InícioIntendenteEm desfile com bom nível plástico e enredo de fácil leitura, Lins...

Em desfile com bom nível plástico e enredo de fácil leitura, Lins Imperial tem alegoria quebrada e estoura tempo

A Lins Imperial foi a oitava escola a desfilar na sexta-feira da Série Prata na Intendente Magalhães. A agremiação trouxe o enredo “Jovelina, a Pérola Negra do Samba”, de autoria do carnavalesco Edu Gonçalves, sobre a carreira da sambista e sua representatividade preta e feminina. Apesar de um trabalho plástico de boa qualidade, uma comissão de frente vibrante, e fácil leitura de enredo, a escola teve um grave problema com seu último carro alegórico, que ficou atravessado na pista, tendo que ser puxado por um guincho, fazendo o cronômetro estourar o tempo maximo regulamentar em mais de 20 minutos.

Comissão de Frente

Coreografada por Carlos Bolacha, o grupo veio com 12 integrantes, sendo seis homens e seis mulheres. Eles dançavam em homenagem à Jovelina com muita energia e sincronia. Também bailando em duplas, usaram movimentos fortes e até uma acrobacia. Uma das mulheres veio dentro de um elemento em formato de saia. Em determinado momento da apresentação, ela se colocava em destaque, no centro de uma roda, onde os demais componentes revelavam uma favela estilizada por debaixo da saia e Jovelina cantava.

Mestre-sala e Porta-bandeira

O primeiro casal de mestre-sala e porta-bandeira da Lins Imperial, Jackson Senhorinho e Manoela Cardoso, exibiram um bailado forte e alegre. Eles mesclaram bem os elementos mais tradicionais com movimentos coreografados de acordo com o samba. A indumentária era muito bonita, com vários tons de verde e rosa, cores da escola.

Enredo

O enredo desenvolvido pelo carnavalesco Edu Gonçalves na Lins Imperial representou mais uma homenagem à uma personalidade negra do carnaval e do samba. Jovelina era uma mulher que marcou seu tempo ao cantar em uma época que elas não costumavam ser a primeira voz, subvertendo os papéis sociais destinados a ela. O enredo representou uma viagem pelas histórias cantadas por Jovelina.

Alegorias

A Lins Imperial levou três alegorias e um tripé para seu desfile. Todas possuíam bom nível de acabamento e ótimo uso das cores, trazendo um colorido bem marcante, com predominância do amarelo, verde e rosa. Sem tanto luxo, mas com a presença de elementos bem reconheciveis, o enredo foi passado de maneira clara.

Fantasias

O conjunto de fantasias da Lins Imperial se mostrou bem diversificado em formatos e no uso das cores, explorando bem a palheta e as combinações. Os materiais eram de boa qualidade e tinham nível satisfatório de acabamento. A maioria das fantasias era mais enxuta, sem tanto volume, facilitando a evolução do componente. Era possível ler o enredo com tranquilidade através dos figurinos.

Harmonia

O canto da comunidade se mostrou irregular, com algumas alas entoando a obra em baixo volume, e outras alas mostrando uma força maior no canto. A harmonia subiu um pouco de produção durante a passagem das alas no cortejo, mas tornou a cair. O trecho mais cantado era o refrão principal.

Samba-enredo

Composto por Jorginho Imperial, Pedro Vapor, Wallace Flabuçu, Bruno Rezende, Yanick Mazonni, Lucas Martins e Vitor Barros, a obra musical da Lins Imperial retratou muito bem o enredo, com letra popular e melodia valente para impulsionar o canto. O samba foi bem defendido no desfile pelo intérprete Rafael Tinguinha, que cantou com bastante empolgação e energia, além de incentivar os desfilantes no cortejo.

Evolução

O quesito que vai prejudicar gravemente a avaliação da escola. O terceiro e último carro da Lins apresentava problemas para se locomover na pista, abrindo buracos nas cabines de jurados. Ao passar pela terceira, a alegoria perdeu completamente a direção, chegando a bater e derrubar uma caixa de som. Ao tentar manobrar, o carro quase atingiu a própria cabine e o público do outro lado. Após muitas tentativas, a escola desistiu e a organização mandou o guincho tirar o carro da pista. Com isso, a Lins estourou o tempo máximo permitido em 23 minutos.

Outros destaques

A bateria comandada pelo mestre Bradock mostrou um ritmo muito bom para embalar o samba-enredo, ajudando a impulsionar seu rendimento.

- ads-

Unidos de Padre Miguel preparada para brilhar e abrir os desfiles do Grupo Especial no Carnaval 2025

A Unidos de Padre Miguel venceu a Série Ouro do Carnaval 2024 do Rio de Janeiro e estará de volta ao Grupo Especial (já...

Beija-Flor de Nilópolis confiante no sorteio da ordem dos desfiles para o Carnaval 2025; Selminha Sorriso quer a segunda-feira

A maior campeã do Sambódromo, Beija-Flor de Nilópolis, tenta se reorganizar depois do oitavo lugar no Carnaval de 2024, o que tirou a escola...

Barracão da Vila Isabel recebe visita de secretário do maior complexo de museus e pesquisa do mundo

O barracão da Unidos de Vila Isabel recebeu na terça-feira a visita de Lonnie G. Bunch III, secretário da Smithsonian Institution, o maior complexo...