InícioSão PauloCom alas no clima do desfile, Tom Maior mostra evolução em segundo...

Com alas no clima do desfile, Tom Maior mostra evolução em segundo ensaio técnico

Samba e bateria fluem, comunidade canta e Tom Maior cresce no Anhembi

A Tom Maior fez seu segundo ensaio técnico no Sambódromo do Anhembi, e, desta vez, com mais leveza do que no primeiro. A escola evoluiu bem e desenvolveu a harmonia, com detalhes para alas coreografadas já no estilo do “Pequeno Príncipe e o Sertão”, ou seja, chapéus utilizados no sertão, quadrilhas.

Outro fator é que a escola veio novamente com seu elemento alegórico, claro, todo escondido, mas os membros da comissão de frente que estavam vestidos de personagens do ‘Pequeno Príncipe’ junto com o ‘Pequeno Príncipe do Sertão’ como bode, aviador. E também outro elemento alegórico como um abre alas esse com o emblema da Tom Maior e o ‘Pequeno Príncipe do Sertão’ ao meio.

Harmonia

Com mais alas de pessoas fantasias e maioria em referência ao Sertão. Vimos componentes em perna de pau e no fim de alguns setores pessoas segurando estruturas que faziam referência a bandeirinha de Festa Junina. Além disso, muitas alas usaram dos adereços nas mãos para agitar, dando um visual interessante de preenchimento da pista no ensaio técnico. Outro ponto foi uma ala coreografada que encenava uma dança de festa junina, super animada. Os malandros de branco e as passistas de amarelo, mostraram samba no pé e animação. Muitas crianças participaram do desfile, e chamou atenção crianças que serão destaques de um carro, o último, cantando e entrosados com samba.

O diretor de carnaval, Yves Alexeiv avaliou o segundo ensaio: “A gente tinha alguns erros para corrigir em relação ao primeiro e, eu tenho certeza que a gente conseguiu corrigir. O cantor e a evolução vieram melhor. O povo estava muito animado e muito solto, que é a nossa proposta e o que a gente espera”, disse.

Ele complementou sobre o melhor momento desse ensaio. “Gosto muito do canto, do samba, que faz o povo cantar alegre, mas eu gosto muito da nossa evolução. A gente deixa o componente solto, eles brincam na avenida. Tem uma ou outra ala coreografada, mas a proposta é deixar o cara brincar, que é o que falta no carnaval de São Paulo. Quando eu vejo meu povo passando por aqui, me sinto muito orgulhoso do que estamos fazendo. Hoje foi um passo muito grande e no dia do desfile a gente vem 100%”.

Mestre-sala e porta-bandeira

O primeiro casal da agremiação, Jairo Silva e Simone Gomes ensaiou com muita alegria e tranquilidade. O mestre-sala veio todo de vermelho, assim como a porta-bandeira também veio com um vestido no tom avermelhado, mais claro, e com rosas. Na dança, mostraram muito entrosamento, e aprimoraram ainda mais com o andamento da escola.

Samba

No carro de som, Gilsinho comandou o samba-enredo, e fluiu bem. Mostrou sintonia com a bateria e comunidade no canto, inclusive, o intérprete oficial da escola, estava bem animado e cantando junto com o público presente no Anhembi nesta noite. No geral é um samba cadenciado e que funcionou para a escola.

Bateria

A nateria Tom 30 com mestre Carlão no comando, entrou no desfile com mais leveza do que no primeiro, e deu um maior aporte para a comunidade, carro de som, funcionarem de maneira geral no ensaio técnico no Anhembi. Como relatou para o site CARNAVALESCO: “Ocorreu tudo como planejado. Foi um excelente ensaio, estou muito satisfeito, feliz, só tenho a agradecer aos meus diretores e aos nossos ritmistas. Agora é ir para a avenida dia 22, e fazer um grande espetáculo, dar sustentação que nossa Tom Maior precisa. E estou muito confiante”.

Ajustes do primeiro ensaio técnico para o atual, mestre Carlão revelou que a bateria corrigiu situações dentro do plano já montado. Ou seja, sem grandes mudanças perto do desfile, mas com ajustes importantes. Feliz com as bossas, e o trabalho desenvolvido nesses ensaios, Carlão revelou: “Boas né? O público pode falar. Elas (bossas) estão ricas. Porque hoje o regulamento pede performance, ousadia e excelência. Conjunto, é o que prezo. Ritmo e muita técnica”.

Evolução

Como relatado durante o texto, a Tom Maior mostrou mais leveza e tranquilidade neste segundo ensaio. Com isso pontos foram notados, um deles foi que a evolução fluiu de uma maneira mais natural e mostrou que aprimoram visando o desfile oficial daqui algumas semanas. Outro aspecto é que a escola estava entrosada entre bateria, carro de som e comunidade. Portanto teve um melhor resultado em harmonia e evolução.

Outros destaques

A musa Lumena, ex-BBB, me autoriza a postar? Pois bem, esteve junto com um grupo de malandros, não faltou samba no pé, e claro, comentários da arquibancada durante o ensaio. Destaque para um ‘malandro mirim’ que sambou bastante. Estiveram atrás da bateria e do carro de som. Ficaram no recuo durante uma parte do desfile. Com muito samba no pé, a rainha Pamela Gomes, veio toda brilhante com pedras prateadas. Enquanto a madrinha Andreia Gomes roubou a cena com sua fantasia de cobra, e um olhar bem intenso. A presidente Luciana esteve em momentos um pouco à frente da bateria, cantando e aparentemente satisfeita e leve com o ensaio realizado no Anhembi.

- ads-

Jorge Silveira exalta preparação da Mocidade Alegre para ganhar duas categorias no Estrela do Carnaval: ‘São Paulo cada vez mais competitivo’

Em 2024, a Mocidade Alegre foi bicampeã do Grupo Especial do carnaval de São Paulo, conseguindo unir beleza e facilidade de leitura para tratar...

Ei Psiu! Emerson Dias comemora chegada no carnaval de São Paulo e estreia levantando comunidade da MUM

A Mocidade Unida da Mooca apresentou seu novo intérprete para o carnaval de 2025, e é Emerson Dias, que fará sua estreia em São...

É a bateria do Zaca! Mestre Serginho se diz contente pela proposta diferente e conquista do Estrela do Carnaval

A “Bateria do Zaca” vive uma fase espetacular. É o segundo ano consecutivo em que a batucada comandada por mestre Serginho conquista os 40...