A previsão da Liga Independente das Escolas de Samba (Liesa) era começar no dia 16 de janeiro o calendário dos ensaios técnicos do Grupo Especial do Rio de Janeiro no Sambódromo da Marquês de Sapucaí. Porém, a troca do asfalto da pista e outras etapas da obras realizadas pela Prefeitura do Rio colocaram em xeque a realização dos treinos na Avenida.

Agora, a previsão é que o espaço só esteja liberado para os ensaios no início do mês de fevereiro. Sendo assim, a Liga teria apenas três datas para os ensaios técnicos (6, 13 e 20, sempre aos domingos). Hoje, o concreto é a realização apenas do teste de som e luz do Sambódromo com a Viradouro, a atual campeã do Grupo Especial.

O controle sanitário também é uma preocupação da Liga. A explicação foi dada pelo presidente Jorge Perlingeiro ao jornal O Globo. “Os ensaios técnicos são abertos ao público justamente para aqueles que não vão conseguir ir aos dias de desfiles porque não conseguiram ingresso. E não tem como controlar o acesso. Sabemos que haverá controle nos dias de desfiles do carnaval, mas no ensaio, não. Vamos acompanhar o cenário da pandemia até lá”.

Em entrevista para Rádio CBN, no dia 29 de dezembro, o prefeito Eduardo Paes falou sobre o Carnaval de 2022 no Rio de Janeiro. Mais uma vez, ele diferenciou os desfiles da Marquês de Sapucaí, por exemplo, onde é possível fazer controle sanitário com uso do passaporte da vacina, com os blocos nas ruas da cidade.

“Precisamos diferenciar as coisas. O baile de carnaval você tem como cobrar exame e o passaporte da vacinação. Mesma coisa na Sapucaí. Por acaso, se não pudesse acontecer a Sapucaí, o Flamengo também não poderia jogar no Maracanã. Tem o estádio do futebol e o estádio do samba. As escolas de samba estão ensaiando nas ruas e não existe nenhuma restrição”, disse Paes.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui