Durante o seminário “Harmonia em evolução”, que reuniu, no último sábado, profissionais renomados de algumas escolas de samba do Rio, na quadra da Viradouro, em Niterói, a deficiência do som nos desfiles, reclamação que se arrasta há décadas, foi unanimidade entre os debatedores como um ponto que precisa ser solucionado.

Foto: Divulgação/Viradouro

O assunto foi tema da terceira mesa que reuniu os mestres do ritmo: Ciça, da Viradouro, Macaco Branco, da Vila Isabel, e Marcelo Santos, da União da Ilha. Uma das queixas é que o técnico que equaliza o som desconhece as características dos instrumentos. A possibilidade de todas as escolas poderem contar, nos ensaios técnicos da Sapucaí, com os carros de som do desfile seria uma das formas de tentar minimizar as falhas.

Um outro seminário vai acontecer no dia 3 de agosto, com a participação de carnavalescos, enredistas, profissionais de gestão de ateliê, de iluminação, de assessoria de imprensa e de redações.