Em decisão da 3ª Vara Cível da Regional de Bangu foi suspensa a eleição presidencial da Mocidade Independente de Padre Miguel. O pleito estava marcado para o dia 29 de abril. Procurada pelo site CARNAVALESCO, a atual direção da Verde e Branco de Padre Miguel informou que “buscará reverter a decisão, pois a mesma é baseada em argumentos inverídicos. Em nenhum momento a sede social da agremiação, na Rua Coronel Tamarindo, 38, esteve fechada para a inscrição de qualquer chapa. A inscrição teve como prazo final o dia 14 de abril, conforme consta no estatuto”.

Foto: Eduardo Hollanda/Divulgação

Os autores da ação, da oposição da Mocidade, alegam que a atual direção da escola “estaria violando direitos dos associados no processo eleitoral de escolha do próximo presidente, tendo excluído arbitrariamente 241 sócios”.

Ainda na ação o grupo de oposição diz que “houve irregularidades no processo de recadastramento dos sócios no ano de 2022, que teria ocorrido sem a necessária publicidade (somente através de publicação no jornal Extra e sem qualquer menção nas redes sociais oficiais da ré) e em período curto de duração, interrompido pelo feriado de carnaval.

Os autores “alegam, ainda, que a listagem dos sócios foi registrada somente em 16.01.2023 e que a atual diretoria teria incluído 128 novos sócios em desacordo com o Estatuto Social, além de promover irregularmente outros sócios ligados à atual gestão para Beneméritos e grandes Beneméritos, títulos que conferem peso 2 e peso 3 na votação para presidente. Por fim, sustentam que sócios grandes Beneméritos contrários à atual administração foram rebaixados sem qualquer justificativa plausível e que não foram entregues comprovantes de recadastramento a todos os sócios que compareceram ao ato, culminando com a exclusão indevida de alguns deles”.