InícioGrupo EspecialDe olho nos quesitos: Imperatriz perdeu 15 décimos em comissão de frente...

De olho nos quesitos: Imperatriz perdeu 15 décimos em comissão de frente nos últimos cinco anos e apenas três em bateria

Iniciamos esta série com a Imperatriz Leopoldinense e a amostragem propõe abordar as notas dos nove quesitos em julgamento de um desfile

A temporada 2022 da série ‘De olhos nos quesitos’, produzida anualmente pelo site CARNAVALESCO, traz um levantamento dos últimos cinco anos de julgamento do Grupo Especial. Iniciamos esta série com a Imperatriz Leopoldinense e a amostragem propõe abordar as notas dos nove quesitos em julgamento de um desfile.

Com o rebaixamento ocorrido em 2019, nossa pesquisa engloba o período entre 2015 e 2019, para haver isonomia entre todas as escolas. A verde e branca de Ramos vem sendo muito penalizada, principalmente, naqueles quesitos considerados plásticos. Em cinco anos, foram 1,5 pontos perdidos em comissão de frente, uma média de 0,3 por ano. Em alegorias e adereços a Imperatriz perdeu 13 décimos desde 2015 e 12 em enredo.

Em contrapartida o desempenho nos quesitos de pista tem beirado a perfeição na verde e branca. A bateria Swing da Leopoldina só perdeu 0,3 ponto em cinco anos, todos em 2015, ainda sob o comando de mestre Noca. Desde que Lolo assumiu a bateria foram quatro carnavais com a nota máxima. Outro quesito que teve ótimo desempenho foi samba-enredo. Dos cinco décimos perdidos em cinco anos, três ocorreram em 2019, ano do rebaixamento.

Alegorias e Adereços

Apenas no Carnaval 2016 a Imperatriz conseguiu deixar um julgamento do quesito com a nota máxima, 30 pontos. O pior desempenho da escola aconteceu no ano de 2019, quando deixou seis décimos somando apenas 29,4, o seu pior naquele ano ao lado de enredo. Em 2017 e 2018 foram três décimos e em 2015 apenas um décimo perdido. O levantamento confirma o enfraquecimento da gestão de barracão da agremiação que culminaria com o rebaixamento.

Bateria

A Swing da Leopoldina tem garantido notas máximas à Imperatriz nos últimos carnavais. O trabalho de excelência de mestre Lolo foi o único a gabaritar o julgamento em 2019. A última vez que a Imperatriz saiu de uma apuração sem a nota máxima em bateria foi em 2015 (onde perdeu três décimos), justamente o último ano de mestre Noca à frente dos ritmistas de Ramos.

Comissão de Frente

Este é o quesito mais desafiador para a nova Imperatriz. A agremiação perdeu no mínimo dois décimos por ano em comissão de frente, totalizando 1,5 ponto ao longo dos cinco anos do levantamento. Só em 2019 foi 0,5 ponto de punição. Em 2017 foram quatro; em 2015, 2016 e 2018, mais dois. Vários coreógrafos passaram no período e nenhum conseguiu conquistar os jurados.

Enredo

Assim como outros quesitos visuais da verde e branca, enredo tem significado a perda de muitos décimos à Imperatriz. O desempenho mais fraco aconteceu em 2019, quando a escola deixou seis décimos somente neste quesito, o que representa 50% de toda a perda analisada. Em 2015 a Rainha de Ramos conquistou os 30 pontos e nos três anos subsequentes foram dois décimos perdidos por ano.

Evolução

Ao lado de fantasias, evolução é o terceiro melhor desempenho da Imperatriz na avenida nos cinco anos abordados no levantamento. Com oito décimos perdidos no total, metade deles aconteceu no desfile de 2019, quando a escola acabou rebaixada. Os carnavais de 2015 e 2016 representaram a nota máxima (30 pontos), o que não se repetiu em 2017 e 2018, com a perda de dois décimos por ano.

Fantasias

Em relação à plástica o melhor desempenho da Imperatriz tem sido em fantasias. Foram três décimos perdidos no fatídico 2019, mas apenas um em 2015, 2017 e 2018. No ano de 2016 a perda foi um pouco maior, dois décimos. Na soma total, oito décimos foram perdidos em cinco desfiles, média de apenas um por ano.

Harmonia

Ao se analisar apenas os quesitos considerados de pista (samba-enredo, bateria, evolução e harmonia) o último obteve o mais fraco desempenho dos últimos carnavais. Foi um total de nove décimos perdidos em harmonia entre 2015 e 2019, quatro deles apenas no ano do rebaixamento. Apenas em 2016 a Imperatriz alcançou a nota máxima.

Mestre-Sala e Porta-Bandeira

A formação do casal Thiaguinho Mendonça e Rafaela Theodoro ajudou o quesito a ser o terceiro melhor da Imperatriz nos últimos cinco carnavais, sete décimos perdidos. A primeira vez que perderam pontos aconteceu justamente no rebaixamento em 2019 (três décimos). Em 2015 (dois décimos perdidos) e 2016 (dois décimos) a formação do casal era diferente e apenas Rafaela era a defensora do pavilhão.

Samba-Enredo

Talvez seja o quesito mais bem sucedido da história da Imperatriz. Com uma linhagem de obras das mais ricas da história, em cinco anos a verde e branca foi punida com apenas meio ponto perdido. Isso porque a obra de 2019 acabou representando três décimos em relação ao cômputo geral. Em 2015 e 2016 foram 30 pontos e em 2017 e 2018 apenas um décimo de punição. Apenas o quesito bateria obteve melhor desempenho.

- ads-

Jackson Carvalho, Marcelinho Emoção e Fabão Rodrigues assumem Comissão de Harmonia no Arranco

Para o Carnaval 2025, o Arranco contará com uma Comissão de Harmonia formada por Jackson Carvalho, Marcelinho Emoção e Fabão Rodrigues. Jackson Carvalho começou sua...

Vizinha Faladeira será homenageada com conjunto de Medalhas de Mérito Pedro Ernesto

No próximo dia 23 de abril, a histórica Associação Recreativa Escola de Samba Vizinha Faladeira, uma das pioneiras no cenário do carnaval carioca, terá...

Jorge Silveira exalta preparação da Mocidade Alegre para ganhar duas categorias no Estrela do Carnaval: ‘São Paulo cada vez mais competitivo’

Em 2024, a Mocidade Alegre foi bicampeã do Grupo Especial do carnaval de São Paulo, conseguindo unir beleza e facilidade de leitura para tratar...