Por Matheus Mattos e Guilherme Ayupp

A Unidos de Vila Maria realizou seu primeiro ensaio técnico para o carnaval de 2019 nesta quinta-feira. A agremiação mostrou que evoluiu bastante em comparação ao ano passado. Sincronismo da comissão de frente e a bateria Cadência da Vila se destacaram no treino. O ensaio técnico foi bem satisfatório, porém ainda existe alguns pontos específicos para serem corrigidos para o próximo treino.

“Um primeiro ensaio num dia de semana e que choveu um pouco, talvez, fez com que o pessoal se assustasse, mas a escola vem conciliando a paixão com a parte técnica de uma competição. Essa condição de melhorar a emoção vai ser muito melhor nos próximos ensaios. A escola saiu bem, cumprindo o regulamento, que é o que precisamos muito”, disse o presidente Adilson José, que revelou mais novidades para 2019.

“A escola vai sair com 2.200 componentes. Não da pra sair com uma escola maior porque estamos sendo avaliados fantasias por fantasias. A escola vem selecionando as pessoas que tem a condição de estar presente nas atividades da escola e buscar conosco esse resultado”.

HARMONIA

O primeiro setor e as últimas alas se mostraram bem entrosadas com o samba, porém foi perceptível a queda de animação ainda no 2° setor. Como o Sambódromo do Anhembi ainda não contém a sonorização completa, houve pontos onde faltavam entrosamento dos componentes com a ala musical.

“Do ponto que eu fico não da para ter uma dimensão exata de como foi o ensaio como um todo, mas do que pude perceber a escola passou alegre, brincando, cantando. Eu fico sempre muito emocionado em receber mais uma vez a oportunidade de cantar no carnaval de São Paulo. Essa questão do som ser pleno ou não só muda, a meu ver, para a direção de harmonia da escola. A da nossa escola só tem craque”, afirmou o intérprete Wander Pires.

MESTRE-SALA E PORTA-BANDEIRA

O casal oficial, Everson Sena e Laís Moreira, provou que o acidente do último desfile, quando a porta-bandeira perdeu a saia, não afetou a confiança. A dupla realizou uma passagem segura e tranquila, não comprometendo o quesito.

“Foi bom esse primeiro ensaio, ainda mais depois de todo o ocorrido no desfile do ano passado. Serviu para superar definitivamente. A gente tem sempre detalhes a acertar e é por isso que a cada ensaio buscamos aprimoramento. Com relação às diferentes formas de julgamento do quesito no Rio e em São Paulo acho que cada desfile tem sua particularidade. Se aqui você precisa estar bem condicionado a avenida toda, lá é necessário montar uma coreografia que prenda a atenção do jurado durante toda a apresentação”, contou a porta-bandeira.

“Foi um bom treino. Deu para sentir o calor da comunidade, do público presente. Se acertamos ou erramos ainda iremos avaliar. Mas o momento de fazer os ajustes é justamente agora no ensaio. Ainda teremos mais dois no mês que vem. A gente espera chegar na avenida 100%”, comentou o mestre-sala.

SAMBA-ENREDO

O samba escolhido da Vila Maria satisfaz a comunidade desde a época das eliminatórias, tal afirmação foi mais visível no Anhembi. O hino para 2019 se encaixa no estilo da escola e, um ponto bastante relevante, a comunidade se sente alegre ao cantar a obra. A ala musical, impulsionada pelo grande intérprete Wander Pires, realizaram uma boa passagem. Destaque para os arranjos do time de cordas nas bossas da bateria.

BATERIA

A qualidade da bateria Cadência da Vila é inegável, afirmação que se legitima a cada ensaio e apresentação. A batucada dos comandados de mestre Moleza trouxe uma boa segurança no ritmo e não economizou nas bossas. A entrada e saída do recuo foram bem realizadas e não afetaram a escola.

“A bateria se comportou muito bem nesse primeiro ensaio técnico. Viemos semana passada e fizemos um ensaio bem legal, deu pra quebrar aquele gelo. A gente sabe que temos uma rapaziada bem jovem, trabalhamos muito essa base de escolinha e tem bastante gente que desfila pela primeira vez, assim como também tem bastante ritmistas experientes. Realizamos todas as bossas e agora a gente vai analisar com calma, ouvir os áudios, assistir os vídeos. Na minha opinião o ritmo foi muito bom. Vamos em busca da nota porque a escola precisa muito. “Vamos chegar com uma característica nossa, com um andamento próprio, uma levada de terceira própria, levada de caixa própria e é desse jeito que vamos passar e arrastar esse povão da Vila Maria”, explicou mestre Moleza, que terá 240 ritmistas e que vão representar camponeses na Avenida.

EVOLUÇÃO

A evolução da agremiação foi um ponto positivo. Alas bem organizadas, com espaçamentos confortáveis e uniformidade ao andar fez com que a Vila Maria fechasse os portões com 64 minutos.

COMISSÃO DE FRENTE

A comissão de frente se destacou bastante durante o ensaio técnico. Com uma coreografia com cara de desfile, a ala se mostrou bem sincronizada durante a performance mesmo com uma certa distância do carnaval. Um ponto a ser observado é o tamanho do tripé que a escola levará para o Sambódromo.

Buscando o título inédito do Grupo Especial, a Unidos de Vila Maria conta a história do país latino americano Peru, através do enredo: “Nas asas do grande pássaro, o voo da Vila ao Império do Sol”, desenvolvido pela dupla de carnavalescos, Alexandre Louzada e Cristiano Gonçalves. A agremiação será a sexta a desfilar no sambódromo do Anhembi, no segundo dia, às 03h55.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui