InícioSérie OuroFreddy Ferreira analisa bateria da Estácio no ensaio técnico

Freddy Ferreira analisa bateria da Estácio no ensaio técnico

Uma boa apresentação da bateria “Medalha de Ouro” da Estácio de Sá, dirigida por mestre Chuvisco. Aquele ritmo estaciano clássico, além de bastante integrado a obra da agremiação. Com tempo de sobra para ajustes, a bateria da Estácio mostrou estar em um bom caminho visando o Carnaval 2024.

Uma bateria da Estácio particularmente pesada foi percebida, com sua característica afinação mais grave. Marcadores de primeira e segunda foram precisos durante o cortejo, sustentando o andamento e garantindo base sólida para que o balanço consistente dos surdos de terceira seja destaque. A parte de trás do ritmo também contou com uma ala de repiques coesa e ressonante, além das tradicionais caixas de guerra estacianas com seu genuíno toque em cima, sem uso de talabarte e com levada peculiar de partido alto. Atabaques também ajudaram a preencher a sonoridade da cozinha da bateria da escola do morro de São Carlos, além de ter dado um amparo luxuoso em bossas.

Na parte da frente do ritmo, uma ala de cuícas de qualidade foi notada, assim como um naipe de chocalhos que se exibiu com bom volume. Um naipe de agogôs de nítida virtude sonora executou um desenho rítmico pautado pela melodia do grande samba-enredo estaciano. Seguindo o mesmo caminho, uma ala de tamborins de boa técnica musical apresentou uma convenção rítmica baseada nas nuances melódicas da obra.

A desafiadora e atrevida bossa na segunda do samba mostrou que ainda precisa de mais ensaios para ser assimilada e executada de forma mais limpa, além de fluída. Seu nível de complexidade é grande, bem como o elevado grau de dificuldade para executar o arranjo. Sendo mais trabalhada, pode ser um diferencial durante o desfile, mesmo carecendo ainda de uma execução mais caprichada.

O arranjo do refrão do meio mostrou bom balanço, além de plena integração musical com o samba da Estácio. Num misto de pressão e swing envolvente.

A energética bossa do refrão principal, com dancinha de um lado para o outro se mostrou um sucesso, mesmo extensa, terminando quase no final da primeira do samba, com direito a um notável balanço rítmico de Jongo. Sua complexidade é considerável, mas a sua execução foi privilegiada. Se demonstrou um acerto, tanto para interação popular, quanto pela sonoridade de destaque.
Possivelmente pode ser um dos momentos musicais da bateria da Estácio de maior aclamação do público no seu desfile. Uma bateria “Medalha de Ouro” que mostra estar num bom caminho, visando o Carnaval 2024.

- ads-

Império Serrano anuncia que Darlin não é mais rainha de bateria da escola

O Império Serrano anunciou nesta sexta-feira que Darlin Ferrattry não segue cono rainha de bateria para o Carnaval 2025. Veja o comunicado da escola. "A...

Carnavalescos da Grande Rio promovem visita mediada em exposição neste sábado

Neste sábado, 02 de março, às 14h, acontecerá uma visita mediada pela exposição "Laroyê, Grande Rio!", em exibição no Museu de Arte do Rio,...

União da Ilha anuncia saída do casal de mestre-sala e porta-bandeira

A União da Ilha anunciou nesta sexta-feira a saída do casal de mestre-sala e porta-bandeira, Thiaguinho e Amanda. A dupla recebeu o prêmio "Estrela...