliminatórias do Vai-Vai e a participação da comunidade dentro dele e, também, quer que não acabe essas disputas. “O Vai-Vai é uma das poucas escolas de samba que mantém essa tradição de disputa dos sambas-enredos a vera, o povo, dando seu voto, sua escolha. E acho muito importante em uma escola de samba de 93 anos de idade. Vai-Vai é uma resistência do carnaval de São Paulo e espero que continue as disputas. Pois isso abrilhanta mais o pavilhão, foram três sambas finalistas, três sambas do Vai-Vai, da casa, com DNA de Vai-Vai e capacidade de ganhar. Mas como diz Aragão, samba-enredo só ganha um, ganhou samba 8″, completou.

Veja mais fotos da final

- ads-

Império Serrano anuncia que Darlin não é mais rainha de bateria da escola

O Império Serrano anunciou nesta sexta-feira que Darlin Ferrattry não segue cono rainha de bateria para o Carnaval 2025. Veja o comunicado da escola. "A...

Carnavalescos da Grande Rio promovem visita mediada em exposição neste sábado

Neste sábado, 02 de março, às 14h, acontecerá uma visita mediada pela exposição "Laroyê, Grande Rio!", em exibição no Museu de Arte do Rio,...

União da Ilha anuncia saída do casal de mestre-sala e porta-bandeira

A União da Ilha anunciou nesta sexta-feira a saída do casal de mestre-sala e porta-bandeira, Thiaguinho e Amanda. A dupla recebeu o prêmio "Estrela...