InícioSérie OuroImpério da TijucaCom clima de ciranda e ancestralidade, Império da Tijuca grava faixa oficial...

Com clima de ciranda e ancestralidade, Império da Tijuca grava faixa oficial em homenagem a Lia de Itamaracá

O Império da Tijuca se contabilizou nos últimos anos por fazer boas gravações oficiais dos sambas que vai levar para o carnaval. Apostando sempre na disputa e em sua ala de compositores, a agremiação tem apresentado na Sapucaí grandes obras baseadas em enredos bastante culturais. Para 2024, a tendência é trazer mais um enredo com a cara da escola por isso a Verde e Branca do Morro da Formiga escolheu o enredo “Sou Lia de Itamaracá cirandando a vida na beira do mar”, assinado pelo carnavalesco Júnior Pernambucano, celebrando a vida de Maria Madalena Correia do Nascimento, mais conhecida como Lia de Itamaracá, dançarina, compositora e cantora de ciranda brasileira. Para a realização de mais um grande trabalho musical a escola segue apostando na dupla Jordan e Daniel Silva para guiar, respectivamente, a Sinfonia Imperial e o carro de som do Império da Tijuca. Desde 2018 comandando o carro de som do Primeiro Império do Samba, a voz potente de Daniel Silva será por mais um ano ouvida, não só na faixa oficial para a Liga RJ, mas no desfile da agremiação em fevereiro de 2024.

Fotos: Lucas Santos/CARNAVALESCO

“A expectativa, como sempre, é a melhor de todas, nós temos uma escola muito forte, muito aguerrida, e esse samba, é uma obra leve, samba gostoso, de refrão fácil. Eu, juntamente com a galera do carro de som, com a diretoria, com a harmonia, e com a bateria do mestre Jordan, estamos todos confiantes em fazer um trabalho coeso, um trabalho bem forte e alegre na Sapucaí. A massa tijucana pode confiar mais uma vez na escola, na diretoria, na bateria, no carro de som, em todos os segmentos, nós estamos entregando corpo e alma para fazer um desfile maravilhoso para nossa comunidade que merece. E nós precisamos deles, quando começar os ensaios, da presença, para tomar a Conde de Bonfim e fazer o nosso Império crescer e crescer, e rumo a vitória, só dependemos deles”, acredita o cantor Daniel Silva.

“Cirandeiro ah, cirandeiro ê/Rainha preta, a voz que tem poder/ Cirandeiro ê, cirendeiro ah/Entra na roda vamos cirandar”, são versos do refrão do meio da composição do Império da Tijuca que expressão tamanho da ordem de condecoração que a homenagem da escola quer atribuir a Lia. Daniel Silva, inclusive, em conversa com a reportagem do CARNAVALESCO, durante as gravações, revelou o tamanho da energia que a homenageada emana para quem está próximo.

“Eu costumo me emocionar muito com as obras e com esse momento de colocar a voz em que a música começa a ganhar vida, a ganhar a cara da escola. Quando eu chego para colocar a voz na gravação oficial, eu me entrego de tal maneira que a energia vem e flui, e não tem jeito, tem que se emocionar. E acho que além disso, o enredo sobre Lia de Itamaracá, quem teve a oportunidade de chegar perto dela, sentir a vibração que ele tem, sem mentira nenhuma, quando você chega perto dela parece que está perto do sol, é uma energia muito forte, é uma tranquilidade, é uma paz que ela te passa e você se sente muito bem. A gente está acreditando muito nesse enredo e nesse samba”, revela o intérprete.

A parceria de Eduardo Katata, JC Couto, Henrique Badá, Ferreti, Zé da Ponte, Sérgio Gil, Gilsinho Oliveira, Gabriel Machado e Gabriel Cascardo se sagrou campeã na disputa de samba-enredo e assinam a obra que vai embalar o próximo desfile do Império da Tijuca. Durante a final, o presidente Tê enfatizou a necessidade da diretoria, segmentos e comunidade colocarem para a fora a emoção do enredo através do canto da obra escolhida.

“Temos um grande enredo que é a Lia de Itamaracá. É uma grande homenagem. Escolhemos um grande samba. Agora, não pode faltar a grande emoção da comunidade e cantar o samba”, espera o mandatário da escola do Morro da Formiga.

Sinfonia Imperial vai trazer o clima das cirandas de roda

Cheia de familiaridade com a música e a dança, Lia começou a carreira artística muito jovem, cantando ciranda desde os 12 anos. A filha de Severino Correia do Nascimento e Matildes Maria da Conceição é a mesma Maria, ou Lia, da música que se transformou num hino: “Essa ciranda/quem me deu foi Lia/que mora na Ilha de Itamaracá”. Por isso, a ciranda de roda, cultura tão brasileira, estará bastante presente no desfile do Império da Tijuca, não só na dança, mas também na parte musical, inclusive na bateria do mestre Jordan. O ritmo inclusive já poderá ser observado de maneira mais suave na gravação da faixa da agremiação para o álbum da Liga-RJ.

