Com “liberdade no coração”, o Paraíso do Tuiuti abriu, nessa segunda-feira, a temporada de ensaios de rua visando o Carnaval de 2024. A comunidade da azul e amarela compareceu em peso e nem mesmo a ameaça de chuva, ou o chuvisco que caiu em alguns momentos, foi empecilho para a escola mostrar toda a sua força. Assim como em outros anos, o treino foi realizado no Campo de São Cristóvão, com concentração em frente ao Colégio Pedro II e término na quadra da agremiação, e os componentes evoluíram por aproximadamente uma hora e meia. Antes de ser dada a largada, o presidente Renato Thor fez questão de discursar e agradecer a presença de todos. O dirigente assegurou que as falhas cometidas no desfile passado, que atrapalharam de alguma forma o retorno no sábado das Campeãs, serão corrigidas e que a briga do Tuiuti é pelas primeiras colocações.

“Quero agradecer ao Pai do Céu por oportunizar esse momento maravilhoso. É o nosso primeiro ensaio de rua. Estou me sentindo muito satisfeito com o que vi aqui hoje e isso só mostra o tamanho da força do Tuiuti. Cada ano que se passa, a escola cresce mais. No ano passado, nós perdemos ponto onde a gente não podia perder. Vamos com garra recuperar esses pontos perdidos para que nós possamos alcançar nosso objetivo, que é estar ali no G6. Ser campeão é um detalhe, mas não vamos poupar esforços para defender com muito orgulho esse pavilhão azul e amarelo do bairro de São Cristóvão, do morro do Tuiuti. Não é à toa que nós fomos batizados como o ‘Quilombo do Samba’, então vamos mostrar que, de fato, nós somos. Vamos botar o couro para comer. Essa primeira segunda-feira vai ser a primeira de muitas outras, sempre com muito sucesso. Muito obrigado a todos que compareceram e vamos com Deus”, afirmou Renato Thor durante o discurso ao público e componentes.

Mayara Lima, rainha de bateria do Tuiuti, no ensaio de rua. Foto: Diogo Sampaio/CARNAVALESCO

O calendário antecipado de trabalho é uma das marcas do Paraíso do Tuiuti nos preparativos para o desfile do ano que vem. A agremiação foi a primeira entre as doze escolas do Grupo Especial do Rio a apresentar oficialmente o seu samba-enredo para 2024. Como reflexo disso, a azul e amarela do bairro de São Cristóvão também saiu na frente de boa parte das coirmãs, sendo a segunda a dar o pontapé inicial na temporada de treinos na rua, três semanas depois da Unidos de Vila Isabel. Em entrevista concedida para a reportagem do site CARNAVALESCO, o diretor de Carnaval, André Gonçalves, fez um balanço desse primeiro ensaio e elogiou o desempenho dos componentes, que estiveram presentes em larga escala.

“Era um ensaio muito aguardado pela comunidade de São Cristóvão, especialmente a do morro do Tuiuti. Tivemos aqui uma base de 75% do contingente que a gente vai levar para a Avenida, então posso dizer que a gente está totalmente realizado. Iniciamos muito bem nossa temporada de treinos na rua e a partir de novembro vamos começar a lapidar algumas coisas que realmente a gente tem que acertar. Em meados do próximo mês, nós vamos ter surpresas aqui na rua que a gente vai começar a trabalhar de uma maneira mais elaborada nos ensaios. Não posso adiantar nada agora, apenas recomendo que fiquem atentos. Nosso calendário vai direto até dezembro, tem uma pequena pausa para o final de ano e volta em janeiro. Devemos parar uma semana antes do Natal e voltar logo na semana seguinte do Ano Novo. No último ensaio, todo mundo já sabe, o Tuiuti veste branco para passar boas energias. Que o nosso próximo ano seja maravilhoso, incrível”, declarou André Gonçalves.

André Gonçalves, diretor de carnaval do Tuiuti. Foto: Diogo Sampaio/CARNAVALESCO

Após conquistar os 40 pontos no Carnaval de 2023, mestre Marcão está obstinado a manter a excelência nas notas no próximo desfile. Para isso, os trabalhos de preparação da bateria “Super Som” visando 2024 começaram cedo e, de acordo com o comandante, serão intensificados com o início da maratona dos ensaios de rua. No bate-papo com a reportagem do site CARNAVALESCO, ele frisou a diferença dos treinos na quadra para aqueles realizados a céu aberto, mencionando que o segundo modelo permite uma noção mais fidedigna em relação a Avenida na hora de avaliar o progresso do que está sendo desenvolvido com os ritmistas e elaborado junto a parte musical da escola.

“Ensaio de rua é muito bom. Dentro da quadra, a gente vai fazendo as coisas, mas não tem aquele parâmetro de afinação, da forma que está sendo conduzido o andamento. Na rua, como é mais aberto, praticamente é igual a Avenida, a gente acaba tendo esse parâmetro, consegue observar de maneira mais concreta o que é bom, o que é ruim, o que pode ser consertado, então acho que isso é muito gratificante a gente vir pra rua. É algo primordial. Se a gente pudesse vir para rua antes, já estávamos ensaiando aqui há muito tempo. Porém, a gente entende que a escola tem que cumprir com os compromissos dela dentro da quadra antes de vir para a rua. E, como disse, esse primeiro ensaio é muito importante para testar o trabalho formal que temos na cabeça e aperfeiçoar o entrosamento com o carro de som, ver como é que eles estão cantando o samba, isso tudo com o intuito de fazer da melhor maneira o casamento entre o time de cantores e a bateria”, ponderou mestre Marcão.

Mestre Marcão no comando da Super Som. Foto: Diogo Sampaio/CARNAVALESCO

Outro nome que exaltou a relevância dos ensaios de rua na preparação para o próximo Carnaval foi o intérprete Pixulé. Com uma vasta experiência na folia carioca, o cantor fará sua estreia na agremiação no desfile de 2024 e já se mostra bastante entrosado com os integrantes do carro de som, além da bateria “Super Som”. Logo no primeiro treino, o músico ficou completamente solto no comando do microfone principal e conduziu com bastante segurança a obra. Ao falar sobre esse começo de trabalho ainda em outubro, ele enfatizou a importância de detectar e corrigir os erros o quanto antes, assim como um maior tempo de contato da comunidade com o samba-enredo.

Intérprete Pixulé no comando do carro de som. Foto: Diogo Sampaio/CARNAVALESCO

“É o início de um teste. Afinal, é o resultado disso aqui que a gente vai levar para Avenida no ano que vem. Particularmente, acho qualquer ensaio de rua proveitoso. O primeiro sempre tem um errinho, uma coisinha para poder começar acertando, e vai ser assim até o desfile oficial. E o fato de sermos uma das primeiras escolas a iniciar esse processo é extremamente importante, até para comunidade começar a se familiarizar com o nosso samba, se familiarizar com o ensaio técnico que vai ocorrer na Sapucaí em janeiro. Portanto, é primordial desde agora estar na rua ensaiando, se preparando, para fazer bonito no Sambódromo”, pontuou Pixulé para o site CARNAVALESCO.

O casal de mestre-sala e porta-bandeira, Raphael Rodrigues e Dandara Ventapane, também esteve presente no primeiro ensaio de rua do Paraíso do Tuiuti. Em 2024, a dupla fará o seu terceiro desfile consecutivo como defensores do pavilhão principal, em busca dos sonhados 40 pontos no quesito. Após a conclusão do treino, a porta-bandeira conversou com a reportagem do site CARNAVALESCO e avaliou como positivo o início da temporada de ensaios ainda no mês de outubro. Ela destacou que os dois optaram por não realizar coreografias neste momento, mas sim em trabalhar no aperfeiçoamento da sincronia deles e testar aspectos mais técnicos, envolvendo posicionamento e deslocamento.

“É muito importante começar cedo os trabalhos para o desfile. O Tuiuti foi uma das primeiras escolas a ter o samba, então já era mesmo o momento de virmos para rua, de começar a integrar toda a escola, a fazer o trabalho que vai pra Avenida, ver o andamento, testar as coisas que estão sendo preparadas. Como largamos na frente, é muito bom que a gente continue mantendo esse ritmo até o desfile. E quanto a avaliação desse primeiro ensaio, posso garantir que estou muito feliz. Tanto para mim quanto para o Rafael foi um ótimo ensaio, a gente ainda não fez coreografia, não apresentou nada disso, apesar da gente já estar trabalhando nela há bastante tempo, mas foi uma excelente oportunidade de aprimorar a nossa interação e o nosso tempo. E ter a possibilidade de estar perto da comunidade, do pessoal da comissão, de ouvir o samba com a bateria, ensaiar no andamento e deslocamento de desfile, para a gente, é crucial. Começamos com o pé direito nossa temporada na rua e acho que tem tudo para fazermos um grande Carnaval”, refletiu Dandara Ventapane.

Porta-Bandeira, Dandara Ventapane. Foto: Diogo Sampaio/CARNAVALESCO

No ano que vem, o Paraíso do Tuiuti será a quinta escola a cruzar o Sambódromo da Marquês de Sapucaí na segunda-feira de Carnaval, dia 12 de fevereiro, pelo Grupo Especial. Na ocasião, a azul e amarela do bairro de São Cristóvão apresentará o enredo “Glória ao Almirante Negro!”, uma homenagem ao marinheiro João Cândido, que atuou na liderança da Revolta da Chibata. O desenvolvimento do tema é do carnavalesco Jack Vasconcelos.