A Grande Rio, em seu desfile de 2022, vai levar para a Sapucaí um grupo de pandeiristas. Nele, passistas masculinos fazem malabares com um pandeiro, interagindo com as passistas femininas. A ala dos pandeiros, como vem sendo chamada na agremiação, surgiu, segundo o Diretor de Carnaval Thiago Monteiro, como resultado da proposta de valorizar o samba no desfile, mostrando uma escola mais solta.

Foto: Justin Scott Parr/Divulgação Grande Rio

“Pensamos em resgatar a tradição que se via nos anos 1970 e 1980, em que havia esses grupos que mostravam o samba no pé, o samba raiz. A ideia é ser bem alegre, uma característica do passista à moda tradicional. Vimos nesse enredo, que fala de Exu e da energia das ruas, um excelente mote para reviver isso em nosso desfile”, comemora Thiago, lembrando também que, em 2020, a escola também reeditou sua ala de casais de mestre-sala e porta-bandeira mirins, com aprovação de público e crítica.

De acordo com a diretora da ala de passistas Marisa Furacão, a ideia foi muito bem recebida por suas dançarinas. “Quando eu comentei sobre a proposta com elas, a empolgação foi geral. Os meninos e as meninas estão treinando para reeditar esse grupo. Os passistas masculinos também estão muito entusiasmados. Muitos nunca haviam usado um pandeiro para rodar. Estudaram vídeos e fotos e estão se saindo muito bem”, afirma Furacão.

Os treinos específicos começaram assim que o projeto foi apresentado para os diretores. Avelino Ribeiro, que coordena os passistas masculinos da agremiação, comenta que os rapazes ficaram surpresos com a ideia e felizes pela valorização de seu trabalho. “Optamos por recrutar os pandeiristas dentro da nossa ala. Os interessados começaram a ensaiar e hoje estão mostrando uma incrível habilidade”, garante o diretor. Além disso, Avelino é um entusiasta da proposta: “Com a modernização do Carnaval, esse quadro desapareceu da Avenida, por preocupações com a cronometragem e padronização dos desfiles. Estamos muito orgulhosos por retomar essa tradição, que mostra nossa alegria e propicia a interação com o público”, ele assegura.

Ao que parece, esse diálogo com o público está garantido. Prova disso é que a proposta está fazendo sucesso não só entre os passistas, mas também entre os componentes da escola e até mesmo de outras agremiações. De acordo com Marisa Furacão, a comunidade foi extremamente receptiva com a ideia. “São vários os momentos, nos ensaios, de aplausos e fotos. Inclusive pessoas de outras escolas estão nos parabenizando e indo à nossa quadra para assistir”, exulta ela.

O Acadêmicos do Grande Rio levará para a Avenida em 2022 o enredo “Fala, Majeté: Sete Chaves de Exu”, desenvolvido pelos carnavalescos Gabriel Haddad e Leonardo Bora.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui