Compositores: Gustavo Gasparani, João Callado e Psé Diminuta

“Bate outra vez”
Bate o surdo de marcação
A esperança embala a canção
Fazendo o morro sonhar

Sonhar… que é de novo Carnaval!
E “não desejamos mais nada”, não.
Pois “a lua prateada, silenciosa”
Ilumina, lá do alto, em verde e rosa
As estrelas da nossa constelação

Angenor, José e Laurindo
Griôs de um povo tão lindo
Que hoje desce sorridente a cantar
Pega na barra da saia que a baiana vai girar

OOOOÔ, Mangueira é musa do compositor
OOÔ, OOÔ, foi mestre Cartola quem batizou

Delegado!
Dança… o bailarino da favela
Riscando o asfalto em aquarela
Um gênio na arte de bailar
O poder da criação tem magia
Nasce no morro e “nem cabe explicação”
Ao longe ouço a “doce melodia”
Uma voz que arrepia, levantando a multidão
E se a voz tem alma e coração
Seu nome é Jamelão

O quilombo da Mangueira
Vem em festa desfilar
É força, é raça, é povo
Resistência da cultura popular

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui