A produtora de eventos Luciene Tavares Rodrigues Pastor, de 39 anos, é uma das dez finalistas do concurso que irá eleger a Rainha do Carnaval do Rio de Janeiro de 2024. Representante da Acadêmicos do Grande Rio na disputa, a beldade, que também atende pelo nome artístico de Luciene Santinha, desfila desde os sete anos na tricolor de Duque de Caxias. Ao longo das mais três décadas, a passista já representou a agremiação em diversos eventos nacionais e internacionais, sendo ganhadora de alguns prêmios. Na busca agora pela coroa maior da folia carioca, a candidata conversou com o site CARNAVALESCO e, após a classificação para decisão da competição, respondeu uma bateria de perguntas.

Fotos: Alexandre Macieira e Luciola Villela/Riotur

A grande final do concurso para Rainha do Carnaval irá acontecer no dia 01º de setembro, na Cidade do Samba, e assim como nas outras etapas o evento terá entrada totalmente gratuita. A vencedora, além do título e da coroa, levará para casa um prêmio de R$ 45 mil. Já a segunda e terceira colocadas escolhidas pelo júri e por meio do voto popular serão nomeadas Princesas e irão faturar a quantia de R$ 32.500 cada. Confira abaixo a entrevista completa.

CARNAVALESCO: O que representa para você estar na final do concurso?

Luciene Santinha: “Primeira coisa é gratidão. Não imaginei que poderia chegar nessa final concorrendo com tantas meninas lindas, mais de cem sonhos, mais de cem rainhas das suas vidas, dos seus caminhos. Então, a palavra é exatamente essa: gratidão. Estou feliz de estar representando a Baixada Fluminense, a única representante na final. Quero aproveitar para parabenizar a Riotur por ter dado oportunidade de nós, passistas de comunidade, estarmos no concurso tentando realizar um sonho, um objetivo carnavalesco. Eu particularmente sempre tive esse sonho e hoje ele é possível de se tornar real”.

CARNAVALESCO: Já tem uma ideia de como será sua fantasia para final?

Luciene Santinha: “Antes do anúncio de que estava na final, eu nem tinha pensado sobre essa questão de fantasia, nada sobre isso. Eu acho que é um processo, foram várias fases, vários dias, nós ficamos sem dormir, a nossa família entrou na competição junto com a gente, então vivi cada etapa intensamente, sem ficar projetando a próxima. Ainda estou muito emocionada por estar na final. A Grande Rio está me ajudando, me dando um super apoio e sei que vai dar tudo certo”.

CARNAVALESCO: Qual foi o melhor momento da disputa até agora e o mais difícil?

Luciene Santinha: “Foram vários momentos felizes. A maioria das candidatas eram todas passistas e nos bastidores sempre foi uma ajudando a outra: ‘me empresta isso’, ‘me empresta aquilo’, ‘ajuda no meu cabelo’… Então, essa cooperação, essa união, rendeu vários momentos especiais. Agora, tristeza, algum ponto negativo, não teve nada disso não. Até aqui, desse concurso só levo felicidade e gratidão”.

CARNAVALESCO: Como conseguiu conciliar a rotina do concurso com a vida normal?

Luciene Santinha: “Sou sambista e antes mesmo do concurso já estava sempre à disposição da minha escola. Se Deus permitir e for da vontade dos jurados, eu estarei também em breve à disposição da Riotur e da Prefeitura. Então, conciliar a rotina do dia a dia com a do concurso, para mim, foi tranquilo, foi de boas. Teve alguns dias que eu dormi só duas ou três horas por noite, mas porque quando eu menos esperava meu marido me acordava e falava: ‘Luciene, você viu isso do concurso?’. Minha família, o meu povo, pessoal da Grande Rio, todo mundo abraçou de verdade essa causa e ficou me ligando, oferecendo ajuda, dando apoio. Então, assim, teve alguns dias que foram praticamente 21 horas do meu dia dedicadas só ao concurso”.

CARNAVALESCO: O que pretende fazer de preparação até a final?

Luciene Santinha: “Acho que não tem muito o que me preparar especialmente para final. É eu tentar entregar todo o meu amor que tenho pelo Carnaval, tentar mostrar toda a minha simpatia, a minha alegria, o meu samba no pé. O preparo já é a nossa vivência dentro das escolas de samba. Sou passista, que vivencia, faz show, trabalha com isso. Acho que o maior preparo é esse, o de entregar todo o pouquinho que eu sei e de aprender com as meninas também”.

CARNAVALESCO: Qual sua opinião sobre os comentários de internet que criticam algumas candidatas que fazem passos marcados e sambam no estilo “Tiktok”?

Luciene Santinha: “Respeito a opinião de todos, porque cada um tem um gosto, cada um tem um jeito. Eu acredito que não existe uma pessoa sambar igual a outra. É muito bonito você olhar uma menina sambando, olhar um rapaz sambando e ter as suas variações. Sobre Tiktok, eu estou aprendendo um pouco, porque sou da antiga, tenho mais de 30 anos só no samba. Estou aprendendo com as meninas e admiro também quem faz os passos, as coreografias. Porém, a palavra certa é variação”.

CARNAVALESCO: Se ganhar, o que fará com o prêmio de R$ 45 mil?

Luciene Santinha: “Acho que o principal em ganhar é a representatividade da Corte. Para todas as meninas que estão no concurso, que tem esse sonho, isso é mais importante do que o dinheiro. É claro que um prêmio R$ 45 mil sempre é bem-vindo, mas acho que nenhuma das meninas estava nem pensando nisso ao longo do concurso. A gente foi vivendo fase atrás de fase, vamos fazendo isso e aquilo, ajudando uma a outra, muita emoção, nervosismo, que não dá nem tempo de parar para pensar em dinheiro. Mas um prêmio assim sempre é bom”.