InícioGrupo EspecialMangueira perde ponto por falta de acabamento nas alegorias e adereços

Mangueira perde ponto por falta de acabamento nas alegorias e adereços

A Estação Primeira de Mangueira terminou no sétimo lugar em 2024. A Verde e Branco contou sobre a vida e carreira da cantora Alcione, com o enredo “A Negra Voz do Amanhã” na Avenida. A escola ficou com um total de 268,8 pontos. O quesito “Alegorias e Adereços” foi julgado por Fernando Lima, Walber Ângelo de Freitas, Madson Oliveira e Soter Bentes. A agremiação recebeu um 9,7, dois 9,8 e um 10, com 29,6 no total. A retirada de pontos foram justificadas pela falta de acabamento das alegorias e adereço e, também, pela falha das luminárias da alegoria.

A nota mais baixa do quesito foi dada pelo jurado, Fernando Lima, com 9,7. “Alegoria 01- falhas no adornos e fitas de arremate dos revestimentos e apliques dourados (desalinhados) (-0,05). Alegoria 02 – Luminárias dos adornos nas arestas e traseira da alegoria, passaram totalmente apagadas em frente ao módulo (-0,05). Alegoria 3 – Muitas falhas na execução dos revestimentos nos elementos cênicos detectado uma sacola abaixo do platô do destaque superior central. Escultura da homenageada danificada, tendo a cabeça sustentada por um componente (-0,1). Tripé “Alerta geral” – composição volumétrica e cromática (preto/cromado) monótona, não produziram, visualização favorável conjunto (-0,1). Concepção – 4,9 Realização – 4,8. Total – 9,7”.

Walber Ângelo de Freitas deu 9,8 para a Mangueira no quesito Alegorias e Adereços. “Concepção: (-0,1) A concepção de “caixas“ como fechamento posterior, presente na maioria das alegorias, desvalorizou o conjunto pela pouca inovação, pêso visual e comprometeu a criatividade necessária ao desfile comparativo. Realização: (0,1) Penalizada pelo esquecimento de uma sacola plástica ou similar, na lateral traseira da alegoria 03, exatamente na lateral que é vista pelo nosso módulo. Observou-se acabamento fosco, de pouco impacto visual, na alegoria 04, que desmereceu a ideia e o produto final”.

Novamente outra nota 9,8 a agremiação recebeu por Madson Oliveira. A ausência de criatividade e versatilidade, além do acabamento, aparecem nos argumentos do jurado. “0,2 foram descontados. Conjunto alegórico apresentado mostrou-se pouco criativo por utilizar soluções estéticas muito comuns e, portanto, com um pouco impacto visual. Na alegoria 3 o costeiro do destaque alto estava soltando, assim como havia problemas de forração e acabamento”.

Para Soter Bentes o quesito Alegorias e Adereços da Verde e Rosa foi nota 10.

- ads-

Jorge Silveira exalta preparação da Mocidade Alegre para ganhar duas categorias no Estrela do Carnaval: ‘São Paulo cada vez mais competitivo’

Em 2024, a Mocidade Alegre foi bicampeã do Grupo Especial do carnaval de São Paulo, conseguindo unir beleza e facilidade de leitura para tratar...

Ei Psiu! Emerson Dias comemora chegada no carnaval de São Paulo e estreia levantando comunidade da MUM

A Mocidade Unida da Mooca apresentou seu novo intérprete para o carnaval de 2025, e é Emerson Dias, que fará sua estreia em São...

É a bateria do Zaca! Mestre Serginho se diz contente pela proposta diferente e conquista do Estrela do Carnaval

A “Bateria do Zaca” vive uma fase espetacular. É o segundo ano consecutivo em que a batucada comandada por mestre Serginho conquista os 40...