Quem passou pelo Campo de São Cristóvão na noite desta segunda-feira, percebeu porque o Paraíso do Tuiuti se tornou uma grande escola e se firmou no Grupo Especial. O último ensaio do ano, que começou por volta de 22h30, mostrou que a agremiação pode sonhar com uma vaga no sábado das campeãs. Um número maior de desfilantes se fez presente no treino e a melhoria de seus quesitos, principalmente harmonia e evolução, ficou nítida. A escola teve um volume de canto maior e progrediu na pista já pensando no desfile oficial. Mesmo com o ensaio se encerrando além da meia-noite, todos mostraram muita energia, embalados por mais um grande desempenho do carro de som e da bateria de Mestre Marcão.

Pouco antes do início do ensaio, o presidente Renato Thor fez um breve discurso para sua comunidade: “Em primeiro lugar, quero agradecer a Deus, por nos oportunizar esse momento maravilhoso. Venho aqui hoje agradecer toda minha comunidade por esse empenho e dedicação. O samba está na ponta da língua, está junto com a evolução. É mais um carnaval que só depende da gente. Um feliz Natal para todos vocês e família, um feliz ano novo também. Que seja um ano de muita prosperidade, de muita felicidade para toda família Tuiuti e todos os presentes aqui também. Nesse momento, eu gostaria que todos os componentes da nossa escola, do Quilombo do Samba, se cumprimentassem trocando energia no rufar da nossa bateria. Vamos lá, Tuiuti!”

O Paraíso do Tuiuti levará para o carnaval de 2024 o enredo “Glória ao Almirante Negro!”, de autoria do carnavalesco Jack Vasconcelos, para homenagear João Cândido. A escola será a quinta a se apresentar na segunda-feira de carnaval.

Comissão de Frente

Trazendo um número maior de bailarinos do que nos últimos ensaios, os comandados por Claudia Mota e Edifranc Alves mostraram uma coreografia bastante forte e valente, dando o tom do enredo da escola. Vários trechos do samba são marcados por passos bem característicos. Foi possível ver movimentos simulando o balanço do mar e do navio, além dos grilhões presos aos escravos. O ponto alto da apresentação foi quando uma das integrantes foi erguida por vários outros, posteriormente se jogando de costas e sendo amparada por eles. É uma comissão de frente que promete muito.

Mestre-sala e Porta-bandeira

Raphael Rodrigues e Dandara Ventapane, que formam o primeiro casal de mestre-sala e porta-bandeira do Tuiuti, fizeram mais uma apresentação apostando no tradicional, com alguns momentos coreográficos, vistos principalmente durante o refrão de meio do samba-enredo. Os movimentos durante o “Lerê, Lerê mais um preto lutando pelo irmão…” são bonitos e impactantes. A dupla se mostrou bem entrosada, aproveitando bastante o espaço de bailado. Raphael e Dandara estavam muito focados e seguros de seus movimentos, trocando olhares a todo instante.

Samba-enredo

A obra musical composta por Cláudio Russo, Moacyr Luz, Gustavo Clarão, Júlio Alves, Alessandro Falcão, Pier Ubertini e W Correia, teve um ótimo rendimento, guiada pelo grande desempenho do intérprete principal Pixulé e seu time de cantores. Com sua voz potente e inconfundível, o cantor oficial se mostrou bastante seguro e confortável para brincar com o samba. Os cantores de apoio, entre eles Leonardo Bessa e Hudson Luiz, sustentam muito bem a obra musical durante toda sua execução. A letra da obra retrata com perfeição o momento histórico que a escola pretende trazer na avenida. A melodia traz nuances belíssimas que valorizam o samba.

O cantor Pixulé falou sobre o rendimento do samba em entrevista ao Site CARNAVALESCO: “Nossa harmonia com o canto da escola está cada vez melhor. Eu diria que está 100%. Vou ser até um pouco prepotente no que vou dizer agora. Carro de som, bateria, comunidade. Se o desfile fosse amanhã, o Paraíso do Tuiuti, o Quilombo do Samba estaria pronto!”

Harmonia

O Tuiuti mostrou que o discurso de seu presidente estava correto. O samba está na ponta da língua dos componentes. Em comparação com os ensaios anteriores, foi possível notar uma melhora no volume e força do canto. Isso muito se deveu ao aumento no número de desfilantes, mas também ao costume maior de todos com a obra musical e a garra para defendê-la. O ponto alto é o refrão de meio, cantado com bastante força pelos integrantes. A preparação para o refrão principal, “Salve o Almirante Negro/Que faz de um samba-enredo/Imortal!”, também é um outro trecho de canto mais potente.

Em entrevista ao Site CARNAVALESCO, o diretor de harmonia Luis Carlos Amâncio falou sobre o crescimento da harmonia: “Gostei muito do ensaio de hoje. Estamos cada vez melhores. É um trabalho que vamos fazendo a cada semana. O último ensaio já tinha sido muito bom, mas hoje realmente foi excelente. A comunidade toda estava aí cantando. Todo mundo está de parabéns pela entrega. Agora é seguir trabalhando para que no desfile seja perfeito”.

Evolução

Outro quesito que teve uma boa melhora, também impulsionado pelo maior contingente. A escola desfilou com tranquilidade, sem abrir buracos entre suas alas, e sem apertar o passo de forma desnecessária. Todos mostraram bastante animação e potência para cantar e brincar. No final do percurso, já na entrada da quadra da escola, os principais segmentos terminavam o ensaio se apresentando para os diretores e presidente, numa grande celebração.

O diretor de carnaval André Gonçalves, em entrevista ao Site CARNAVALESCO, falou sobre o desempenho da escola no último ensaio do ano: “A expectativa era muito grande. Cumprimos hoje uma meta. Como venho falando, estamos lapidando um trabalho. Mas hoje foi tudo muito perfeito para fechar o último ensaio. A comunidade estava bastante mexida. Você percebeu que tinha uma quantidade muito maior de componentes, porque o tempo vai puxando. A partir de janeiro, mesmo no calor, vai estar todo mundo aqui no meio da rua ensaiando com a gente até o final”.

Outros destaques

Outro ponto alto do ensaio foi a bateria ‘’Super Som’’, comandada por Mestre Marcão. O desempenho dos ritmistas também foi fundamental para o rendimento do samba-enredo, que não arrastou em nenhum momento. O andamento se mostra perfeito para a obra. As bossas planejadas por Marcão e sua equipe são um show à parte. Muito adequadas e perfeitamente encaixadas no samba.