Um desfile correto da bateria “Ritmo Feroz” da Unidos do Porto da Pedra, sob comando de mestre Pablo. Arranjos conectados à nordestinidade atrelaram culturalmente a sonoridade da Porto ao enredo sobre Lunário Perpétuo. Bossas com impacto e pressão foram exibidas com firmeza e ferocidade peculiar dos surdos gonçalenses. Mas sem exageros no uso da força, o que garantiu apresentações corretas para julgadores. Uma pena somente uma fantasia de bateria quente e com um chapéu que possivelmente prejudicou a percepção sonora integral dos ritmistas do Tigre.

A cozinha da bateria da Porto contou com sua tradicional afinação de surdos, mais pesada. Marcadores de primeira e segunda tocaram com firmeza, enquanto os surdos de terceira foram eficientes, contribuindo com balanço tanto em ritmo, quanto nos arranjos musicais. Um naipe de repiques coeso tocou conectado a uma ala de caixas de guerra com boa ressonância.

Na parte da frente da bateria, uma ala de agogôs funcional executou um desenho rítmico simples junto de um naipe de cuícas correto. Chocalhos de nítida qualidade musical tocaram de modo interligado a um naipe de tamborins de virtude técnica, que realizou uma convenção rítmica pautada pela melodia do samba com eficácia.

Bossas que se aproveitaram do impacto sonoro do peso das marcações foram percebidas. Todas com bastante integração musical com o samba da vermelha e branca de São Gonçalo. Bastante pertinente atrelar a musicalidade da “Ritmo Feroz” a levadas nordestinas, demonstrando bom gosto musical.

A apresentação na primeira cabine (módulo duplo) ocorreu de forma satisfatória. Importante ressaltar que havia instabilidade sonora na cabeceira da pista, mas não a ponto de comprometer a exibição nos dois primeiros módulos. Na segunda cabine (terceiro módulo) foi realizada uma apresentação segura, mas ligeira e em movimento. Já na última cabine, infelizmente uma apresentação apressada por causa do tempo escasso garantiu somente a exibição de uma bossa, mas sem um momento mais estendido para a apreciação do ritmo por parte do julgador. Uma bateria “Ritmo Feroz” correta da Porto da Pedra, dirigida por mestre Pablo em sua estreia no Grupo Especial.