“Podem esperar algumas bossas, convenções, Império da Tijuca sempre está inovando em alguma coisa. O enredo sobre a Lia pede surpresas,ainda vamos encaixar tudo certinho. A Lia de Itamaracá brilha com as cirandas e posso adiantar que vamos trabalhar em cima disso”, adianta o diretor de bateria.

Sobre o trabalho desenvolvido na Sinfonia Imperial, que em 2023 gabaritou o 30, tendo apenas um 9,9, que foi descartado com a menor, mestre Jordan estava tranquilo para a gravação da faixa no M&C Studio, em Marechal Hermes, assim como está satisfeito com o cronograma que a escola e os ritmistas tem seguido na processo de preparação para o carnaval 2024.

“Como escolhemos o samba já há um tempinho, a gente já vem trabalhando em cima da obra há mais ou menos um mês, por isso não achamos necessário fazer um ensaio específico para a gravação. Estamos realizando os nossos ensaios de bateria todas as terças-feiras, mais para frente vamos fazer ensaios junto com o canto e está tudo saindo como o planejado o que a gente elaborou de cronograma. A gente então produziu o arranjo em cima do samba, da melodia, já estamos preparando mais coisas para fazer no próximo carnaval e se Deus quiser vai dar tudo certo. Aqui na gravação, a gente não se preocupa muito, porque sempre dá tudo certo, sempre fazemos a gravação rápida e podem esperar que vai vir surpresas por aí”, promete Jordan.

Gravação e escolha de samba cedo facilitaram trabalho 

Definindo sua obra para o carnaval 2024 ainda no início de setembro, o Império da Tijuca teve tempo para se preparar para a gravação do álbum com os sambas da Série Ouro e dessa forma, produzir uma gravação satisfatória além de facilitar as próximas etapas do processo de desenvolvimento do seu carnaval. Diretor de carnaval do Primeiro Império do Samba, agora dividindo o comando com Yago Werneck e Aylton Wintrich, Luan Teles explicou como o processo deste ano foi bem mais tranquilo que o do carnaval passado.

“O Império da Tijuca foi uma das primeiras escolas a escolher o samba, com isso a gente teve esse tempo jogando ao nosso favor, não foi como ano passado em que a gente escolheu o samba em uma semana, e na outra semana já tinha que fazer a gravação. Além disso, a gente fez uma gravação no estúdio, uma gravação da escola, em que a gente fez algumas alterações no samba para ficar melhor para a comunidade. Então, a gente já fez uma gravação antes da oficial, nosso time é bom e a galera já veio preparada. Por isso o trabalho foi facilitado aqui no estúdio, pois todo mundo já veio sabendo o que tinha que fazer”, entende o diretor.

Yago Werneck e Aylton Wintrich foram uma importante escolha da agremiação ao lado de Luan, até porque o diretor agora acumula funções com outra escola. Luan Teles é diretor de barracão no Salgueiro. Apesar de admitir uma rotina corrida, o diretor de carnaval do Império esclarece que tem conseguido dar prosseguimento ao trabalho até por ter uma equipe competente ao seu lado.

“É corrido, acaba ficando um pouco corrido até na semana que foi a final do Salgueiro, foi também a da gravação do Império e teve ensaio de final do Salgueiro, aí no sábado a gente foi para São Paulo para fechar o nosso material das alas, conseguimos fechar 80% do nosso material lá, eu até brinco com o meu pai dizendo que as coisas estão jogando a meu favor porque o Salgueiro está bastante adiantado, eu estou dividindo o tempo com as atividades de lá, mas estou com uma equipe muito boa no Império que me dá esse suporte. Então estou conseguindo conciliar as duas escolas, mas o Império já está com 80% do material resolvido, e a gente já começou a liberar para o ateliê. Iniciamos o andamento de 18 alas do Império”, revela o diretor.

Em 2024, o Império da Tijuca será a segunda escola a cruzar o Sambódromo da Marquês de Sapucaí na sexta-feira de Carnaval, dia 09 de fevereiro, pela Série Ouro.

- ads-

Orgulho do Brasil! Carnaval 2024 do Rio trouxe R$ 5 bilhões para cidade, movimentou 8 milhões de pessoas e gerou 50 mil empregos

Em coletiva na sede da Riotur, na manhã desta quarta-feira, a Prefeitura do Rio, através da Riotur, apresentou os expressivos números do Carnaval 2024...

Igor Sorriso é o novo intérprete do Salgueiro

O Salgueiro anunciou nesta quarta-feira a contratação do intérprete Igor Sorriso. Veja abaixo o comunicado da escola. "Com coração transbordando emoção anunciamos a chegada do...

Mangueira anuncia renovação dos intérpretes para o Carnaval 2025

A Estação Primeira de Mangueira anunciou na tarde desta quarta-feira a renovação dos cantores Marquinhos Art Samba e Dowglas Diniz para o Carnaval 2025....