Por Matheus Mattos. Fotos: Felipe Araújo

Quando a escola de samba Mancha Verde entrou na avenida, a chuva amenizou, porém muitos componentes sofreram com trânsito e pontos de alagamentos espalhados na cidade de São Paulo. O presidente Paulo Serdan explicou sobre o número menor de foliões ainda antes da largada. O desempenho da comissão de frente elevou a qualidade do ensaio da agremiação.

“Todas as escolas estão de parabéns por se apresentarem com esse tempo. Eu saio satisfeito porque a Mancha fez um bom ensaio, hoje nós fizemos um desfile completo. Quem conhece o estilo de trabalho Jorge Freitas sabe que eu gosto de um estilo descontraído e bem compacto. As pessoas estavam felizes na avenida, e carnaval é isso”, disse.

Comissão de frente

Dentre todas as alas que passaram na noite, a comissão de frente da Mancha Verde foi a que mais se destacou. Fato dado pela coreografia forte e representativa, e também pelo figurino presente. Os bailarinos realizam passos rápidos e com características de dança afro. O quesito foi bastante aplaudido pelos sambistas presentes no Sambódromo, e muitos esbanjaram diferentes reações.

Mestre-Sala e Porta-Bandeira

O casal oficial da agremiação alviverde, Marcelo e Adriana, optou pela roupa mais leve. A porta-bandeira veio representando Oxum e o mestre-sala, Xangô. Durante o desempenho da dupla, a chuva amenizou e possibilitou uma liberdade maior, com uma dança mais solta.

Bateria

A bateria Puro Balanço, comandada pelo Mestre Maradona, optou por soltar bossas com mais frequência. O clima de descontração dado pelo presidente ainda na largada, influenciou a decisão do mestre. As bossas seguem uma característica de manutenção do ritmo, onde os surdos desenham e as caixas seguem dando sustentação. De diferente do primeiro técnico, a bateria optou por entrar no recuo de lado. Os diversos apagões executados foram bem correspondidos pela comunidade. Os ritmistas permaneceram parados na linha final por duas passagens do samba, e ao final cada diretor chamou o naipe correspondente para uma rápida reunião. O destaque ficou por conta do entrosamento dos desenhos e padrão em relação a postura das ritmistas do chocalho.

“A gente fez um excelente ensaio, graças a Deus a gente teve aquela evolução desde o primeiro técnico. Acho que a gente chegou no ápice, pegamos um pouco de chuva na montagem, mas tudo tranquilizado”, explicou o mestre.

Evolução

O presidente pediu antes do início para que os integrantes da harmonia deixassem seus componentes soltos. A liberdade deu a sensação de desorganização, a divisão de alas não foi clara, alguns componentes estavam parados e outros se movimentavam. Fato visto principalmente no último setor. A escola veio com um número pequeno de contingente, porém não foi percebido no momento que a escola estava na avenida. Estrategicamente, o carnavalesco Jorge Freitas alterou a distribuição dos componentes e estendeu mais as alas, amenizando o problema. A escola chegou a preencher todo o sambódromo, de ponta aponta.

Harmonia

A escola realizou um bom desempenho no quesito, porém ainda existem correções no cantar dos componentes, como no primeiro setor da escola. O segundo e terceiro se destacaram, cantando forte e com empolgação, porém a animação não se manteve no setor adiante. O pico de emoção da comunidade se da no final da segunda estrofe, especificamente na parte “Senhora”.

“Hoje nós podemos usufruir de um som melhor, o som completo da avenida. Ainda faltam alguns ajustes, mas deu pra ter uma ideia do que vai ser no dia do desfile. A ala musical foi perfeita, eu tenho cordas maravilhosas e a gente está fazendo um trabalho diferenciado, de contra-cantos, oitavas, fica um coisa bem bonita de se ouvir. É o lírico misturado como carnaval”, contou o intérprete.

Samba-Enredo

A obra para o desfile de 2019 tem pontos de euforia, mas carrega uma característica mais melancólica, até pelo conteúdo do enredo. O intérprete Freddy Vianna, junto a sua ala musical, mantém o estilo que junta um pouco do lírico. As aberturas de vozes trabalham o tom feminino em conjunto com o masculino, enriquecendo o samba. Os músicos responsáveis pelas cordas também se destacaram com arranjos e dedilhados bem elaborados e executados.

Outros destaques

Um destaque visual positivo foi a ala das baianas, todas vieram fantasiadas. Com roupas verdes e muita presença de flores, as mulheres também enriqueceram o ensaio da agremiação alviverde.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui