Os leitores do site CARNAVALESCO elegeram o enredo da Imperatriz Leopoldinense como o melhor entre as agremiações do Grupo Especial do Rio de Janeiro para o Carnaval de 2024. A Rainha de Ramos venceu a enquete ao alcançar 18,4% da preferência, ante 13,9% da Portela, segunda colocada, e 11,4% da Viradouro, que terminou em terceiro lugar. Esse resultado foi celebrado por integrantes da verde, branca e ouro que destacaram a importância dessa boa recepção do público ao tema que a escola desenvolverá no desfile do ano que vem. * OUÇA AQUI OS SAMBAS CONCORRENTES

Fotos: Nelson Malfacini/Divulgação Imperatriz

“Já é um pontapé inicial muito bom. Agora, a gente tem que mostrar para o povo lá na Avenida que nós merecemos esse reconhecimento, esse título de melhor enredo de 2024. Quando o Leandro apresentou essa proposta para gente, me arrepiei. Cigana Esmeralda está com a gente. E garanto que vamos fazer um Carnaval ainda maior que o anterior. Em 2023, a gente fez um grande desfile, Lampião nos representou super bem, mas eu acho que a gente vem com a sorte da cigana que vai dar todo um diferencial”, afirmou a presidente gresilense Cátia Drumond.

“É muito importante, principalmente porque mostra que o objetivo da escola de samba foi atingido. Eu acho que a Imperatriz, desde o ano passado, busca enredos com características populares e o resultado dessa enquete demonstra que a nossa escolha para 2024 se trata, de fato, de um enredo popular. O Carnaval precisa disso, de enredos que o público se identifique e que possam gerar grandes narrativas. E esse enredo da Imperatriz fala muito sobre o que é a vida do brasileiro. Todos querem encontrar um testamento que diga como é que se faz para ter os dias só de sorte, né? Evitar os dias de azar e ter sorte grande. Então assim, eu acho que é um enredo super popular e quando o Leandro nos trouxe a ideia da narrativa, todo o leque de opção estética que ela poderia proporcionar, vimos que seria um golaço. A gente está muito satisfeito, muito feliz, muito ansioso para levar isso para a Avenida no ano que vem”, declarou João Drumond, diretor executivo da agremiação.

Em 2024, a Imperatriz Leopoldinense apresentará o enredo “Com a sorte virada pra lua segundo o testamento da cigana Esmeralda”. A ideia do tema surgiu de um pequeno folheto que foi escrito há mais de 100 anos por Leandro Gomes de Barros, autor paraibano de cordéis que inspiraram o dramaturgo Ariano Suassuna a escrever o “Auto da Compadecida”. Para o carnavalesco Leandro Vieira, a proposta dá continuidade ao seu interesse em se debruçar sobre o Brasil e sobre obras populares que souberam dar contorno à imaginação de caráter fantástico como uma extraordinária vocação do povo brasileiro.

“Fico feliz com essa eleição [de melhor enredo do Grupo.Especial], até porque o trabalho que eu tenho desenvolvido para Imperatriz pensa muito nessa relação da escola com o público, tem o interesse em dialogar. A ideia é justamente transmitir uma Imperatriz desposta a flertar. Acho que o resultado dessa pesquisa aponta o que flerte da Imperatriz tem dado certo. É um enredo muito alegre, feliz, que de certa forma se encaixa com o atual momento da Imperatriz. Basta olhar a quadra, é fácil perceber que a escola está alegre, que a escola está feliz. É natural que enredos alegres façam parte do repertório dessa Imperatriz”, pontuou Leandro em conversa com o site CARNAVALESCO.

Ainda na entrevista, Leandro Vieira afirmou não se intimidar e nem se sentir pressionado com o fato da Imperatriz ser a atual campeã do Carnaval carioca. De acordo com o artista, a agremiação não pode fazer um desfile única e exclusivamente pensando no bicampeonato. Para ele, a prioridade do trabalho deve ser, acima de tudo, agradar o componente e o torcedor gresilense.

“Não tenho medo desse peso, porque eu não faço nada obcecado pelo campeonato. Na minha visão, uma das coisas que faz com que uma escola ganhe é essa relação um pouco menos dura com a possibilidade de ganhar. Às vezes, a gente na intenção ou na certeza de ganhar acaba abrindo mão de determinados riscos. Quem quer ganhar demais quer fazer tudo muito certo, porém diversas vezes o certo para um desfile é o improvável. Então, não sou obcecado por essa coisa de pensar um desfile para ser campeão. Penso para poder atingir de alguma forma a plenitude de uma comunidade. Os campeonatos que eu conquistei com outras escolas e com a Imperatriz, todos têm em comum um fato das comunidades terem se agigantado junto. Não é quem gasta mais dinheiro, não é quem é mais técnico, não é quem é mais bonito, não é quem é maior. É quem faz com que uma comunidade pise crendo que é possível. Então, a Imperatriz ano que vem vai seguir esse caminho, o caminho de fazer com que a comunidade se sinta em primeiro lugar alegre e que essa alegria seja o motor para algo maior”, defendeu.

Ao comentar sobre o sucesso dessa parceria com a Imperatriz e o novo momento da agremiação, Leandro Vieira negou que exista um segredo ou uma fórmula exata para isso. O artista também rechaçou a fama de escola técnica e fria que foi imputada à Rainha de Ramos na década de 1990 e que a acompanhou por muito anos.

“Não existe escola de samba fria. Escola de samba é povo, e o povo tem essa alegria. São três mil pessoas que vivem os mesmos dilemas, as mesmas tristezas, os mesmos perrengues e que encontram nas escolas de samba um lugar de riso, um lugar de afeto, um lugar de aquilombamento. Eu nunca acreditei em escola fria. Acho que não existe, sinceramente”, garantiu Leandro Vieira.

A Imperatriz será a última escola a desfilar no domingo de Carnaval, dia 11 de fevereiro, encerrando o primeiro dia de apresentações do Grupo Especial. Na ocasião, a escola irá em busca do décimo título de sua história na elite da folia carioca.