InícioSão PauloForte chuva afeta ensaio técnico da Colorado do Brás no Sambódromo do...

Forte chuva afeta ensaio técnico da Colorado do Brás no Sambódromo do Anhembi

A Colorado do Brás abriu a segunda semana de ensaios técnicos no Sambódromo do Anhembi, em preparação para os desfiles do Carnaval 2023. Única agremiação a realizar um treino geral na última sexta-feira, a Vermelho e Branco do Canindé teve sua apresentação muito comprometida pela forte chuva que começou a cair assim que a comunidade pisou na Avenida. Apenas a comissão de frente conseguiu dar uma amostra de seu valor logo no começo, o que somado ao pequeno número de componentes que compareceram, fez com que a escola encerrasse sua passagem com apenas 45 minutos. A Colorado lutará para retornar ao Grupo Especial com o enredo “A Ópera de Um Pierrot”, e será a sexta escola do Grupo de Acesso a se apresentar no domingo, dia 19 de fevereiro.

Comissão de Frente

Único quesito da Colorado que conseguiu aproveitar de fato o ensaio em algum momento, a Comissão de Frente apresentou uma dança leve, rica em expressões faciais com o protagonismo de um casal levemente caracterizado como Pierrot e Colombina. A coreografia se encaixa no andamento de uma passagem do samba da escola, tendo como ponto de partida um bater de palmas de todos os atores ao mesmo tempo durante o refrão principal.

De acordo com a coreógrafa Paula Gasparini, a mensagem que o grupo cênico pretende transmitir é a de que, mesmo na tristeza e independente do motivo, as pessoas podem optar em passar por esse momento e alcançar a alegria. A julgar pelo fato de ser o único elemento do desfile que conseguiu passar de forma convencional pela Avenida, a expectativa é de uma bela apresentação no desfile oficial.

Mestre-Sala e Porta-Bandeira

A chuva foi impiedosa com o primeiro casal da Colorado, Brunno Mathias e Jéssica Veríssimo. Os dançarinos até tentaram realizar sua parte no treinamento e mostraram boa sincronia no primeiro setor, mas antes que pudessem chegar ao segundo o mestre-sala abdicou de seus calçados, e passou a dançar de forma protocolar com a porta-bandeira, que apostou em sapatilhas simples para o ensaio. A intensidade da precipitação aumentou de tal maneira ao longo da passagem da Vermelho e Branco que o casal abriu mão até mesmo do pavilhão, que foi protegido por um dos diretores até a saída da Avenida. Brunno e Jéssica aproveitaram a situação para dançar juntos de forma descontraída ao som da bateria Ritmo Responsa, tanto que assim que cruzaram a linha de chegada, ambos retornaram pelo corredor e se juntaram aos ritmistas, lembrando o ritual padrão do antigo guardião do manto da agremiação, Ruhanan Pontes.

Fotos: Fábio Martins/Site CARNAVALESCO

Harmonia

Um quesito muito prejudicado pelas condições de apresentação, a harmonia da Colorado do Brás se mostrou valente na medida do possível. Uma das poucas alas a comparecer em bom número, a Ala Makena se destacou cantando o samba inteiro de maneira animada. É possível esperar mais da comunidade do Canindé nos próximos ensaios, que certamente comparecerá em maior número.

Evolução

Não há muito o que descrever sobre a evolução da Colorado no ensaio. Muitas das alas mal formavam uma linha de componentes, e não havia marcação de espaços das alegorias, o que tornou a apresentação inviável para praticar o andamento de desfile. Quando todos os componentes da escola passaram pelo meio da pista, a bateria saiu do recuo, mas se dirigiu de volta ao Setor B antes de seguir em frente, demonstrando que o quesito era a última das preocupações da Vermelho e Branco naquele momento. O treino de evolução ficará para o próximo ensaio técnico.

Samba-Enredo

Uma obra bem defendida pelo intérprete Léo do Cavaco, mas que não pode brilhar muito neste primeiro ensaio. Com a bateria arriscando poucas bossas, não houve muitas oportunidades para testar o potencial do samba em um desfile completo. Com uma letra leve e de fácil captação, é uma promessa a ser esperada nos próximos treinamentos e no desfile oficial.

Outros destaques

A chuva só não brilhou mais do que a rainha de bateria, Camila Prins, que não temeu a impiedosa água dos céus e formou boa parceria com os membros da “Ritmo Responsa”. Em geral, um ensaio que deu a sensação de que a própria escola não poderia contar muito com ele.

Ser a única escola a treinar, numa sexta-feira à noite e com a forte chuva que caiu, foram elementos que contribuíram para a Colorado aparentemente abdicar de maiores pretensões nesse primeiro momento. Um ensaio que não pode servir de parâmetro para o que os sambistas podem esperar da agremiação, que certamente aproveitará melhor a oportunidade no dia 22, domingo, quando fará seu segundo ensaio técnico no Sambódromo do Anhembi.

- ads-

Salgueiro oferece curso gratuito sobre Imposto de Renda para Pessoa Física

O Projeto Salgueiro Social, do GRES Acadêmicos do Salgueiro, em parceria com o Centro Universário Internacional Signorelli, dá início neste mês de abril a...

Leia a sinopse do enredo da Portela sobre Milton Nascimento para o Carnaval 2025

Cantar será buscar o caminho que vai dar no Sol Uma homenagem a Milton Nascimento “Só quem toma um sonho Como sua forma de viver Pode desvendar o...

Três novos enredistas se juntam à equipe da Beija-Flor de Nilópolis para o Carnaval de 2025

A Beija-Flor de Nilópolis anuncia a chegada de três novos talentos que formam a equipe de enredistas para o Carnaval de 2025. Bianca Behrenda,...