O samba paulistano amanheceu mais triste nesta sexta-feira. Na data, morreu Geraldo Sampaio Neto, conhecido por todos no carnaval como Borjão, dos grandes baluartes do Barroca Zona Sul, escola do Grupo Especial do carnaval da cidade. Borjão foi presidente do Barroca Zona Sul em quatro oportunidades:

Foto; Divulgação/Barroca

– 1990 a 1995
– 1997 a 2003
– 2005 a 2007
– 2010 a 2014

Durante os mandatos do baluarte, a escola esteve seis vezes na principal divisão do carnaval de São Paulo – sendo que, em toda a história da agremiação, já contando o ano de 2024, são vinte e quatro aparições no Grupo Especial.

O enredo desse ano, por sinal, leva o nome de um bordão que ficou muito conhecido em todo o carnaval paulistano e que repetidamente era falado por Borjão: “Nós nascemos e crescemos no meio de gente bamba. Por isso que nós somos a Faculdade do Samba. 50 anos de Barroca Zona Sul”. A verde e rosa do Jabaquara, comandada atualmente por Ewerton Cebolinha (filho do baluarte), será a segunda escola a desfilar na sexta-feira de carnaval (09 de fevereiro).