InícioGrupo EspecialGrande RioGrande Rio sonha em repetir posição de desfile do inesquecível 2022

Grande Rio sonha em repetir posição de desfile do inesquecível 2022

Supersticioso, o mestre de bateria da escola de Duque de Caxias torce para que a agremiação desfile na mesma posição de 2022

Segunda escola a desfilar no domingo do carnaval de 2023, a Acadêmicos do Grande Rio vai para o sorteio da ordem dos desfiles de 2024, que ocorre nesta terça-feira, com a esperança de uma melhor posição para entrar na Sapucaí no próximo ano. Em entrevista ao site CARNAVALESCO, o intérprete Evandro Malandro e o mestre Fafá comentaram sobre a expectativa para que saibam a ordem e o dia em que a agremiação entrará na Passarela do Samba.

Foto: Nelson Malfacini/CARNAVALESCO

Fafá disse estar ansioso para o resultado do sorteio. Supersticioso, o mestre de bateria da escola de Duque de Caxias torce para que a agremiação desfile na mesma posição de 2022, ano em que se consagrou campeã do carnaval carioca.

“É uma expectativa muito boa para que, se Deus quiser, tudo dê certo para a gente. Estou muito animado para o sorteio. A escola está muito animada com o enredo e eu também. No ano em que a Grande Rio foi campeã, foi a quinta escola de segunda-feira. Se isso se repetir (a ordem), para mim seria incrível e mágico. Mas vamos aguardar que seja feita a vontade do papai do céu”, comentou Fafá.

Apesar de desejar que a escola entre na segunda-feira, o mestre de bateria pontuou que para ser campeã o que importa, de fato, é o trabalho realizado ao longo do ano. Senso comum entre os sambistas de que o lado dos correios é o melhor para a concentração, Fafá torce por uma posição que deixe a Grande Rio no lado par da Passarela do Samba.

“Primeiro ponto é que para ser campeão a gente não tem que escolher dia. O dia que for, tem que fazer um grande trabalho e esperar o julgamento dos jurados. Mas eu tenho preferência pela segunda-feira e acho que todo mundo também tem essa preferência, porque é um dia que você consegue corrigir algo que esteja errado – acredito que todo mundo tenha esse pensamento. Particularmente, acho que a colocação perfeita para a Grande Rio seria terceira ou quinta de segunda-feira, porque a gente gosta de desfilar do lado dos correios. Seria ótimo”, destacou.

Questionado sobre a diferença entre desfilar no domingo e na segunda-feira, Fafá disse que “Define um dia a mais de descanso e preparação – principalmente para a gente da bateria, porque, de repente, podemos ver alguma caixa de som na Avenida que possa estar dando algum problema, um delay ou algo parecido. A gente sempre torce que não aconteça nada, até mesmo para não prejudicar o trabalho dos nossos amigos. Esperamos que dê tudo certo”.

Marca registrada do mestre de bateria nas apurações, o terço de Nossa Senhora Aparecida e a fé não podem faltar na esperança de uma boa colocação na ordem dos desfiles de 2024.

“A única superstição que tenho é agarrar o meu terço de Nossa Senhora Aparecida e rezar bastante para abençoar a mão dos nossos presidentes ou de algum diretor que venha puxar a bolinha lá na hora. Mas é como eu disse: não tem como escolher um dia para ser campeão, tem que ser campeão no dia que desfilar. A gente sabe que todo mundo quer a segunda-feira, mas é cada um com a sua fé. A gente vai orando, rezando e pedindo. Eu vou fazer as minhas orações até o dia 20 para que, se Deus quiser, a gente possa desfilar na segunda-feira entre terceiro e quinto, ali no lado dos correios. Já fico bastante feliz (Risos)”, afirmou o mestre de bateria.

O intérprete Evandro Malandro destacou que a agremiação fez um belo desfile no último carnaval, mesmo sendo a segunda escola de domingo. Para ele, a expectativa é de uma melhor posição para entrar na Marquês de Sapucaí. Questionado se tem alguma superstição, Evandro ressaltou a fé em Exu para que os caminhos sejam abertos.

“As minhas expectativas são as melhores possíveis. Eu estou muito confiante que a Grande Rio vá pegar uma ótima colocação, embora a gente tenha feito um ótimo desfile com a colocação que pegamos – sendo a segunda escola a desfilar no domingo. Precisamos de uma colocação um pouco melhor do que a do último carnaval. A superstição é Exu, porque é ele que abre o caminho e resolve tudo. Eu peço para Exu que dê tudo muito certo no nosso sorteio e na nossa colocação. A minha superstição é colocar a minha guiazinha de Exu, preparar as coisas aqui direitinho antes de sair de casa. Pedimos muito a Jesus Cristo. A gente se agarra nas coisas que confiamos”, afirmou o intérprete.

Para ele, o trabalho ao longo do ano pesa muito mais que a ordem do desfile. Apesar disso, o intérprete torce por uma ordem melhor do que a do último carnaval.

“Na verdade, a ordem do desfile não influencia no nosso trabalho não, até porque ele é feito em oito e nove meses de preparação. O grande lance é o termômetro da Sapucaí. As pessoas costumam dizer que a primeira e a segunda escola, se não fizer um ótimo desfile, não terá tanto prestígio por ser a segunda ou a primeira. Mas a gente tem um trabalho muito coeso, fechado e muito próprio. O trabalho é muito importante, mais do que a colocação do desfile”, comentou Evandro Malandro.

“Embora todo mundo escolha a segunda-feira, eu acho que se tivermos uma boa colocação, mesmo que seja no domingo, acho que fico muito mais feliz, porque ser a segunda de domingo não foi tão interessante para a Grande Rio. Sendo a quarta e até a terceira escola de domingo estaria bem situada sim”, completou.

- ads-

Alberto João faz seu balanço do Carnaval 2024

https://www.youtube.com/watch?v=fCZ8MqElUEM Arte em cima da foto de Dhavid Normando/Divulgação Rio Carnaval

Vai e vem do Carnaval SP: Cahê Rodrigues é o novo carnavalesco do Camisa Verde

A semana pós-desfiles foi agitada nas escolas de samba de São Paulo e os carnavalescos de quase todas as agremiações do Grupo Especial foram...

Já de olho em 2025, Colorado do Brás comemora resultado e manutenção do trabalho

O rebaixamento da Colorado do Brás no Grupo Especial de 2022 foi bastante sui generis. A escola foi penalizada em meio ponto por conta...